sábado, 15 de julho de 2017

Taylor Hackford – “Vidas em Jogo” / “Against All Odds”


Taylor Hackford – “Vidas em Jogo” / “Against All Odds”
(EUA -1984) – (128 min. / Cor)
Jeff Bridges, James Woods, Rachel Ward, Jane Greer, Richard Widmark.

Jacques Tourneur, cineasta injustamente esquecido, como referem muitos historiadores do cinema, foi um dos mestres dos filmes de Série-B, trabalhando na RKO, na qual abordou os géneros mais variados, acabando por morrer tal como viveu, ignorado pelo público e pela crítica. É precisamente com o “remake” de “Cat People”, levado a cabo por Paul Schrader, cineasta, argumentista e crítico, com obras escritas sobre Carl Dreyer, Robert Bresson e Yasujiro Ozu, entre outros, que o cinema de Jacques Tourneur foi finalmente revisto e descoberto em toda a sua grandeza, onde ocultar o visível se transforma numa autêntica arte de narrar.


Outro cineasta que fez um “remake” de uma obra de Jacques Tourneur foi Taylor Hackford, oriundo da televisão, tal como James Brooks ou David Ward, optando pelo célebre “Out of the Past”/”O Arrependido”. De referir que, ao contrário de Jacques Tourneur, Taylor Hackford viu o seu nome ser reconhecido por todos, graças à película “Oficial e Cavalheiro” / “An Officer and a Gentleman”, tendo sempre convivido muito bem com a Indústria.


“Vidas em Jogo”/”Against All Odds” de Taylor Hackford apresenta um elemento de ligação com “O Arrependido”/”Out of the Past” de Jacques Tourneur, extremamente interessante, na figura de Jane Green. Na película de Tourneur era a rapariga em fuga e, neste caso do “remake”, surge como a mãe dessa mesma rapariga, também ela em fuga (Rachel Ward). Robert Mitchum é “substituído” por Jeff Bridges, que já não é detective, mas sim um profissional de futebol “dispensado/despedido” da equipa. Quanto a James Woods, surge na figura que era ocupada anteriormente por Kirk Douglas.



Tal como no “original”, se assim se puder falar, o romance, desenvolve-se em parte na América Latina, mas o que Taylor Hackford questiona é a relação poder/corrupção e os meios que por vezes são necessários empregar, a fim de que determinados projectos sejam aprovados, neste caso a urbanização de uma das colinas de Los Angeles. Corrupção que se inicia com a “construção” de resultados desportivos, motivados pelo jogo de apostas que existe em seu redor, com a consequente utilização dos meios necessários à sua continuidade: chantagem, morte e a respectiva cumplicidade do silêncio. Estamos perante uma película que bem merece ser revista através de um olhar sem complexos.

4 comentários:

  1. Gostei do filme e lembro-me dele associado à música - mas queria que tivesse acabado de outra forma.

    um beijinho e um bom Domingo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na época foi um enorme sucesso, possivelmente o maior do cineasta, ao mesmo tempo que lançava definitivamente para altos voos esse grande actor chamado Jeff Bridges. A música foi tão cativante que me levou a ir comprar o álbum do Phil Collins.
      Um beijinho e votos de um excelente domingo!

      Eliminar
  2. Excelente filme, música inesquecível!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até fui comprar o primeiro álbum a solo do Phil Collins;)
      Beijinhos!

      Eliminar