domingo, 4 de dezembro de 2016

Frank O’Hara – “Lana Turner desmaiou!”


Lana Turner, essa loura que tantos corações fez bater nos anos quarenta, do século xx, nasceu na cidade de Wallace, no Idaho e foi descoberta para o Cinema quando trabalhava numa drugstore. Em Hollywood fez o percurso habitual de uma jovem aspirante a estrela de cinema e rapidamente começou a dar nas vistas e quando a vimos em “O Médico e o Monstro” / “Dr, Jekyll and Mr. Hyde” percebemos como ela ficava bem a fazer o papel de ingénua, depois foi a Perdição, essa Perdição figurada nas suas famosas pernas na película “O Carteiro Toca Sempre Duas Vezes” (sobre o qual já aqui escrevemos), numa das sequências mais sensuais de toda a Sétima Arte e que marcaram decididamente o seu estatuto de Star e quando nos dias de hoje alguém fala dela, muitos se recordam de “Imitação da vida” / “Imitation of Life”, em que a sua própria vida se confundia com a da personagem que víamos no écran, mas será sempre esse célebre plano sequência das suas pernas que vem de imediato à memória do cinéfilo e talvez por isso mesmo o poeta Frank O’Hara escreveu um belo poema incluído no seu livro “Vinte e Cinco Poemas à Hora de Almoço”, dedicado à bela e inesquecível Lana Turner!


POEMA

Lana Turner desmaiou!
Eu deambulava e de repente
começou a chover e  a nevar
e tu disseste que caía granizo
mas o granizo acerta na cabeça
com força por isso estava a nevar
e a chover e eu tinha tanta pressa
ía ao teu encontro mas o tráfego
comportava-se exactamente como o céu
e subitamente li um cabeçalho
LANA TURNER DESMAIOU!
não há neve em Hollywood
não há chuva na Califórnia
eu estive numa data de festas
e portei-me de forma desgraçada
mas nunca tive um desmaio
oh Lana Turner amamos-te levanta-te!

Frank O’Hara

in “Vinte e Cinco Poemas à Hora de Almoço”

Editor: Assírio & Alvim


Lana Turner em "O Carteiro Toca Sempre Duas Vezes"
/ "The Postman Always Ring Twice"

Sem comentários:

Enviar um comentário