sexta-feira, 28 de julho de 2017

Quentin Tarantino – “Cães Danados” / “Reservoir Dogs”

Quentin Tarantino – “Cães Danados” / “Reservoir Dogs”
(EUA – 1992) – ( 93 min. / Cor)
Harvey Keitel, Tim Roth, Michael Madsen, Chris Penn, Steve Buscemi, Quentin Tarantino, Lawrence Tierney.

Quando “Cães Danados” / “Reservoir Dogs” viu a luz do dia no Sundance Film Festival em Janeiro de 1992, surpreendeu todos aqueles que o viram e de imediato se falou no nascimento de um autor. Na realidade Quentin Tarantino, que sempre devorou filmes, revelando uma paixão pelas películas de gangsters produzidos em Hong-Kong e Taiwan, ao escrever o argumento de Cães Danados” transportou precisamente esses elementos tão característicos das cinematografias de Hong Kong e Taiwan para o coração da America, ao contar-nos a história de um assalto falhado, a uma ourivesaria, com o intuito de roubar diamantes. Mas a forma como ele nos vai oferecer a história em “flash-back”, conduz a película a esse verdadeiro Olímpio dos Deuses.


Joe Cabot (Lawrence Tierney) o homem para quem trabalha o bando é bem conhecedor do meio e por isso mesmo, decide dar nomes de cores aos seus homens, para assim nenhum deles saber a verdadeira identidade dos membros do bando. Temos assim Mr. White (Harvey Keitel), Mr. Orange (Tim Roth, esse polícia infiltrado no bando, cuja missão é fazer fracassar o golpe), Mr. Blonde (Michael Madsen, o mais violento de todos), Mr. Pink (Steve Buscemi), Mr. Brown (Quentin Tarantino, que será morto durante o assalto) e Nice Guy (Chris Penn).
O assalto à joalharia fracassa e os elementos que restam do bando refugiam-se numa Armazém, perseguidos pelas autoridades policiais levando, no carro da fuga, um polícia, que irá ser torturado de forma bem violenta por Mr. Blonde, ficando célebre a sequência em que lhe é cortada a orelha.


Quentin Tarantino em “Cães Danados” / “Reservoir Dogs”, não só manipula o tempo de forma genial, como trabalha os “flash-back” de forma soberba, oferecendo ao espectador as pistas para as razões que levaram ao fracasso do golpe. Por outro lado introduz a suspeição entre os membros do bando, onde reina a desconfiança, tentando perceber quem é o traidor, conseguindo Quentin Tarantino manter o suspense, à medida que o tempo avança e os criminosos se encontram cada vez mais a beira dessa espiral de violência, que ditará o seu fim.


Ao revermos “Cães Danados” / “Reservoir Dogs”, cujo título nasceu de uma sugestão do dono do videoclube onde Quentin Tarantino trabalhou na juventude, percebemos que a película possui todos esses elementos que, hoje em dia, definem o seu cinema e mesmo sabendo o desfecho, continuamos a seguir com todo o interesse este enredo poderoso e violento, que não consegue deixar indiferente o espectador. 

Sem comentários:

Enviar um comentário