sábado, 5 de maio de 2018

Simon Curtis – “Mulher de Ouro” / “Woman in Gold”




Simon Curtis – “Mulher de Ouro” / “Woman in Gold” 
(Grã.Bretanha – 2015) – (109 min./Cor) 
Helen Mirren, Ryan Reynolds, Daniel Bruhl. 


Todas as obras de Arte são possuidoras de uma história ou memória, se preferirem, umas vezes ligadas ao artista, outras aos modelos, mas também aos proprietários do quadro. 

Neste caso concreto, trata-se da célebre obra de Gustav Klimt intitulada “Retrato de Adele Bloch-Bauer”, pertencente a uma família judia austríaca, cujas obras de Arte, tal como sucedeu com milhares de outras, foram confiscadas pelos nazis, que durante anos foram peritos a fazer desaparecer de circulação inúmeras obras de arte, como ficou demonstrado por George Clooney no seu filme “The Monuments Men”, sobre o qual já aqui escrevemos. 

Maria Altmann (Helen Mirren), que se encontra a viver em Los Angeles e tem terror de regressar a Viena, depois de uma fuga bem-sucedida ao terror nazi, é a herdeira e proprietária desse famoso quadro de Gustav Klimt, cujo modelo foi a tia de Maria Altmann, mas o Estado Austríaco nunca irá ceder a sua “Mona Lisa” e será o destino que a irá fazer cruzar-se com um jovem e, na época, pouco experiente advogado chamado Randol Schonberg, neto do célebre compositor. 

O cineasta Simon Curtis (fixem o nome) oferece-nos uma película que, através de poderosos “flashback”, nos vai narrando os diversos acontecimentos, desde a anexação da Austria por Hitler, até à época em que Maria Altmann encetou a sua luta para recuperar os seus bens. A forma narrativa optada por Simon Curtis, sem um fotograma a mais ou um plano a menos, é uma verdadeira lição de cinema e por fim temos os actores, onde mais uma vez deparamos com um trio de luxo, rodeado por excelentes secundários. 

Maria Altmann faleceu em 2011, mas este filme intitulado “Mulher de Ouro” / “Woman in Gold” diz-nos que ela permanece bem viva na memória de muitos, tal como essa luta quase subterrânea de recuperação de obras de Arte que permanecem desaparecidas. Um filme que se recomenda a todos os amantes de Cinema e apaixonados pela Arte.

Rui Luís Lima

4 comentários:

  1. Gostei bastante do filme porque não sabia nada da história por detrás do quadro. Revi-o há dias na tv.
    Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confesso que só descobrimos o filme quando passou na televisão e adorámos!
      Bom fim-de-semana!

      Eliminar
  2. MUito bom! Mostra-nosuma luta legitima, mas que é dura, já que revela o que de pior há em quem açambarcou as belas obras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda se encontram milhares de obras nesse "limbo dos perdidos em parte incerta".
      Boa tarde!

      Eliminar