terça-feira, 6 de junho de 2017

John Badham – “Com Asas nos Pés” / “American Flyers”


John Badham – “Com Asas nos Pés” / “American Flyers”
(EUA - 1985) – (113 min. / Cor)
Kevin Costner, David Grant, Rae Dawn Chong, Alexandra Paul.

Quando John Travolta surgiu em "Febre de Sábado à Noite" / “Saturday Night Fever”, o sucesso do público e o desagrado de certa crítica fizeram-se sentir. Travolta tornou-se um ídolo de uma determinada camada de espectadores e o fundo social encoberto na película acabou por não se fazer sentir. John Travolta, apesar de terrivelmente bem parodiado em "O Aeroplano" / “Airplane” dos irmãos Zucker, acabou por demonstrar o seu talento no pouco conhecido "Blow Out" de Brian de Palma, depois foi a história que todos conhecemos, apostas em filmes errados, que o levariam a fazer a sua longa travessia do deserto, até que Quentin Tarantino lhe relançou a carreira com "Pulp Fiction" e o enviou de novo para a ribalta; desta vez John Travolta não voltou a cometer os mesmos erros, sendo o actor que todos conhecemos e admiramos.


Mas eu queria era falar de um outro John... o Badham sim. o cineasta do "Saturday Night Fever", que iniciou a sua carreira na TV, como muitos dos cineastas da sua geração, Arthur Penn, Sydney Lumet, William Friedkin entre outros e que foi um ilustre desconhecido para grande parte da crítica cinematográfica, até ser "descoberto" como autor, após a feitura de "Operação Thor" / "Blue Thunder" e "Jogos de Guerra" / "War Games", duas obras de antecipação política/social, colocando o dedo na ferida transportada pelo território terrestre: a autodestruição (Jogos de Guerra) e a perda da privacidade (Operação Thor). John Badham tornou-se um cineasta aclamado e pelo caminho ficaram "De Quem é a Vida Afinal?" / “Whose Life Is It Anyway?”, com uma interpretação fabulosa de Richard Dreyfuss, mas também o “remake” americano do famoso filme “Nikita” de Luc Besson, sendo a assassina a Bridget Fonda, a excelente comédia "Bird on the Wire" / "Na Corda Bamba" em que as meninas gostaram imenso de ver a Goldie Hawn a tratar do Mel (na época em que Mel Gibson era um actor que arrastava multidões), mas acima de tudo o meu filme favorito "Nick of Time" / “Minutos Contados”, uma excelente homenagem a Alfred Hitchcock, onde todo o vocabulário do Mestre é usado com uma verdadeira paixão cinéfila e possuindo em Johnny Deep e Christopher Walken uma dupla imbatível, aliás já escrevi sobre o filme aqui.


John Badham, que se iniciou como já dissemos na TV em 1969, regressou a ela em 1999 e por lá tem permanecido, esquecido de muitos, como sucede a um dos maiores cineastas americanos vivos, de seu nome Peter Bogdanovich, que continua a trabalhar na TV para sobreviver.
Durante as três décadas em que deu cartas nos Estúdios, John Badham abordou os mais diversos géneros, como já referimos, mas um dos seus filmes menos conhecidos é "American Flyers" / "Com Asas nos Pés", apesar de possuir no seu elenco Kevin Costner, antes de este ter decidido ser realizador e como estamos nas vésperas da Volta à França, nada melhor do que recordar este filme um pouco esquecido.


Ao realizar "Com Asas nos Pés", John Badham regressa ao drama, na boa tradição de certo cinema clássico, tendo como pano de fundo o ciclismo e a famosa prova "Infernal do Oeste". Todo o espaço da película joga no confronto/amizade de dois irmãos amantes do ciclismo, mas perseguidos por uma doença no sangue.
Marcus (Kevin Costner) e David (David Marshall Grant) terminam por fazer uma corrida contra o tempo, mas também contra a morte. David vence a sua partida, vencendo a corrida e conquistando o amor de Becky (Alexandra Paul - a ecologista perdida na natureza); Marcus que já conhecia o amor, acaba a lutar com a doença que o invade.

John Badham

Película de sentimentos perdidos e reencontrados, "Com Asas nos Pés"/"American Flyers" ensina-nos que o cinema também é feito de histórias simples, construídas diariamente ao correr do tempo.

Recordar filmes e cineastas esquecidos, que cada vez mais passam no pequeno écran ou surgem em dvd é uma aventura por vezes bastante aliciante, para quem gosta de escrever sobre cinema, especialmente quando vimos os filmes há décadas nas salas de cinema, nessa época em que se estava na fila para comprar bilhete e depois, antes de chegarmos à bilheteira, acendia-se a luz de lotação esgotada, ou a luta por um bilhete nas Sessões de Cinema da Gulbenkian e da Cinemateca…

2 comentários:

  1. Em vésperas de um Tour, nada com um bom filme!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este filme do John Badham abre mesmo o apetite para se acompanhar o Tour!

      Eliminar