quinta-feira, 22 de junho de 2017

Michael Powell – “A Vítima do Medo” / “Peeping Tom”


Michael Powell – “A Vítima do Medo” / “Peeping Tom”
(Inglaterra – 1960) – (109 min. / Cor)
Karl-Heinz Boehm, Anna Massey, Moira Shearer.

 “A Vítima do Medo” será sempre um filme que está acima do género que aborda, o filme de terror ou de psicopatas, porque o seu autor se chama Michael Powell. Na época, o filme de terror arrastava o público para as salas de cinema mas o cineasta pretendia, acima de tudo, oferecer-nos uma visão bem diferente do habitual, ao apresentar-nos uma personagem vítima da infância, já que fora o seu pai, um psiquiatra, que lhe incutira ao longo dos anos o sentimento do medo e do desejo, fazendo experiências com o filho, ainda criança, ao mesmo tempo que o filmava. Aliás será extremamente curioso o facto da figura do pai ser interpretada pelo próprio cineasta, que estava profundamente seduzido pelo argumento de Leo Marks.


Michael Powell refere-se desta forma à película: «“Peeping Tom” é um filme muito terno. Quase romântico. Fiquei logo fascinado pelo assunto. Senti-me muito próximo do protagonista, que é um realizador “absoluto”, alguém que aborda a vida na perspectiva de um realizador, tem consciência disso e por isso sofre. Ele é um técnico da emoção. E eu sou uma pessoa fascinada pela técnica, constantemente a montar, mentalmente, as cenas que se passam diante de mim na rua, por isso consegui partilhar a angústia do protagonista.»


Recorde-se que Mark Lewis (Karl-Heinz Boehm numa memorável interpretação) utiliza uma câmara de 16 mm para filmar a morte violenta das suas vítimas, oferecendo-lhes através de um espelho a visão desse momento atroz, a fim de levar até ao limite o seu voyeurismo assassino. A câmara que usa possui um estilete que utiliza para as matar, geralmente mulheres que encontra na rua a exercerem a sua “profissão” e que ele convida para o seu quarto.
Mas um dia os seus “sentimentos/impulsos” mórbidos serão fortemente perturbados, quando se cruza com a sua vizinha (Anna Massey) a quem conta as práticas psiquiatras do pai com ele, mostrando-lhe os filmes de infância.
O amor que começa a sentir pela jovem perturba a sua mente assassina, até que chega esse dia em que só lhe resta o suicídio, para fugir ao mal que lhe perturba a alma, usando a própria arma do crime, quando a polícia descobre finalmente a sua identidade.


Muito mal recebido na época, “A Vítima do Medo” / “Peeping Tom” foi o derradeiro filme de um dos mais fascinantes cineastas britânicos, uma das personagens mais admiradas por Martin Scorsese no universo da Sétima Arte, que nos deixou obras imortais como “Os Sapatos Vermelhos” / “The Red Shoes” e “Quando os Sinos Dobram”./ “The Black Narcissus”.

3 comentários:

  1. Um filme muito mal recebido que terminou com a carreira cinematográfica de Michael Powell!

    ResponderEliminar
  2. Vi este filme há muitos anos, ainda era criança e talvez por isso não gostei assim muito

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Durante muitos anos ouvi e li sobre esta película e só quando foi o ciclo dedicado ao Michael Powell na Cinemateca tive oportunidade de o ver e confesso que fui surpreendido pelo tema, bem diferente do habitual na época em que foi feito.
      Já o revi duas ou três vezes e apesar de me incomodar a visão dos filmes do pai do protagonista, reconheço a genialidade de Michael Powell.
      Muito boa noite e um Beijinho!

      Eliminar