quarta-feira, 26 de abril de 2017

Francis Ford Coppola – “Rumble Fish”


Francis Ford Coppola – “Rumble Fish”
(EUA – 1983) – (93min.- P/B - Cor)
Matt Dillon, Mickey Rourke, Diane Lane, Dennos Hopper, Nicolas Cage, Chris Penn, Vincent Spano.

"Rumble Fish" são peixes siameses que atacam a sua própria imagem quando ela é reflectida. Mas também é a película que Francis Coppola (*) realizou logo após a feitura de "Os Marginais" / “The Outsiders”, que tantas revelações nos ofereceram (**).
E se em "Os Marginais" / “The Outsiders”, a sombra de Nicholas Ray e o seu "Fúria de Viver" / “Rebel Without a Cause”, estava suspensa no espaço, já em "Rumble Fish" é toda a memória cinéfila de Nick Ray e Jimmy Dean que se descobre, na respiração de cada fotograma.


Neste filme a preto e branco, só os peixes são possuidores de cor, já que o rapaz da moto – The Motorcycle-Boy (Mickey Rourke), o irmão mais velho de Rusty James (Matt Dillon), é daltónico e o mundo para ele é a preto e branco e sem som. (***)
Ele, o anjo, que acabou com a guerra entre bandos, que Rusty James quer continuar. Ele que nasceu no tempo errado, na margem errada do rio. Ele que não pertence àquele mundo, que é um “Free Bird” na sua mota, em busca das águas do oceano na costa Californiana. Termina por ser o elemento perseguido, num mundo que não aceita a diferença.


"Rumble Fish" é uma história de jovens que se mortificam violentamente de uma forma angélica. Já não é a luta entre "pipis" e "brilhantinas" de "Os Marginais" / “The Outsiders”, mas sim o beco e a sufocação a que chegou àquela juventude, elegendo como herói o rapaz da moto, aquele que possui o conhecimento da verdade!


Tendo em conta a relação de "Rumble Fish" com "Os Marginais" / “The Outsiders”, ambos da autoria da escritora S. E. Hinton, será curioso estabelecer comparações entre os dois registos, mas tendo sempre em conta que Francis Coppola trabalhou o argumento de "Rumble Fish" com a escritora, ao contrário do primeiro filme, ao mesmo tempo que é notória a influência do cineasta Godfrey Reggio em algumas sequências.



Contribuindo para a ligação com "Fúria de Viver", encontramos a figura de Dennis Hooper (actor no filme de Nick Ray e amigo pessoal de James Dean), o pai dos jovens rebeldes, ausente/presente no lar, embriagado mas detentor da razão. Ele e o empregado do bar (um fabuloso Tom Waits) são o único elo positivo que os jovens têm com o mundo dos adultos, mundo esse personificado no polícia que persegue o rapaz da moto até o matar, embora este consiga com a sua morte passar o testemunho do conhecimento ao seu irmão mais novo Rusty James (Matt Dillon), que parte na sua Yarley, depois de ter dado a liberdade do rio aos Rumble Fish, prisioneiros do aquário, percorrendo os mesmos locais visitados pelo irmão, até  atingir a tão ambicionada liberdade, ao conquistar as águas do oceano Pacifico, que navegam ao longo do seu novo lar Californiano.



(*) - Curiosamente nas chamadas "obras menores", vulgo pequeno orçamento, o cineasta assina Francis Coppola, já nas obras produzidas pelos Grandes Estúdios ou Grande Produções opta por Francis Ford Coppola.
(**) - Tom Cruise, Matt Dillon, Diana Lane, Rob Lowe, Patrick Swayze, Ralph Macchio e Emilio Estevez são alguns dos nomes. Mickey Rourke também se apresentou no “casting”, mas Coppola não o aceitou devido à sua idade, prometendo-lhe que não se esqueceria dele no próximo filme...e assim aconteceu.
(***) – Procurem a fabulosa banda sonora criada por Stewart Copeland (baterista dos Police) para este filme!


2 comentários:

  1. O que aqui apareceu agora!!!
    O filme que deu a conhecer Mickey Rourke.
    Com o selo de qualidade Coppola.
    The motorcycle boy reigns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para que a memória não se perca na passagem das horas.
      Um abraço!

      Eliminar