terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Pedro Almodóvar – “Fala Com Ela” / “Hable Com Ella”


Pedro Almodóvar – "Fala Com Ela" / "Hable Com Ella"
(ESPANHA – 2002) – (112 min. – Cor - P/B)
Javier Camara, Dario Grandinetti, Leonor Walting, Rosario Flores, Geraldine Chaplin.

Pedro Almodovar, ao realizar “Fala com Ela” / “Hable Com Ella”, oferece-nos uma obra profundamente contida, mergulhando no universo do amor, ao relatar a história de dois homens (Marco e Benigno) que amam profundamente a mulher eleita das suas vidas.
No entanto, essa comunicação amorosa atravessa caminhos até então nunca vistos, já que ambas as mulheres (Lydia e Alicia) se encontram em estado de coma, numa clínica, sendo desta forma o amor oferecido, guardado no território do corpo suspenso, nessa fronteira ténue que separa a vida da morte.


No início da película somos introduzidos no universo de Pina Bausch, onde se fala inevitavelmente do corpo, da (in)comunicação, num dos momentos mais belos do filme. Iremos acompanhar assim o percurso destes dois homens que se cruzam na clínica, onde oferecem o conforto possível às mulheres que amam: falando com elas, lendo-lhes livros, mostrando fotografias.


Mas se Marco, o jornalista, conheceu um amor outrora correspondido, já Benigno, o enfermeiro, guarda no seu interior uma terrível história de violação que nos será oferecida pelo cineasta, através de um segmento intitulado “o amante minguante”, onde se convoca o surrealismo, em toda a sua beleza, ou não se estivesse na pátria de Buñuel.
Enquanto Marco irá ver partir o corpo amado, Benigno será condenado pelo seu terrível crime, terminando por nunca rever a vítima do seu amor louco.


“Hable con Ella” / “Fala Com Ela” oferece-nos um retrato do universo masculino, repleto de sensibilidade e não será por acaso que iremos encontrar as lágrimas do amor no rosto destes dois homens, que irão construir uma profunda amizade, após se terem conhecido na clínica, onde se encontram as mulheres que ambos amam.
Pedro Almodovar, ao conquistar o Oscar para o Melhor Filme Estrangeiro, entre outros prémios, atinge o ponto mais alto da sua carreira, ao assinar um dos mais belos e perfeitos filmes deste século XXI.

4 comentários: