sexta-feira, 2 de junho de 2017

Ben Stiller – “Tempestade Tropical” / “Tropic Thunder”


Ben Stiller – “Tempestade Tropical” / “Tropic Thunder”
(EUA – 2008) – (107 min. / Cor)
Ben Stiller, Robert Downey Jr. Jack Black, Nick Nolte, Matthew McConaughey, Tom Cruise, Steve Coogan.

“Tempestade Tropical” / “Tropic Thunder” é uma hilariante comédia escrita por Ben Stiller, Justin Theroux e Ethan Coen, que nos contam a inacreditável rodagem de um filme de guerra tendo por palco o Vietname. E, como não podia deixar de ser, as referências a “Apocalipse Now” de Francis Ford Coppola são inúmeras, tal como ao “Making of” da película, realizado por Fax Bahr e George Hickenlooper, intitulado “Hearts of Darkness: A Filmmaker’s Apocalipse”, um dos mais importantes documentários feitos até hoje sobre a rodagem de um filme.


O pequeno grupo de combatentes, liderado por Tugg Speedman (Ben Stiller), invoca desde logo o grupo de militares de “Apocalipse Now”, onde iremos encontrar um irreconhecível Robert Downey Jr., que aqui interpreta o actor australiano Kirk Lazarus, que no filme faz de negro, veja-se a forma como ele fala, assim como o seu tom de pele e o cabelo. O filme é realizado pelo cineasta inglês Damien Cockburn (Steve Coogan), que se encontra permanentemente à beira de um ataque de nervos, sempre em conflito com a estrela do filme. Por outro lado o argumentista da película que se encontra bem presente durante a rodagem é um homem sem mãos, antigo militar no Vietname, Four Leaf Tayback (Nick Nolte), que mais tarde iremos descobrir que afinal tem mãos e nunca esteve no Vietname, tendo cumprido o serviço militar na Guarda Nacional.


Mas esta comédia soberba vai também dar-nos os bastidores de Hollywood e a forma de agir dos produtores e agentes, através da figura do produtor Les Grossman (um Tom Cruise irreconhecível, gordo e careca, que tornou tão célebre a personagem que interpreta aqui, que até a fez renascer numa das entrega dos prémios MTV). Já o agente da estrela cinematográfica, Rick Peck (Matthew McConaughey), oferece-nos de forma perfeita a figura do agente cinematográfico, sempre pronto a aceitar todos os caprichos da sua vedeta, ao mesmo tempo que tudo faz para levar o filme até porto seguro, porque melhor do que ninguém, ele sabe como é importante a sua comissão.


Ao ver que tudo corre mal, o realizador da película, decide avançar com o filme usando câmaras minúsculas, montadas na selva, fazendo avançar o grupo de actores que, seguindo o guião, continuam a sua viagem pela perigosa selva, surgindo de imediato os desentendimentos que levarão à separação do grupo, seguindo cada um o seu caminho, acabando o actor principal do filme, Tugg Speedman (Ben Stiller), por ficar prisioneiro de traficantes de droga que operam na zona e que acabam por descobrir a sua verdadeira identidade, porque o único filme que é visto no acampamento é uma anterior película do actor que guardam religiosamente numa cassete de VHS, decidindo o chefe do bando (uma criança que evoca com humor a personagem de “Karate Kid”), pedir um resgate de milhões ao produtor do filme, Les Grossman (Tom Cruise), que de imediato recusa fazer o pagamento.


Os restantes membros do grupo, sempre em conflito permanente, ao chegarem ao local onde se encontra prisioneiro a vedeta, decidem atacar o acampamento, com a ajuda do técnico de efeitos especiais e libertar o seu colega de profissão, numa sequência que mais uma vez evoca o célebre filme de Francis Ford Coppola, “Apocalipse Now”, rodeando a acção de um humor único, que inevitavelmente contagia o espectador, surgindo também uma sequência retirada de “Platoon” de Oliver Stone.

Robert Downey Jr. e Tom Cruise irreconhecíveis e hilariantes
oferecem-nos interpretações inesquecíveis!

Ben Stiller oferece-nos em “Tropic Thunder” / “Tempestade Tropical”, uma película verdadeiramente surpreendente, mas que deve muito ao perfeito argumento, recheado de humor e mordacidade, não só pela forma como retrata os meandros de Hollywood, produtor e agente, assim como nos relata a história de uma rodagem mirabolante, ao mesmo tempo que nos convida a viajar pela memória do cinema.

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Concordo em absoluto, andamos sempre de surpresa em surpresa com uns diálogos e um argumento verdadeiramente genial!
      Beijinhos!

      Eliminar
  2. Eu peço desculpa, mas há por aqui dois actores que me fazem "alergia"..:-)
    O Ben Stiller, talvez porque há filmes a mais, dele, nos canais de cabo;
    e o Tom Cruise, talvez pela Cientologia... Mas isto não é senão uma impressão subjectiva e superficial.
    Votos de um bom dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confesso que não sou grande fan das comédias que se produzem neste século XXI e vi este filme por mero acaso, porque também não sou grande fan do Ben Stiller e o facto de ele ser o realizador e um dos argumentistas temi o pior, no entanto estava bem enganado, porque o filme está repleto de referências cinéfilas, incluindo ao cinema clássico e a loucura cinematografica que vamos descobrindo fez-me recordar a primeira película de John Landis, "O Filme Mais Maluco do Mundo" e o "Mad World" de Stanley Kramer. Já no que diz respeito a Tom Cruise, que investiu muito na personagem que interpreta no filme, reconheço que é um grande actor, mas a sua devoção ao culto da Cientologia, dá-me calafrios, especialmente depois de ter lido o livro de Andrew Morton intitulado "Tom Cruise - a biografia não autorizada", um excelente trabalho de investigação. Mas como faço com o Woody Allen, desde o caso da separação da Mia Farrow, aplico a mesma "visão" a Tom Cruise, separo o homem do actor.
      A diversidade de opiniões faz parte do enriquecimento que adquirimos ao longo da vida e estimo imenso a sua opinião seja qual for o assunto abordado.
      Agradeço a sua visita e comentário e desejo-lhe um bom fim-de-semana!

      Eliminar