sábado, 16 de junho de 2018

James Ivory – “Shakespeare Wallah”



James Ivory – “Shakespeare Wallah” 
(Grã.Bretanha / EUA – 1965) – (120 min.-P/B) 
Shashi Kapoor, Felicity Kendal, Geoffrey Kendal, Madhur Jaffrey. 

Confesso-me desde já como um fan dos filmes de James Ivory e nada melhor para conhecermos a obre de um cineasta, do que descobrir os seus inícios e se já aqui escrevemos sobre o fabuloso “The Householder” (que vimos na Cinemateca), chegou agora a vez do seu segundo filme, o belo “Shakespeare Wallah”, que tem a particularidade de o argumento possuir a assinatura de James Ivory ao lado da magnífica argumentista Ruth Prawer Jhabvala que, com o produtor Ismael Marchant, formaram um dos trios produtivos mais fascinantes da Sétima Arte. 

“Shakespeare Wallah” conta-nos a história de uma companhia teatral inglesa itinerante que, dois anos após a Independência dessa Jóia da Coroa que foi a Índia, permanece a representar Shakespeare, porque como irá confessar o seu fundador, o inesquecível Tony Buckingham (Geofrey Kendal), em Inglaterra não iriam encontrar espaço para representar as suas peças, fosse qual fosse a zona da famosa ilha; assim iremos acompanhar a odisseia desta família teatral, pai, mãe e filha, que irá uma noite cruzar-se com um jovem indiano (Shashi Kapoor), que se estreara a trabalhar como produtor cinematográfico e que se irá apaixonar pela bela Lizzie (Felicity Kendal), mas uma prima (Madhur Jaffrey), que começa a ser conhecida no universo de Bollywood, que então nascia e que se encontra apaixonada por ele, tudo irá fazer para dificultar a união do par. 

Este segundo filme de James Ivory possui a particularidade de os três actores ingleses, da companhia itinerante, serem precisamente pai, mãe e filha na vida real e terem percorrido a Índia como companhia teatral itinerante, divulgando as peças de William Shakespeare, por outro lado a interpretação de Madhur Jaffrey valeu-lhe a conquista do Urso de Prata do Festival de Berlin, para a Melhor actriz. Vale a pena descobrir os primórdios da filmografia de James Ivory, para conhecermos melhor este genial cineasta.

Rui Luís Lima

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.