sábado, 15 de abril de 2017

Roberto Rodriguez – “Era Uma Vez no México” / “Once Upon a Time in Mexico”


Roberto Rodriguez – “Era Uma Vez no México” / “Once Upon a Time in Mexico”
(EUA – 2003) – (102 min. / Cor)
Antonio Banderas, Salma Hayek, Johnny Depp, Willem Dafoe, Ruben Blades, Mickey Rourke, Eva Mendes.

Muitos de nós ainda se recordam do sucesso extraordinário da primeira película mexicana de Roberto Rodriguez, o célebre “El Mariachi”, um filme feito com a ajuda de alguns amigos, um orçamento minúsculo e actores praticamente amadores, que simplesmente gostavam de filmes. O sucesso internacional da película chegou a Hollywood e de imediato os Estúdios viram por ali uma enorme fonte de rendimento, já que Roberto Rodriguez afigurava-se como o homem dos sete instrumentos, pois ele tratava de tudo no seu “El Mariachi” de forma soberba.


E de imediato nasceu “Desperado”, usando a mesma “partitura” do inesquecível “El Mariachi”, mas com os célebres ingredientes de Hollywood e, melhor do que ninguém, Antonio Banderas foi o escolhido e até deu um ar da sua graça , embora muitos, entre os quais me incluo, preferissem o genial original mexicano, de baixo orçamento, ao “remake” americano dos Estúdios Americanos. Mas o sucesso surgiu e a carreira de Roberto Rodriguez estava lançada, seguindo-se um divertimento para toda a família chamado “Spy Kids”, que se foi multiplicando a pedido dos Estúdios, mas que nada abonava a favor do cineasta, que entretanto decide com o amigo Quentn Tarantino fazer nascer o divertido “Aberto Até de Madrugada” / “From Dusk Till Dawn”, em que Tarantino assinava o argumento para além de oferecer o corpo como actor, durante a primeira parte da película, ao lado de George Clooney. Estávamos perante uma dessas obras que por serem tão irreais terminavam por ser divertidas. Mas os Estúdios insistiram em fazer uma trilogia do “El Mariachi” e assim iria nascer “Era Uma Vez no México” / “Once Upon a Time in Mexico”.


Como não podia deixar de ser, Antonio Banderas foi convocado de novo para o elenco que se afigurava de luxo, pois tínhamos Willem Dafoe e Ruben Blades por lado, sempre excelentes, por muito mau que seja o filme e por outro lado Johnny Depp e Mickey Rourke que aqui até seria preferível ficarem de férias e a terminar as duas senhoras Salma Hayek e Eva Mendes, a primeira excelente, a segunda dispensável, mas a produção assim quis e depois temos as explosões ou se preferirem os efeitos especiais barulhentos, para colmatar a falta de ideias do argumento, que teima em repetir uma receita vista e revista ao longo dos filmes de série-B, muitos deles muito mais interessantes que este “Era Uma Vez no Mexico” / “Once Upon a Time in Mexico”, cujo título ainda por cima tenta ser um pouco cinéfilo, numa homenagem ao cinema de Sergio Leone.

Na verdade, se deseja conhecer a arte de Roberto Rodriguez nada melhor do que descobrir o original “El Mariachi”!

Sem comentários:

Enviar um comentário