sábado, 22 de julho de 2017

Mark L. Lester - "Comando" / "Commando"


Mark L. Lester – “Comando” / “Commando”
(EUA - 1985) – (90 min. / Cor)
Arnold Schwarzenegger, Rae Dawn Chong, Dan Hendaya, Vernon Welles.

O filme menos conhecido de Arnold Schwarzenegger intitula-se “Comando” e foi realizado por Mark L. Lester. Sendo inevitável comparar este “Comando” com a película “A Fúria do Herói” / “First Blood” de Sylvester Stallone (realizado pelo canadiano Ted Kotcheff) e se “Rambo” deu origem à “Rambomania”, cultivada infelizmente por alguns políticos, este filme em que Arnold Schwarzenegger é protagonista oferece-nos o outro lado das forças especiais de intervenção rápida.


Ele não é um homem como a personagem de “Rambo”, que vive inteiramente ligado ao passado, isolado e perdido entre os seus semelhantes, mas sim um pai, que afastado da sua unidade militar, tal como todos os seus companheiros, vive sossegadamente com a filha, sendo as primeiras sequências o retrato da sua vida familiar e John Matrix (Arnold Schwarzenegger) só irá regressar à actividade de comando devido ao rapto da filha.


Evidentemente a película transporta consigo a acção condutora deste género de filmes, embora não de uma forma gratuita, (como sucede nas películas em que Jean-Claude Van Damme ou Steve Seagal, são protagonistas), já que o humor, uma das habituais marcas de muitos dos filmes interpretados por Arnold Schwarzenegger encontra-se bem presente, dentro desse contexto que iremos descobrir muitos anos depois no filme “Os Mercenários” / “The Expendables”, realizado e protagonizado por Sylvester Stallone, de homenagem aos actores dos filmes de acção e onde o próprio Arnold Schwarzenegger estará também presente.

Mark L. Lester e Arnold Schwarzenegger
durante a rodagem do filme.

O reencontro entre pai e filha e o final de “Comando”, realizado por Mark L. Lester,  não deixaram margem para uma possível continuação, situando-se antes em mais um filme de acção protagonizado por Arnold Schwarzenegger, um actor que ao longo dos anos tem sabido gerir, como poucos, a sua carreira cinematográfica, sobrando-lhe ainda tempo para se dedicar à política, chegando como muitos sabem a Governador da Califórnia, assim como Clint Eastwood, em tempos idos, foi Governador dessa bela cidade chamada Carmel, será que algum deles poderá aspirar à Presidência dos EUA? A resposta é bem simples, porque depois de termos esse actor chamado Ronald Reagan na Presidência da América, que se esquecia das frases no Teatro, como confessou um dia Ida Lupino, tudo é possível na América.

Sem comentários:

Enviar um comentário