sexta-feira, 31 de maio de 2019

Peter Greenaway - "Leonardo's Last Supper: A Vision by Peter Greenaway"

"Leonardo's Last Supper:
A Vision by Peter Greenaway"

Para a M.R.

Peter Greenaway - "Tulse Luper - Parte 3 - De Sark Até Ao Fim" / "The Tulse Luper Suitcases, Part 3: From Sark to Finish"


Peter Greenaway - "Tulse Luper - Parte 3 - De Sark Até Ao Fim" / "The Tulse Luper Suitcases, Part 3: From Sark to Finish"
(Grã-Bretanha / Espanha / Luxemburgo / Holanda / Alemanha - 2004) - (124 min./Cor)
Roger Rees, Stephen Billington, Jordi Mollá, Ana Torrent, Ornella Muti.

Ao longo desses anos de Apocalipse, Tulse Luper vagueia pela Europa viajando  por cidades como Barcelona, onde fica deslumbrado com os Gaudi, Turim onde é preso, ficando a inventariar as malas confiscadas aos judeus. Após a libertação de Roma, parte através dessa nova e velha Europa, que renasce das cinzas e em Budapeste termina por ser novamente preso.

Esta bela trilogia de filmes de Peter Greenaway, navega em formato dvd, em excelente cópia, e a um preço bem convidativo, mas encontra-se cada vez mais invisível , fruto dos tempos, bem populistas, em que vivemos...

Peter Greenaway - "Tulse Luper - Parte 2 - De Vaux até ao Mar" / "The Tulse Luper Suitcases, Part 2: Vaux to the Sea"


Peter Greenaway - "Tulse Luper - Parte 2 - De Vaux até ao Mar" / "The Tulse Luper Suitcases, Part 2: Vaux to the Sea"
(Grã-Bretanha / Holanda / Espanha / Luxemburgo / Itália / Hungria - 2004) - (108 min./Cor)
J. J. Feild, Raymond J. Barry, Valentina Cervi, Isabella Rossellini.

Na segunda parte das aventuras de Tulse Luper vamos encontrá-lo em Antuérpia e entretanto estala a Segunda Grande Guerra e ele torna-se espião na Mansão de Vaux. Mais tarde iremos encontrá lo em Estrasburgo a trabalhar na área do cinema, onde se irá cruzar com inúmeros personagens que, de forma (in)consciente carregam com o peso da História nos seus ombros, nesse período dramático que atingiu a Europa e o Mundo.

Peter Greenaway - "Tulse Luper - Parte 1 - A História de Moab" / "The Tulse Luper Suitcases, Part 1: The Moab Story"


Peter Greenaway - "Tulse Luper - Parte 1 - A História de Moab" / "The Tulse Luper Suitcases, Part 1: The Moab Story"
(Grã-Bretanha / Espanha / Itália / Luxemburgo / Holanda / Rússia / Hungria / Alemanha - 2003) - (127 min./Cor)
J. J. Feild, Caroline Dhavernas, Jordi Mollà, Debbie Harry, Ornela Muti, Fanka Potente.

Esta é a primeira parte da longa e misteriosa lenda de Tulse Luper. O filme abrange 60 anos da História do século XX (1928 - 1989). Tulse Luper, escritor e artista é apanhado numa vida de encarceramento.
De acordo com o célebre cinema de autor de Peter Greenaway e a sua sedução pela classificação, iremos ter na história de Tulse Luper um total de 16 prisões. 
A partir do sul do País de Gales, viajamos com Tulse Luper rumo ao  Novo Mundo onde é preso por manter contactos com uma família de origem germânica, que está prestes a viajar para a Europa, onde virá a desenvolver negócios pouco legais durante a Segunda Grande Guerra.
Todos os elementos que fizeram de Peter Greenaway um cineasta único  no interior da Sétima Arte, passam por esta trilogia.

Sam Rivers - “Contrasts”


Sam Rivers 
“Contrasts” 
ECM Records 
1980 

Sam Rivers – soprano saxophone, tenor saxophone, flute. 
George Lewis – trombone.
Dave Holland – bass. 
Thurman Barker – drums, marimba. 

1 – Circles – 4:10 
2 – Zip – 4:42 
3 – Solace – 6:54 
4 – Verve – 7:09 
5 – Dazzle – 9:12 
6 – Images – 3:48 
7 – Lines – 7:15 

Sam Rivers, um dos maiores expoentes do free-jazz, que infelizmente já nos deixou, é um nome incontornável na história do jazz desde que, ainda na década de 50, do século passado, surgiu a tocar saxofone, mas também a trabalhar de forma complexa as suas composições. Com ele tocaram os maiores nomes do jazz de vanguarda, desde esse homem que esteve sempre à frente da sua época chamado Miles Davis, até esse nome incontornável, mas infelizmente tão esquecido, que é Anthony Braxton. O álbum "Contrasts", que durante longos anos esteve ausente da edição em cd, com o vinil mais que esgotado, ressurgiu no mercado discográfico e inevitavelmente alguns descobriram pela primeira vez a força e a criatividade deste génio que nos deixou aos 88 anos. A edição deste cd é de saudar! Gravado em Dezembro de 1979 no Tonstudio Bauer, Ludwigsburg, por Martin Wieland. Fotografia da capa do álbum e Design de Dieter Rehm. Fotografia de de Signe Mahler. Produção de Manfred Eicher. Todos os temas foram compostos por Sam Rivers.

James Cameron - "Exterminador Implacável 2: O Dia do Julgamento" / "Terminator 2: Judgment Day"


James Cameron - "Exterminador Implacável 2: O Dia do Julgamento" / "Terminator 2: Judgment Day"
(EUA / França - 1991) - (137 min./Cor)
Arnold Schwarzenegger, Linda Hamilton, Edward Furlong.

Keith Jarrett - (1945)

Keith JArrett

Keith Jarrett - "Staircase"




Keith Jarrett 
“Staircase” 
ECM Records 
1977 

Keith Jarrett – Piano 

1 – Staircase – Part 1 – 6:52 
2 – Staircase – Part 2 – 7:53 
3 – Staircase – Part 3 – 1:18 

4 – Hourglass – Part 1 – 4:39 
5 – Hourglass – Part 2 – 13:51 

6 – Sundial – Part 1 – 8:55 
7 – Sundial – Part 2 – 4:52 
8 – Sundial – Part 3 – 6:20

9 – Sand – Part 1 – 6:50 
10 – Sand – Part 2 – 8:46 
11 – Sand . Part 3 – 3:21 

A história de como nasceu este duplo álbum de piano solo de Keith Jarrett é bem curiosa, porque tudo partiu de um convite do produtor Manfred Eicher ao pianista norte-americano para gravarem um disco e quando Jarrett chegou ao Estúdio, o alemão disse-lhe que o Estúdio era dele, podia gravar o que desejasse e assim iria surgir o duplo álbum “Staircase”, que surge um pouco como se tratasse de quatro sonatas do pianista a navegarem pelas habituais paisagens criadas por Keith Jarrett, mas no meio da serenidade que se respira em cada faixa, há um tema que se destaca pela sua beleza transcendental: “Hourglass” - Part 2. Tentem escutar este belíssimo tema de Keith Jarrett e certamente irão descobrir que estamos perante uma das mais belas peças para piano criadas nesse distante século XX. Gravado em Maio de 1976 no Davout Studio, Paris, por Roger Roche. Masterizado por Robert C. Ludwig. Fotografias de Franco Fontana. Design de Barbara Wojirsch. Produção de Manfred Eicher. Todas as composições são da autoria de Keith Jarrett.

Simon West - "Os Mercenários 2" / "The Expendables 2"


Simon West - "Os Mercenários 2" / "The Expendables 2"
(EUA / Alemanha - 2012) - (103 min./Cor)
Sylvester Stallone, Jason Stathan, Arnold Schwarzenegger, Bruce Willis, Chuck Norris, Jean-Claude Van Damme.

Edgar Degas - "Place de la Concorde"

"Place de la Concorde", 1875. 
Edgar Degas

James Joyce – “Retrato do Artista Quando Jovem” / “A Portrait of the Artist as a Young Man”


James Joyce 
Retrato do Artista Quando Jovem” 
Relógio Água – Pag. 264 

Foi em Janeiro de 1904 que James Joyce, então com 21 anos, teve a ideia de escrever a sua autobiografia, a que chamou “A Portrait of the Artist”, mas rapidamente percebeu que as hipóteses de publicação eram escassas, mesmo os mais próximos e seus cúmplices literários não mostraram interesse na publicação, recorde-se que nessa época Joyce era já autor de belos poemas. Mas o escritor estava convicto da qualidade da sua escrita e irá continuar a trabalhar, aumentando de forma desmedida o livro inicial, transformando-o em “Stephen Hero”, o nome do protagonista do romance, o jovem Stephen Dedalus. 

Os anos foram passando e após ter abandonado a sua Irlanda e ido para Trieste, na companhia da mulher da sua vida, a célebre Nora Barnacle, onde dava aulas de inglês (poderão sempre tentar ver o excelente filme de Pat Murphy, intitulado “Nora”, que nos conta a historia de amor entre o escritor irlandês e Nora, sendo o actor Ewan Mcgregor a dar rosto ao jovem Joyce), começa a trabalhar em “Retrato do Artista Quando Jovem” com vista à sua publicação, reduzindo de forma substancial o número de páginas, já que com o passar dos anos ele tinha adquirido um volume que não iria de forma alguma corresponder ao pretendido e assim irá procurar a forma perfeita, dando por terminada a feitura do romance autobiográfico “Retrato do Artista Quando Jovem” em 1914, precisamente o ano em que vê editado o seu livro de contos “Gente de Dulin” / “Dubliners” e dois anos depois “A Portrait of the Artist as a Young Man” verá a luz do dia nas livrarias. 

“Não havia nenhuma silhueta perto dele, nem o ar lhe trazia som algum. Mas a maré estava prestas a mudar, e o dia começava já a declinar. Virou costas ao oceano e correu na direcção da linha costeira e, correndo pela praia inclinada, indiferente aos seixos aguçados, deparou com um recanto arenoso no meio de um anel de colinas de areia com tufos de erva no alto e ali se deitou, para que a paz e o silêncio do final da tarde pudessem aquietar o tumulto que lhe agitava o sangue.” 

James Joyce 
“Retrato do Artista Quando Jovem" 

Ao ler este belo livro, não se esqueça de ler as notas que o acompanham da responsabilidade do tradutor Paulo Faria, que também assina o prefácio, pois elas são um elemento indispensável para a leitura desta magnifica obra literária de James Joyce.

Nicholas Meyer - "Star Trek VI: O Continente Desconhecido" / "Star Trek VI: The Undescovered Country"


Nicholas Meyer - "Star Trek VI: O Continente Desconhecido" / "Star Trek VI: The Undescovered Country"
(EUA - 1991) - (110 min./Cor)
William Shatner, Leonard Nimoy, DeForest Kelly.

Nicholas Meyer - "Star Trek II: A Ira de Khan" / " Star Trek II: The Wrath of Khan"


Nicholas Meyer - "Star Trek II: A Ira de Khan" / " Star Trek II: The Wrath of Khan"
(EUA - 1982) - (113 min./Cor)
William Shatner, Leonard Nimoy, DeForest Kelley.

quinta-feira, 30 de maio de 2019

Leonard Nimoy - "Star Trek IV: Regresso à Terra" / "Star Trek IV: The Voyage Home"


Leonard Nimoy - "Star Trek IV: Regresso à Terra" / "Star Trek IV: The Voyage Home"
(EUA - 1986) - (119 min./Cor)
William Shatner, Leonard Nimoy, DeForrest Kelley.

Leonard Nimoy - "Star Trek III: A Aventura Continua" / "Star Trek III: The Search For Spock"


Leonard Nimoy - "Star Trek III: A Aventura Continua" / "Star Trek III: The Search For Spock"
(EUA - 1984) - (105 min./Cor)
William Shatner, Leonard Nimoy, DeForrest Kelley.

Eberhard Weber - (1940)

Eberhard Weber

Eberhard Weber - "The Following Morning"



Eberhard Weber 
“The Following Morning” 
ECM Records 
1977 

Eberhard Weber – bass. 
Rainer Bruninghaus –piano. 
Oslo Philharmonic Orchestra - celli, french horns, oboe. 

1 – T. On A White Horse – 10:10 
2 – Moana I – 10:52 
3 – The Following Morning – 12:02 
4 – Moana II – 7:45 

Desde o seu álbum de estreia como líder, “The Colours of Chloe”, já aqui abordado, que Eberhard Weber tem explorado territórios onde a denominada música erudita e o jazz se encontram de forma melódica, criando paisagens repletas de belas tonalidades, tal como irá suceder com as capas dos seus álbuns, que irão sempre oferecer-nos trabalhos pictóricos da sua esposa Maja Weber. 

Em “The Following Morning”, o célebre contrabaixo de Eberhard Weber tem a companhia do piano eléctrico de Rainer Bruninghaus, cujos dedos navegam pelas teclas de forma bem intimista, enquanto por outro lado iremos encontrar as cores produzidas pelos violoncelos, as trompas e o oboé da Orquestra Filarmónica de Oslo, criando momentos de uma enorme beleza. Os quatro temas que compõem o álbum “The Following Morning” oferecem-nos um belo retrato da música criada por Eberhard Weber. 

Gravado em Agosto de 1976 no Talent Studio, Oslo, por Jan Erik Kongshaug. Capa do álbum da autoria de Maha Weber. Fotografia de Roberto Masotti. Layout de Dieter Bonhorst. Produzido por Manfred Eicher.

François Truffaut - "Amor em Fuga" / "L'amour en fuite"


François Truffaut - "Amor em Fuga" / "L'amour en fuite"
(França - 1979) - (94 min./Cor)
Jean-Pierre Léaud, Claude Jade, Marie-France Pisier.

François Truffaut - "Domicílio Conjugal" / "Domicile conjugal"


François Truffaut - "Domicílio Conjugal" / "Domicile conjugal"
(França - 1970) - (100 min./Cor)
Jean-Pierre Léaud, Claude Jade, Hiroku Berghauer.

François Truffaut - "Beijos Roubados" / "Baisers Volés"


François Truffaut - "Beijos Roubados" / "Baisers Volés"
(França - 1968) - (90 min./Cor)
Jean-Pierre Léaud. Claude Jade, Delphine Seyrig.

Phil Woods and His European Rhythm Machine - "At Frankfurt Jazz Festival"




Phil Woods and His European Rhythm Machine 
“At Frankfurt Jazz Festival” 
Embryo Records 
1970 

Phil Woods – Saxophone. 
Gordon Beck – Piano 
Henri Texier – Acoustic bass. 
Daniel Humair – Drums, percussion. 

1 – Freedom Jazz Dance – 13:38 
2 – Ode a Jean-Louis – 13:30 
3 – Josua – 13:30 
4 – The Meeting – 11:00 

Por vezes temos álbuns que nos ficam na memória para sempre e foi preciamente o que se passou com este trabalho discográfico de Phil Woods. Nesse fim-de-semana tinha estado em Cascais no Festival de Jazz e fiquei de tal forma fascinado com a actuação de Phil Woods, que até deixei o lugar onde estava e fui para junto do palco para escutar ainda melhor aquele saxofone, depois na segunda-feira passei pela Dargil e comprei este disco. Chegado a casa coloco o vinil no prato do gira-discos e sento-me no sofá no quarto e o que oiço não é Phil Woods, mas sim as palavras de Samuel Beckett, no disco “No Answer” de Michae Mantler.! 

No dia seguinte fui trocar o álbum e na discoteca Dargil desencontrei-me de Godot, que já tinha devolvido o disco de Phil Woods, que levara também por engano. Regressei a casa feliz e finalmente escutei Phil Woods and His European Rhythm Machine a plenos pulmões! Poderá visitar aqui o tema “Freedom Jazz Band”.

Jon Jones - "Jane Austen's Northanger Abbey"


Jon Jones - "Jane Austen's Northanger Abbey"
(Grã-Bretanha - 2007) - (84 min./Cor)
Geraldine James, Michael Judd, Julia Dearden.

James Bobin - "Marretas Procuram-se" / "Muppets Most Wanted"


James Bobin - "Marretas Procuram-se" / "Muppets Most Wanted"
(EUA - 2014) - (107 min./Cor)
Ricky Gervais, Ty Burell, Tina Fey.

James Bobin - "Os Marretas" / "The Muppets"


James Bobin - "Os Marretas" / "The Muppets"
(EUA - 2011) - (103 min./Cor)
Amy Adams, Jason Segal, Chris Cooper.

Giuseppe De Nittis - "La Place du Carrousel, ruines des Tuileries"


"La Place du Carrousel, ruines des Tuileries", 1882. 
Giuseppe De Nittis

Fritz Lang - "Suprema Decisão" / "The Woman in The Window"


Fritz Lang - "Suprema Decisão" / "The Woman in The Window"
(EUA - 1944) . (107 min. - P/B)
Edward G. Robinson, Joan Bennett, Raymond Massey, Dan Duryea.

Uma brilhante realização a partir de um argumento genial de Nunnally Johnson. Joan Bennett irradia beleza por todos os fotogramas e depois temos esse segredo que nunca deve contar a ninguém e guardar só para si, sobre este "film noir" inesquecível! 

Elia Kazan - Folhas da Cinemateca



"Elia Kazan - As Folhas da Cinemateca"

João Bénard da Costa,
Manuel Cintra Ferreira.
Luís Miguel Oliveira,
Joana Ascenção
Cinemateca Portuguesa - Pág.110

Quando visitamos a obra e a vida de Elia Kazan é inevitável depararmos com um triângulo constituído pelo Cineasta, o Escritor e o Homem. Amado por uns, contestado por outros, como vimos numa das cerimónias dos Oscars de Hollywood, o seu cinema também fala por si, embora ele nunca consiga apagar o seu comportamento perante a comissão, de triste memória, que investigava as actividade anti-americanas no cinema, chefiada pelo tenebroso Senador McCarthy (*). 

Este livro que a Cinemateca Portuguesa lhe dedicou reúne as célebres folhas da Cinemateca, para além de uma biografia. Os textos das famosas "folhas da cinemateca" são assinados por João Bénard da Costa (9), Manuel Cintra Ferreira (8), Luís Miguel Oliveira (3) e Joana Ascençao (1).



(*) - Aquando da estreia em Portugal do Filme "The Last Tycoon", o crítico Manuel Cintra Ferreira, publicou um excelente texto sobre o cineasta, na revista de cinema "Isto é Cinema", dirigida por Lauro António.

quarta-feira, 29 de maio de 2019

David Yates - "Harry Potter e os Talismãs da Morte: Parte 2" / "Harry Potter and The Deathly Hallows: Part 2"


David Yates - "Harry Potter e os Talismãs da Morte: Parte 2" / "Harry Potter and The Deathly Hallows: Part 2"
(Grã-Bretanha / EUA - 2011) - (130 min./Cor)
Daniel Radcliffe, Emma Watson, Rupert Grint.

Desta feita os produtores de Harry Potter e a sua criadora decidiram explorar quase até ao infinito o derradeiro livro das aventuras de Harry Potter e criaram duas películas numa operação bem sucedida, com a respectiva correspondência nas bilheteiras de todo o mundo. Algo que Peter Jackson irá também aprender a fazer, nesta época acrítica e de perda de memória, em que vive o universo da Sétima Arte. David Yates, revelou-se um realizador precavido e para que todos terminassem em beleza entregou a direcção de fotografia, dos derradeiros episódios de Harry Potter, ao sempre brilhante Eduardo Serra!

David Yates - "Harry Potter e o Príncipe Misterioso" / "Harry Potter and The Half-Blood Prince"


David Yates - "Harry Potter e o Príncipe Misterioso" / "Harry Potter and The Half-Blood Prince"
(Grã-Bretanha / EUA - 2009) - (153 min./Cor)
Daniel Radcliffe, Emma Watson, Rupert Grint.

Tanto no desporto como no cinema em equipa de sucesso e com provas dadas não se muda e assim Steve Kloves regressou como argumentista de Harry Potter e o realizador David Yates conseguiu desta feita conduzir o filme aos patamares cinematográficos por onde andava habitualmente. Todos ficámos a ganhar!

David Yates - "Harry Potter e a Ordem da Fénix" / "Harry Potter and The Order of The Phoenix"


David Yates - "Harry Potter e a Ordem da Fénix" / "Harry Potter and The Order of The Phoenix"
(Grã-Bretanha / EUA - 2007) - (138 min./Cor)
Daniel Radcliffe, Emma Watson, Rupert Grint.

Quando o realizador David Yates tomou conta da série de filmes de Harry Potter cometeu o erro de dispensar o argumentista Steve Kloves, que fora o responsável de todas as películas anteriores baseadas nos livros de J. K. Rowling e de imediato o mais distraído espectador irá descobrir que se encontra perante o mais fraquinho dos episódios das aventuras de Harry Potter e dos seus fiéis amigos.

Rob Reiner - "Uma Noite Com o Presidente" / "The American President"


Rob Reiner - "Uma Noite Com o Presidente" / "The American President"
(EUA - 1995) - (114 min./Cor)
Michael Douglas, Annette Bening, Martin Sheen, Michael J. Fox, Richard Dreyfuss.

Nem sempre são as primeiras escolhas da produção que terminamos por ver no écran, no que diz respeito aos actores como aos realizadores e se na época do cinema clássico, os Estúdios eram donos e senhores dos actores, com os célebres contratos de sete anos em que as estrelas de cinema eram alugadas, nos dias de hoje tudo mudou e por vezes os protagonistas indigitados para um filme desistem por razões desconhecidas do grande público. 

Robert Redford e Emma Thompson foram os escolhidos para "The American President" / "Uma Noite Com o Presidente", mas viriam a desistir da película e seriam Michael Douglas e Annette Bening, as segundas escolhas, para este filme bem cativante, que terminou por deliciar todos os que o viram, tornando-se numa comédia dramática a reter, não só pela envolvência política que possui no seu interior, mas também pelas interpretações dos seus protagonistas. Por outro lado é  bem visível que todos se sentem como peixe na água e muito se deve a Rob Reiner, esse cineasta, que conhece bem a Arte do Actor, recordam-se dele em "All In the Family" / "Uma Família às Direitas"?

Rob Reiner - "Um Amor Inevitável" / "When Harry Met Sally..."


Rob Reiner - "Um Amor Inevitável" / "When Harry Met Sally..."
(EUA - 1989) - (95 min./Cor)
Billy Crystal, Meg Ryan, Carrie Fisher, Bruno Kirby.

Já passaram trinta anos sobre este "Amor Inevitável" e continuamos a divertir-nos com Billy Crystal e imaginamos o que seria ele a arbitrar no "país do futebol" em que nos tornámos, certamente iria provocar um certo "desconforto", recordam-se do jogo de basquetebol em "When Harry Met Sally..."?

Um dos segredos deste filme bem divertido assinado por Rob Reiner prende-se com o argumento de Nora Ephron, que viria pouco depois a realizar os seus próprios argumentos, tornando-se um nome incontornável no interior da comédia americana. "Um Amr Inevitável" permanece um divertimento inevitável!

Michael Rother - “Flammende Herzen”



Michael Rother 
“Flammende Herzen” 
Sky Records 
1977 

Michael Rother – Guitar, electric piano, bass, synthesizer, organ, percussion. 
Jak Liebezeit – Drums. 

1 – Flammende Herzen – 7:02 
2 – Zyklodron – 9:36 
3 – Karussell – 5:22 
4 – Feuerland – 7:04 
5 – Zeni – 5:09 

O guitarrista alemão Michael Rother, que chegou a tocar com os Kraftwerk na fase inicial do grupo, irá formar os Neu com Klaus Dinger e mais tarde irá juntar-se aos dois membros que constituíam os célebre Cluster dando origem à banda Harmonia, que irá gravar um álbum com Brian Eno. 

Após o fim dos Harmonia, Michael Rother iniciou uma bela carreira a solo, sendo o seu álbum de estreia este “Flammende Herzen”, cujo título que dá nome ao álbum e se tornou de imediato num hit. 

Recordamos que este álbum foi gravado entre Junho e Setembro de 1976 e teve como produtor o influente Conny Plank. Poderá visitar aqui o tema “Flammende Herzen”.

Whit Stillman - "Amor e Amizade" / "Love & Friendship" (Jane Austen)


Whit Stillman - "Amor e Amizade" / "Love & Friendship" (Jane Austen)
(Irlanda / França / Holanda - 2016) - (90 min./Cor)
Kate Beckinsale, Chloe Sevigny, Xavier Samuel.

Vinte anos separam a "Emma" de Kate Beckinsale deste "Love & Friendship", baseado nas famosas cartas de "Lady Susan", escritas pela célebre Jane Austen. Estamos perante um livro que durante muitos anos viveu escondido dos olhares dos leitores até que a voragem editorial o decidiu dar a conhecer. A adaptação cinematográfica de "Lady Susan" da responsabilidade do próprio realizador é simplesmente brilhante e depois temos uma Kate Beckinsale soberba, porque ela é o filme ou melhor Lady Susan! "Amor e Amizade" / "Love & Friendship" bem merece ser descoberto por todos os admiradores dos romances de Jame Austen e por favor fixem o nome de Kate Beckinsale, mesmo quando ela anda a caçar vampiros!

Diarmuid Lawrence - "Jane Austen's Emma"


Diarmuid Lawrence - "Jane Austen's Emma"
(Grã-Bretanha / EUA - 1996) - (107 min./Cor)
Kate Beckinsale, Bernard Hepton, Mark Strong.

São inúmeras as adaptações cinematográficas e televisivas dos romances de Jane Austen, sendo "Emma" um dos seus romances que mais vezes tem surgido a invadir a celulóide e se me perguntarem qual a minha "Emma" favorita serei forçado a dizer que ela se chama Kate Beckinsale!

Edward Vesala - “Nan Madol”


Edward Vesala 
“Nan Madol” 
ECM Records 
1974 

Elisabeth Leistola – harp. 
Kaj Backlund – trumpet. 
Juhani Aaltonen – soprano saxophone, tenor saxophone, flutes, bells, voice. 
Seppo Paakkunainen – soprano saxophone, flute. 
Pentti Lahti – soprano saxophone, bass clarinet. 
Charlie Mariano – alto saxophone, flute, nagaswaram. 
Juhani Poutanen – violin, viola, voice, bells. 
Sakari Kukko – flute. 
Mircea Stan – trombone. 
Teppo Hauta-aho – double-bass, voice. 
Edward Vesala – drums, percussion, harp, flutes. 

1 – Nan Madol – 6:02 
2 – Love For Living – 3:47 
3 – Call From The Sea – 1:58 
4 – The Way Of… - 12:09 
5 – Areous Vlor Ta – 12:39 
6 – The Wind – 9:23 

O baterista finlandês Edward Vesala foi um dos nomes mais fascinantes da cena do denominado jazz avant-garde europeu, que infelizmente nos deixou quando ainda tinha muito para nos oferecer da sua arte como baterista e compositor, sendo o álbum "Nan Madol" um desses testemunhos incontornáveis de como a sua música era uma verdadeira torrente de magia, que terminava por desaguar nas mais diversas direcções, de forma surpreendente. O álbum “Nan Madol” de Edward Vesala foi editado inicialmente na editora JAPO Records em 1974, da qual um dos responsáveis foi Manfred Eicher, o fundador da ECM Records, que depois o irá reeditar em 1976 com o selo ECM Records. Todos os álbuns da JAPO Records irão ser comercializados e fabricados pela ECM Records. “Nan Madol” de Edward Vesala foi gravado nos dias 25 e 26 de Abril de 1974 no Alppi Studio, Helsinki, por Harry Bergman e Misturado por Manfred Eicher e Jan Erik Kongshaug. Fotografia da capa do álbum de Pawel Lucki. Fotografia de Erik Uddstrom. Layout de Dieter Bonhorst. Todos os temas foram compostos e arranjados por Edward Vesala.

David Carson - "Star Trek: Gerações" / "Star Trek: Generations"


David Carson - "Star Trek: Gerações" / "Star Trek: Generations"
(EUA - 1994) - (118 min./Cor)
Patrick Stewart, William Shatner, Malcolm McDowell.

William Shatner - "Star Trek V: A Última Fronteira" / "Star Trek V: The Final Frontier"


William Shatner - "Star Trek V: A Última Fronteira" / "Star Trek V: The Final Frontier"
(EUA - 1989) - (107 min./Cor)
William Shatner, Leonard Nimoy, DeForrest Kelley.

Jean-François Raffaelli - "L'Institut"

"L'Institut" 
Jean-François Raffaelli 
(Petit Palais, Paris)

Christopher Nolan - "Dunquerque" / "Dunkirk"


Christopher Nolan - "Dunquerque" / "Dunkirk"
(Grã-Bretanha / Holanda / França / EUA - 2017) - (106 min./Cor)
Fionn Whitehaead, Barry, Keoghan, Mark Rylance, Kenneth Brannagh, Damien Bonnard.

O horror de Dunkirk e a evacuação dolorosa das tropas britânicas num realismo em que a montagem se apresenta como uma mais valia do filme de Christopher Nolan, que nesta área iria conquistar três Oscars bem merecidos.

Philippe Sollers - “Le Cavalier du Louvre – Vivant Denon (1747-1825)”


Philippe Sollers 
“Le Cavalier du Louvre – Vivant Denon (1747-1825)” 
Folio/Gallimard – Pág. 321 

Após a leitura deste belo livro de Philippe Sollers, só nos apetece regressar rapidamente ao Museu do Louvre, percorrer as salas e ver as obras expostas na companhia de Vivant Denon, esse amante das belas-artes que atravessou os mais diversos regimes sem perder a cabeça: Louis XV, Louis XVI, a Revolução Francesa, o Terror, que teve em Robespierre um obreiro de triste memória, o Consulado, tendo acompanhado Napoleão na Campanha do Egipto, o Império e a Restauração, terminando por morrer aos 68 anos, após ter ido assistir a um leilão de diversos quadros, estava muito frio nesse dia e, pela primeira vez na sua vida, adoeceu com uma congestão pulmonar, tendo falecido no dia seguinte.

terça-feira, 28 de maio de 2019

Jonathan Frakes - "Star Trek: Insurreição" / "Star Trek: Insurrection"


Jonathan Frakes - "Star Trek: Insurreição" / "Star Trek: Insurrection"
(EUA - 1998) - (103 min./Cor)
Patrick Stewart, Jonathan Frakes, Brent Spiner.

Jonathan Frakes - "Star Trek: O Primeiro Contacto"


Jonathan Frakes - "Star Trek: O Primeiro Contacto"
(EUA - 1996) - (111 min./Cor)
Patrick Stewart, Jonathan Frakes, Brent Spiner.

Michael Mantler - (1943) / Edward Corey - (1925 - 2000)

Michael Mantler
(1943)

Edward Gorey
(1925 - 2000)

Michael Mantler / Edward Gorey - “The Hapless Child”




Michael Mantler / Edward Gorey 
“The Hapless Child” 
WATT Records 
1976 

Carla Bley – Piano, Clavinet, String Synthesizer. 
Terje Rypdal – Guitar. 
Steve Swallow – Bass Guitar. 
Jack DeJohnette – Drums, Percussion. 
Robert Wyatt – Vocals. 
Alfred Benge – Narrator. 
Alfred Caulder – Narrator (additional speaker). 
Nick Mason – Narrator (additional speaker) 

1 – The Sinking Spell – 5:10 
2 – The Object-Lesson – 5:00 
3 – The Insect God – 4:58 
4 – The Doubtful Guest – 4:47 
5 – The Remembered Visit - 6:27 
6 – The Hapless Child – 7:02 

Uma das maiores pérolas da discografia do compositor Michael Mantler é precisamente este "The Hapless Child", onde não só a guitarra de Terje Rypal possui um lugar de destaque, como os teclados de Carla Bley criam o ambiente perfeito para as palavras de Edward Gorey. Gravado entre Julho de 1975 e Janeiro de 1976 no Grog Kill Studio, Willow, New York, no Manor Mobile na residência de Robert Wyatt, na Delfina Farm, England e na Britania Row,London, por Michael Mantler, Dennis Weinreich, Alan Perkins e Nick Mason. Misturado em Janeiro de 1976 na Britania Row, por Nick Mason, o célebre baterista dos Pink Floyd, que mais tarde irá gravar um álbum com Carla Bley, excepto o tema “The Hapless Child”, cujo trabalho de mistura se efectuou em Novembro de 1975, no Scorpio Sound, por Dennis Weinreich. Letra de Edward Gorey e Música de Michael Mantler. Produção de Carla Bley.

Woody Allen - "A Rosa Púrpura do Cairo" / "The Purple Rose of Cairo"


Woody Allen - "A Rosa Púrpura do Cairo" / "The Purple Rose of Cairo"
(EUA - 1985) - (82 min./Cor - P/B)
Mia Farrow, Jeff Daniels, Danny Aiello.

É verdade que Buster Keaton já tinha realizado "Sherlock Jr." em 1924 e ninguém se referiu ao filme do Mestre do Mudo, aquando da estreia de "The Purple Rose of Cairo", mas nada disso impede de considerarmos este filme o rubi da cinematografia de Woody Allen!

Woody Allen - "Maridos e Mulheres" / "Husbands and Wives"


Woody Allen - "Maridos e Mulheres" / "Husbands and Wives"
(EUA - 1992) - (108 min./Cor)
Woody Allen, Mia Farrow, Sydney Pollack, Judy Davies, Lysette Anthony.

Robert Redford e Sydney Pollack conheceram-se na escola de actores, mas o segundo viria a optar por uma carreira como realizador, que viria a ser de enorme sucesso, como todos sabemos, mas quanto ao actor só Redford o conhecia e seria Woody Allen a filmar à John Cassavetes, numa bela homenagem a um dos maiores "mavericks" do cinema, que nos iria dar a conhecer o enorme talento desse actor chamado Sydney Pollack, que possui em Judy Davies e Lysette Anthony as parceiras perfeitas. "Husbands and Wives" é um filme soberbo a ver e rever sempre!

Woody Allen - "Setembro" / "September"


Woody Allen - "Setembro" / "September"
(EUA - 1987) - (83 min./Cor)
Mia Farrow, Elaine Stretch, Denholm Elliott, Diane Wiest, Sam Waterston, Jack Warden.

Quando Woody Allen visita Bergman nasce uma obra-prima do cinema chamada "September"!

Keith Jarrett - “The Celestial Hawk” (For Orchestra, Percussion and Piano)


Keith Jarrett 
“The Celestial Hawk” 
(For Orchestra, Percussion and Piano) 
ECM Records 
1980 

Keith Jarret – Piano. 
Syracuse Symphony dirigida por Christoper Keene 

1 – First Movement – 18:06 
2 – Second Movement – 7:03 
3 – Third Movement – 14:33 

Keith Jarrett um dos maiores pianistas da história do jazz possui uma interessante obra como compositor, tendo este concerto para orquestra, percussão e piano, intitulado “The Celestial Hawk”, sido gravado em Março de 1980 no Carnegie Hall de Nova Iorque, surgindo nesse mesmo ano editado pela ECM Records de Manfred Eicher, com produção do próprio músico e do célebre produtor alemão. Dos três movimentos desta obra, destaco o primeiro como o meu favorito (preenchendo o lado A do vinil), embora o álbum “The Celestial Hawk” no seu conjunto seja na verdade surpreendente e bem demonstrativo da Arte de Keith Jarrett!