quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Steven Spielberg – “Guerra dos Mundos” / “The War of the Worlds”


Steven Spielberg - "Guerra dos Mundos" / "War of the Worlds"
(EUA - 2005) - (116 min. / Cor)
Tom Cruise, Tim Robbins, Dakota Fanning, Miranda Otto, Justin Chatwin.

Quando Steven Spielberg e Tom Cruise anunciaram em conjunto a feitura de ”Guerra dos Mundos” / ”War of the Worlds”, poucos falaram na memorável emissão radiofónica de Orson Welles e muito menos no livro do outro Wells… H.G.


Estávamos, assim, na época da estreia do filme, perante dois dos homens mais poderosos de Hollywood (como muitos escreveram) decididos a unirem esforços para levar a bom termo a grandiosa aventura de “Guerra dos Mundos” e numa altura em que se comemoravam os trinta anos da criação do fenómeno blockbuster com “Tubarão” / “Jaws”, acabamos por verificar o regresso de Steven Spielberg às origens, já que a fonte mágica de “Jaws” (re)nasceu para “War of the Worlds”  ou seja o “wonder-boy” regressa ao seu ponto mais alto, depois do insucesso crítico e de bilheteira de “The Terminal” / ”Terminal de Aeroporto”.
O livro de H.G. Wells continua a ser pouco lido “por cá”, por acaso já repararam que um livro escrito há mais de cem anos, conseguiu cinquenta anos depois da sua escrita espalhar o pânico na América, através da emissão radiofónica de Orson Welles e cem anos depois tornar-se o maior sucesso cinematográfico desse verão, o livro de H.G. Wells terá forçosamente de ser uma obra-prima da Literatura, apesar de alguns considerarem este um género menor. Mas regressando ao cinema, também não nos podemos esquecer desse produtor/realizador chamado George Pal que levou pela primeira vez ao grande écran a obra de H. G. Wells, o realizador escolhido foi Byron Haskins, sendo os principais intérpretes Gene Barry e Ann Robinson, certamente estes dois últimos nomes pouco dizem a muitos, mas Steven Spielberg não se esqueceu deles e cinquenta anos depois convida-os para a nova versão de “Guerra dos Mundos” / ”War of the World, eles são (como não poderia deixar de ser) os avós daquelas duas crianças que chamam daddy ao Tom Cruise ou direi antes Ray, já que Robbie (Justin Chatwin) não lhe reconhece “autoridade” para ser o pai.


Steven Spielberg, mais uma vez, oferece-nos uma família não nuclear, tal como sucedia em “E.T” ou “Encontros Imediatos de Terceiro Grau” que constituem com esta película uma das melhores trilogias de ficção-científica. Desta feita Ray Ferrier (Tom Cruise) é um elemento da classe trabalhadora, que faz de New Jersey o seu território, esse mesmo território que a sua ex-mulher e filhos odeiam. Para já não falarmos na falta de autoridade paternal, bem manifesta, pelos dois filhos, até que algo de estranho começa a nascer vindo do interior da Terra e desta feita não há Jules Verne para os salvar!!! Os Extraterrestres ou Aliens, se preferirem, atacam não vindos do espaço, mas sim do interior da Terra, decididos a conquistar o Planeta sem qualquer contemplação e a batalha anuncia-se impossível, já que os meios são perfeitamente insuficientes perante a tecnologia desconhecida vinda de outro mundo.


“Guerra dos Mundos” / “The War of the Worlds” é um dos grandes filmes de Steven Spielberg apesar de, no início, a personagem de Tom Cruise nos oferecer o eterno adolescente, mas que irá crescendo perante nós e também aos olhos do seu filho Robbie, representante daquele espírito heróico tão apreciado nos States e que faz as delícias dos adolescentes (um dos pontos fracos da película), mas já a personagem desse fenómeno chamado Dakota Fanning (Rachel) é espantoso (embora por vezes ela tenha falas típicas de adulto, num verdadeiro erro de argumento). Depois temos a acção no filme e aqui Steven Spielberg é de um realismo espantoso, não só como os Aliens funcionam, mas também a forma como caracteriza a magnifica interpretação de Tim Robbins que, refugiado no seu abrigo improvisado e na sua loucura crescente, planeia a forma como combater o invasor.


Steven Spielberg mais uma vez contou com a ILM de George Lucas, essa Instituição dos efeitos especiais que ofereceu novos mundos ao Cinema. Estamos assim perante um dos grandes filmes de ficção-cientifica da História do Cinema, assinado por um surpreendente Steven Spielberg e mesmo quando revemos o filme muitos anos depois continuamos a exclamar: Isto é Cinema!!!!

2 comentários: