terça-feira, 15 de maio de 2018

Federico Fellini, Vittorio de Sica, Luchino Visconti, Mario Monicelli – “Boccaccio 70”


Federico Fellini, Vittorio de Sica, Luchino Visconti, Mario Monicelli – “Boccaccio 70” 
(Itália – 1962) 
(158 min./Cor – 3 episódios) 
(208 min./Cor – 4 episódios) 
Sophia Loren, Anita Ekberg, Romy Schneider, Maria Solinas. 

“Boccaccio 70” será talvez o mais conhecido filme de sketches do cinema italiano, tendo a ideia partido do produtor Carlo Ponti, que convidou Luchino Visconti, Federico Fellini, Vittorio De Sica e Mario Monicelli para cada um deles realizar um filme, tendo por base o célebre “Decameron” de Boccaccio, mas sendo a acção passada para os dias de hoje, com a condição de cada um deles apresentar no seu episódio uma estrela de cinema de renome internacional e assim Visconti escolheu Romi Schneider, enquanto Fellini optava pela bela Anita Ekberg, já Vittorio De Sica escolhia a bem conhecida Sophia Loren, mas Monicelli, que fez segredo do nome da estrela a Carlo Ponti, iria provocar a fúria do célebre produtor italiano ao escolher Marisa Solinas para o seu belo episódio, tendo Ponti dedidido mandar cortar o episódio e assim o filme foi exibido durante muitos anos apenas com os episódios de Visconti / Fellini / De Sica. 

Anos mais tarde, foi finalmente possível ver este belo “Boccaccio 70” na íntegra, com os quatro episódios, existindo no mercado cópias com as duas versões. Curiosamente, o episódio assinado por Mario Monicelli é o mais comovente, ao contar-nos a história de um amor proibido entre uma secretária e um paquete, enquanto o segmento assinado por Fellini se apresenta como o mais genial, contando com uma inesquecível Anita Ekberg, que irá perturbar os sonhos eróticos de um temível puritano. Já De Sica oferece-nos Sophia Loren na figura de uma rapariga que é objecto de prazer dos homens através de um sorteio de rifas, enquanto Visconti igual a si próprio, nos mergulha no interior da alta burguesia para nos oferecer o relacionamento de um casal que busca a transgressão em territórios proibidos. 

“Boccaccio 70” permanece nos dias de hoje como um dos mais belos filmes de sketches do cinema italiano, através de quatro cineastas bem diferentes no seu olhar sobre a matéria fílmica, mas todos eles com a mesma paixão pela Sétima Arte. 

Rui Luís Lima

Sem comentários:

Enviar um comentário