sábado, 22 de abril de 2017

John Glen – “Alvo em Movimento” / “A View to a Kill”


John Glenn – “Alvo em Movimento” / “A View to a Kill”
(Inglaterra/EUA - 1985) – (131 min. / Cor)
Roger Moore, Christopher Walken, Grace Jones, Tanya Roberts, Patrick MacNee.


"A miúda de James Bond
Está na cama, com
Um pesadelo durante
uma trovoada
Todas as folhas caíram"

David Shapiro


Os elementos do team "Missão Impossível" nunca inspiraram a “Beat Generation”, mas James Bond sim, que o diga David Shapiro, mas o que nos trás aqui é um filme específico de Mister Bond, que ficou ligado à música dos Duran Duran, é claro que preferimos os Human League ou os Japan de David Sylvian, no entanto ao vermos o dvd dos Duran Duran por aí, foi "A View to Kill" que nos veio à memória com essa inesquecível "escrava do ritmo" chamada Miss Grace Jones!


Aqueles que viram "Nunca Mais Digas Nunca" / “Never Say, Never Again”, com Sean Connery a assumir o envelhecimento do agente 007 pensaram, certamente, estar perante o epílogo possível e desejado de uma série que emocionou plateias por esse mundo fora. Porém as aventuras do James Bond continuaram, apenas os seus intérpretes foram mudando e Roger Moore versus Grace Jones/Chris Walken foi talvez um dos filmes mais interessantes de todos, e rever a película no dvd ou na televisão por cabo (*) é na verdade aliciante.


Desta vez James Bond luta contra Max Zorin (Christopher Walken - actor multifacetado como comprovaram as suas performance em filmes de cineastas tão diferentes como  Michael Cimino ou Abel Ferrara, passando por Herbert Ross), que se pretende apoderar da Indústria Electrónica, obtendo assim o domínio do Planeta.
O seu plano situa-se na destruição de Silicon Valley, o coração electrónico da América, através de um sismo provocado. Evidentemente Max Zorin é um antigo agente do KGB (como era moda na época), em busca do poder pessoal, auxiliado por Mat Day (a Miss Grace Jones) que oferece os seus músculos (e não só) ao jovem industrial, amante de corridas de cavalos.


As habituais Bond Girls não podem faltar e desta feita a “gatinha” eleita seria Stacey Sutton (Tanya Roberts - um dos "Anjos de Charlie” da famosa série de televisão), que acabará por ser a já habitual aliada de James Bond, no duelo com a dupla Max/Mat Day.
Um dos principais atractivos do filme são as habituais perseguições (sem as explosões e montagem frenética de um John Woo, hoje em dia tão na moda), destacando-se a da Torre Eiffel que originou o conhecido video-clip dos Duran Duran.


Esta película assinada pelo sempre excelente John Glen é para nós o “cult-movie” por excelência do mais famoso espião britânico, devido a todos os elementos que o integram, incluindo esse gentleman chamado Patrick MacNee (recordam-se dele ao lado da Diana Rigg, na série de televisão “os Vingadores”?).
Embora a idade não perdoe, o Roger Moore que o diga, a sofisticação deste Agente de Sua Majestade é uma verdadeira delícia para o olhar da memória do cinema.

2 comentários:

  1. Os filmes de mr Bond são na maioria muito interessantes.
    Abraço e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Roger Moore é o nosso James Bond preferido, porque alia a acção, ao humor e ao carisma da personagem.
      Bom fim-de-semana!

      Eliminar