segunda-feira, 27 de março de 2017

Keith Jarrett - "Arbour Zena"



Keith Jarrett
“Arbour Zena”
ECM Records

Tenho que confessar que este é um dos meus álbuns favoritos de Keith Jarrett e o primeiro vinil que comprei da ECM Records. Descobri “Arbour Zena” no programa de Rádio “Forum”, da responsabilidade do saudoso Jorge Lopes(*), que para além de ser a mais famosa voz da RTP na área das transmissões de Atletismo, foi também na Rádio o maior divulgador da música da ECM Records no século passado.

Ao iniciarmos a audição deste intemporal trabalho discográfico de Keith Jarrett, datado de 1976 e que recentemente teve uma nova edição, somos invadidos pela cordas da “Radio Symphony Orchestra” de Stuttgart, dirigida por Mladen Gutesha e depois surge-nos o piano de Jarrett pontuando o movimento das cordas, até chegar o contrabaixo de Charlie Haden, que irá convidar a orquestra de cordas a navegar pelas linhas que vai elaborando, sempre acompanhado de forma envolvente e melodiosa pelo piano de Keith Jarrett, ao longo de “Runes”, passando por momentos de um solo mágico e inesquecível, até chegar o saxofone de Jan Garbarek a concluir a primeira viagem deste trabalho discográfico.

Já o segundo tema do álbum “Arbour Zena”, dedicado a Pablo Casals and The Sun e intitulado “Solara March”, surge de forma profundamente melancólica com uma abertura soberba do contrabaixo de Charlie Haden, sempre acompanhado pela orquestra de cordas e só depois nos irá surgir o piano de Jarrett a respirar melancolia por todas as teclas, entrando num soberbo diálogo com Haden, mas quando estamos a chegar a metade deste tema, o piano de Keith Jarrett surge em crescendo e entra o saxofone de Jan Garbarek, repleto de vivacidade e cor, que irá contagiar os restantes intervenientes, sempre numa perfeita harmonia.

A terceira peça deste genial “Arbour Zena” irá contar apenas com a participação de Keith Jarrett no piano e Jan Garbarek nos saxofones soprano e tenor, acompanhados pela respectiva Orquestra de Cordas, dirigida por Mladen Gutesha, que nos irá oferecer ao longo da quase meia-hora do tema “Mirrors” uma inesquecível viagem por um universo neo-romântico, convidando o ouvinte a contemplar o mundo que o rodeia, através de acordes de uma beleza transcendental.
O romantismo que respira das três faixas que compõem “Arbour Zena” levou-nos a elegê-lo como o ponto de partida da viagem musical desta semana: o encontro entre o jazz e a denominada música erudita, nessa bela encruzilhada, que muitas vezes nos conduz a maravilhosas descobertas.


Keith Jarrett – Piano.
Jan Garbarek – Tenor Saxophone, Soprano Saxophone.
Charlie Haden – Bass.
Membros da Radio Symphony Orchestra, Stuttgard, dirigidos pelo Maestro Mladen Gutesha.

1 – Runes – 15:20
2 – Solara March – 9:40
3 – Mirrors – 27:47

Duração: 52:59
Ano: 1976
Edição: LP/CD

Gravado em Outubro de 1975 no Tonstudio Bauer, Ludwigsburg, por Martin Wieland. Capa de Rolf Liese. Layout de Dieter Bonhhorst. Produzido por Manfred Eicher. Todas as composições são da autoria de Keith Jarrett. Charlie Haden apenas toca nos temas 1 e 2. Todas as faixas são alvo de uma dedicatória do pianista: “Runes” (Dedicated to The Unknown); “Solara March (Dedicated to Pablo Casals and the Sun); “Mirrors” (Dedicated to My Teachers).

(*) – De Jorge Lopes e do seu programa “Forum” iremos falar em breve nas Crónicas da Galaxia.

2 comentários: