sexta-feira, 24 de março de 2017

Crónicas da Galaxia - Grace Kelly


Durante anos a Princesa aqui de casa falou-me na película “High Society” / “Alta Sociedade”, realizado por Charles Walters e com um trio de luxo constituído por Grace Kelly, Frank Sinatra e Bing Crosby, sendo esta película o “remake” musical do famoso “Casamento Escandaloso” / “The Philadelphia Story” de George Cukor, com Katherine Hepburn, Cary Grant e James Stewart nos protagonistas. Aliás recordo-me de ter visto ambos os filmes no canal de cabo TCM – Turner Classic Movies, mas o dvd nunca o tinha encontrado e não é que um dia destes o descobri numa grande superfície e de imediato o comprei, sem olhar para as especificações do dvd. Eu que me considero uma pessoa avisada no que diz respeito à compra de dvds (onde tantas vezes se compra gato por lebre), estava tão contente que nem reparei no denominado aspecto ratio do dvd e ofereci feliz o filme à Princesa. Quando o fomos visionar, o meu coração quase parou ao ver as imagens no écran: o formato está errado!


Mas a editora espanhola não engana ninguém, diz no verso, preto no branco, que o formato é 4/3 – 1.33:1 quando deveria ser widescreen 1.85: 1 ou seja traduzindo para linguagem corrente vamos ver o filme completamente cortado, em que se chega a escutar os protagonistas a conversar numa sala, mas não os vemos porque se encontram nos extremos do écran no filme e o formato corta-os ou seja, para explicar melhor, faltam as célebres barras que surgem quando os filmes são em scope. E basta ver as primeiras imagens com o “pobre do Louis Armstrong e os rapazes da sua banda a quererem sair de dentro do televisor” para percebermos de imediato o que se passa. E como não podia deixar de ser quando olho para este dvd, penso “com os meus botões” que a Grace Kelly não merecia isto!


E como a memória é uma caixinha de pandora que se vai abrindo, recordei-me de uma Exposição que vi em Paris no Hotel de Ville, já lá vão uns anos, em que a Estrela de Cinema que se transformou em Princesa nos surgia a contar o seu conto de fadas.
Mal entrávamos numa das salas do Hotel de Ville encontrávamos um écran em que era possível ver as suas participações nos três filmes que rodou para Alfred Hitchcock, já num outro écran ao lado descobríamos outros filmes em que ela foi protagonista, assim como imagens de capas de revistas da época em que a sua célebre beleza abrilhantava as edições. Mas tudo isto debaixo do olhar do Mestre do Suspense, que nos espreitava de uma janela colocada junto do tecto da sala. Alfred Hitchcock não podia faltar! Em outros écrans era também possível ver antigos “home-videos” de Grace Kelly onde já era bem patente a sua interacção com a câmara, que quase nos dizia que aquela criança estava destinada a grandes voos ou seja a ser primeiro Estrela de Cinema e depois Princesa!

E se bem me lembro a Exposição, estava repleta de elementos do sexo feminino que adoravam o célebre guarda-roupa que todos a vimos a usar nos filmes atrás referidos, para além das célebres jóias, recordam-se certamente to filme “Ladrão de Casaca” / “To Catch a Thiefe” e do célebre gato, ladrão de jóias (Cary Grant) e como” não há duas sem três”, também as famosas malas Hermés ali estavam presentes, para grande deleite dos visitantes. Depois ainda tínhamos um enorme registo fotográfico da sua vida como Princesa do Mónaco, esposa do Príncipe Ranier e mãe dos três filhos que nasceram do seu casamento.


A péssima edição espanhola de “High Society”, que anda por aí à venda, não merece a vossa atenção, mesmo que esteja em destaque. Nos dias de hoje, em pleno século xxi, tanto a Sétima Arte como a inesquecível Grace Kelly não mereciam ser assim tão maltratados!

Nota: Se possui o dvd do filme “A Intérprete” de Sydney Pollack, poderá ver o próprio cineasta nos extras (making of) a queixar-se deste género de edições que manipulam as películas a seu belo prazer (pan and scan), demonstrando ele, com imagens do seu filme, o que sucede. No caso concreto de “A Interprete” o assassino, no quarto da personagem interpretada por Nicole Kidman, desaparecia do écran.

2 comentários:

  1. Um dos meus filmes favoritos! Uma das mais belas exposições no Hotel de Ville!
    Regras de filmes que devem absolutamente ser respeitadas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente a mediocridade permanece em alta. O filme de Charles Walters merecia uma edição condigna.
      Boa Tarde!

      Eliminar