domingo, 29 de abril de 2018

Philippe Condroyer – “Tintin – O Mistério das Laranjas Azuis” / “Tintin et les oranges bleues”


Philippe Condroyer – “Tintin – O Mistério das Laranjas Azuis” / “Tintin et les oranges bleues” 
(França / Espanha – 1964) – (97 min./Cor) 
Jean Bouise, Jean-Pierre Talbot, Felix Fernandez. 

Ontem, ao rever pela primeira vez este delicioso filme de Tintin, com “pessoas de carne e osso”, percebi que o realizador Philippe Condroyer conseguiu a magia de fazer de cada plano sequência uma verdadeira prancha de banda desenhada, muito fruto dos seus intérpretes, especialmente Jean Bouise (capitão Haddock), que possui um domínio do corpo fabuloso e se Tintin (Jean-Pierre Talbot, que anteriormente já tinha interpretado a célebre personagem criado por Hergé em “Tintin et le Mystere de la Toison D’or”, datado de 1961 e realizado por Jean-Jacques Vierne) está igual à banda desenhada, já os Dupond e Dupont surgem soberbos. Todas as restantes personagens funcionam em perfeição, excepto a figura de Bianca Castafiore, que termina por se revelar frágil, embora a sua famosa voz de rouxinol esteja no seu melhor. 

Tinha seis anos quando vi este filme no Cinema Avis, em Lisboa e nunca mais me esqueci dele, principalmente da sequência passada no navio do Emir. Mas façamos um pouco de luz sobre este “Tintin et les oranges bleues”. Um cientista amigos do célebre Professor Tournesol descobriu uma forma de lutar contra a fome no planeta e produziu umas laranjas azuis que podem ser criadas no deserto, mas o amigo de Tintin, que continua a atormentar o capitão Haddock com o seu pequeno problema de audição, termina por ser raptado por um Emir que pretende ficar dono do segredo e assim iremos acompanhar a aventura de Tintin, em terras de Espanha. 

Estamos perante uma película pouco conhecida, com mais de meio-século, que bem merece ser descoberta| 

Rui Luís Lima

Sem comentários:

Enviar um comentário