quinta-feira, 24 de maio de 2018

Chris Marker – “La Jetée”


Chris Marker – “La Jetée” 
(França – 1962) – (28 min. – P/B) 
Etienne Becker, Jean Négroni, Hélène Chatelain. 

De todas as películas que este cineasta ofereceu à Sétima Arte, “La Jetée” será possivelmente a mais célebre de todas e se pensarmos que ao longo de 28 minutos apenas temos fotografias fixas, que nos vão surgindo em movimento, porque a forma como a montagem está feita, aquilo que encontramos são 24 imagens por segundo a navegarem na nossa memória, neste cine-roman ao acompanharmos a tragédia da humanidade nessa Terceira Guerra Mundial que destruiu o planeta e a humanidade, ao mesmo tempo que acompanhamos as experiências que os “vencedores” fazem sobre um prisioneiro, em busca das suas memórias, onde a vida e o amor terminam por lhe confessar que afinal ele está morto.




A Cinemateca Francesa, de 3 de Maio a 29 de Julho de 2018, leva a efeito uma enorme retrospectiva da obra do cineasta, intitulada “Chris Marker, Les 7 Vies D’Un Cineaste”, acompanhada de uma Exposição sobre o realizador da responsabilidade de Christine Van Assche, Raymond Bellour e Jean-Michel Frodon e foi também lançado um fabuloso catálogo de 400 páginas, abordando a vida e obra do cineasta de forma cronológica, através dos acontecimentos mais marcantes de um século, que ele retratou de forma bem singular. 

Rui Luís Lima

Sem comentários:

Enviar um comentário