quinta-feira, 6 de julho de 2017

Roman Polanski – “A Noite da Vingança” / “Death and The Maiden”


Roman Polanski – “A Noite da Vingança” / “Death and The Maiden”
(Inglaterra/EUA/França – 1994) – (103 min. / Cor)
Sigourney Weaver, Bem Kingsley, Stuart Wilson.

Se um dia alguém nos perguntar qual o melhor filme de Sigourney Weaver, aquele em que ela demonstra todas as suas potencialidades e entra no corpo da personagem da forma mais intensa e criativa, só poderão ter um nome e esse filme será sempre “A Noite da Vingança” / “Death and the Maiden” de Roman Polanski.


Paulina Escobar (Sigourney Weaver) uma antiga presa política de um país da América Latina, casada com o dirigente progressista Gerardo Escobar (Stuart Wilson), que também conheceu as atrocidades da ditadura do seu país, irão encontrar, numa noite de temporal, a bater à sua porta, um homem discreto e cordial, o Dr. Roberto Miranda (Ben Kingsley), que lhes pede autorização para usar o telefone, em virtude de o seu automóvel se ter avariado.


A vivenda do casal Escobar, encontra-se situada num local isolado perto do mar e enquanto o Dr. Roberto Miranda (Ben Kingsley) conversa com o político Gerardo Escobar (Stuart Wilson), aguardando calmamente a chegada do reboque, a caixa de Pandora das memórias de Paulina Escobar (Sigourney Weaver), começa a abrir-se e ela pensa reconhecer no Dr. Roberto Miranda, o homem que dirigiu o interrogatório onde ela foi vítima das maiores atrocidades. Será ele o seu temível torturador?

Roman Polanski

Essa dúvida atroz irá atormentá-la e fará com que ela o sequestre a fim de obter uma confissão, mas ao longo daquela longa noite em que tudo acontece: a luz falta, as comunicações estão cortadas e a chuva teima em cair, ela e nós ficaremos sempre na dúvida ou certeza de que a vítima encontrou finalmente o seu carrasco, que surge “indefeso” perante ela, revelando-se o marido um juiz de mãos atadas.


No final, cada um ficará com a sua consciência (in)tranquila. Mas cada um poderá ver também com os seus próprios olhos, essa espantosa actriz chamada Sigourney Weaver e o seu fabuloso duelo com Ben Kingsley, que nos oferece de forma soberba o olhar aterrorizado do inocente ou se preferirem o matreiro olhar do carrasco, em busca da salvação.

Também nunca nos podemos esquecer do cineasta responsável pela feitura de “A Noite da Vingança” / “Death and the Maiden”, esse nome incontornável chamado Roman Polanski, que partindo da peça de Ariel Dorfman, nos oferece uma obra-prima do cinema verdadeiramente inesquecível.

7 comentários:

  1. Respostas
    1. Concordo em absoluto, ficamos sempre na dúvida sobre a verdadeira identidade da personagem interpretada por Ben Kingsley, será ele o temível Dr. Roberto Miranda?.
      Beijinhos!

      Eliminar
  2. Não vi este filme, infelizmente. Mas fez-me lembrar outro, de temática semelhante: "O Porteiro da Noite" (1973?), de Joseph Losey, sob argumento de Harold Pinter, com Dirk Bogarde e Charlotte Rampling, que também é "excelente" - para usar o adjectivo de Paula Lima..:)
    Um bom dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vi na época da estreia "O Porteiro da Noite" no saudoso cinema Quarteto e as temáticas são idênticas como bem refere: o encontro entre a vítima e o carrasco e a relação que se estabeleceu entre eles no passado.
      Tomo a liberdade de lhe recomendar este filme e também "A Passageira" de Andrzej Munk, que aborda também o mesmo tema, mas no feminino.
      Desejo-lhe um muito bom dia!

      Eliminar
    2. Tomei nota, muito obrigado.

      Eliminar
  3. Um filme excelente, com uma interpretação brilhante, muito por causa de uma realização brilhante.
    Bfds

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A direcção de actores de Polanski é soberba e depois ficamos sempre na dúvida sonre a verdadeira identidade do Dr. Roberto Miranda, interpretado por Ben Kingsley.
      Desejo-lhe um bom fim-de-semana.

      Eliminar