quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Alain Resnais – “Corações” / “Coeurs”



Alain Resnais – "Corações" / "Coeurs"
(FRANÇA - 2006) – (120 min. / Cor)
Sabine Azéma, Pierre Arditi, Isabelle Carré, Lanbert Wilson, André Dussollier, Laura Morante.

“Corações” / “Couers” de Alain Resnais é uma obra espantosa sobre os caminhos insondáveis do amor e da solidão e, mais uma vez, o cineasta optou por transportar para o grande écran uma peça do britânico Alan Ayckbourn. Recorde-se que essa dupla intitulada “Smoking” / “No Smoking” também é da sua autoria, só que desta vez o cineasta optou por colocar a acção na cidade de Paris, sendo Jean-Michel Rides o responsável por essa adaptação.


Mais uma vez Alain Resnais convocou a sua dupla de sempre Sabine Azéma e Pirrre Arditi, actores recorrentes nos seus filmes, aos quais juntou um quarteto de luxo composto por André Dussollier (vejam a sua espantosa interpretação no fabuloso “Melo” de Resnais) e Lambert Wilson (esse “one man show”), ambos a comporem personagens extraordinárias, assim como a maravilhosa Isabelle Carré (fixem este nome) e Laura Morante (que entrou com o pé direito na textura da personagem).


Estamos em Paris no Inverno e neva nos corações destes solitários em busca do amor, cujas vidas se irão cruzar, sempre tão próximas e distantes.
No início da película iremos encontrar Thierry (André Dussollier), que trabalha numa imobiliária a mostrar um apartamento de três divisões a Nicole (Laura Morante) que pretende uma nova casa para viver com o seu namorado Dan (Lambert Wilson), que recentemente deixou a tropa por motivos que nunca saberemos. Mas a relação deste casal, em que ele está desempregado, atravessa uma verdadeira tempestade, já que ele passa os dias num bar de um hotel, onde Lionel (Pierre Arditi) trabalha como barman e neste local iremos sabendo um pouco do seu passado, sempre com um pé à beira do abismo.


Lionel (Pierre Arditi), um daqueles barman sempre bom ouvinte e disposto a oferecer bons conselhos aos clientes, vive uma vida onde o relógio do tempo deixou de ter ponteiros, prisioneiro do seu pai acamado, que faz da sua vida um verdadeiro inferno, assim como das diversas pessoas que ele contrata para darem assistência ao pai quando ele se encontra a trabalhar.
Charlotte (Sabine Azéma) é colega de Thierry (André Dussollier) na imobiliária e a sua vida está imbuída de uma fé cristã que lhe consome a alma e à qual foge secretamente em busca do amor inexistente, chegando a emprestar a Thierry uns vídeos com a gravação de um programa chamado “as canções que mudaram a minha vida”, mas num vídeo quando se não desgrava a totalidade da fita, muitas vezes surge o outro lado de uma existência desconhecida de todos e será isso mesmo que Thierry irá descobrir espantado e incrédulo, mas também sonhador.


Thierry (André Dussollier) é um homem que vive com a irmã mais nova Gaelle (Isabelle Carré), que lhe esconde a sua solidão dizendo que vai sair com as amigas, embora a verdade dos factos seja a sua procura de alguém que lhe encha o seu coração faminto de amor. Mas a sua procura revela-se sempre infrutífera, ficando sempre sozinha no bar à espera desse cavaleiro andante solitário e desconhecido que nunca chega ao encontro marcado. Até nascer esse momento tão desejado em que Dan (Lambert Wilson), depois de ser expulso de casa pela sua companheira, se encontra com ela através de um anúncio do coração que colocou num jornal a conselho de Lionel, o seu amigo barman, que por sua vez irá conhecer Charlotte (Sabine Azéma), que respondeu ao anúncio para cuidar do pai, enquanto ele trabalha no turno da noite no bar do hotel.


Estamos assim perante vidas cruzadas de personagens solitárias, que buscam o amor com pouca esperança de o encontrar. E será o destino e o acaso que irão decidir do seu futuro. Todos eles se cruzam por um momento no tempo, interferindo inconscientemente na vida um dos outros e será este o grande segredo do filme, realizado com uma docilidade maravilhosa e triste, porque a vida muitas vezes não é um romance.

Descobrir esta película do Mestre Alain Resnais é entrar pela porta dos sentimentos e olhar a alma de forma cândida, para descobrirmos como o mais insignificante acontecimento pode decidir o rumo de uma vida. “Corações” / “Coeurs”, filmado em scope, é de uma beleza extraordinária, demonstrando mais uma vez a genialidade deste Autor chamado Alain Resnais.

2 comentários:

  1. Eis um filme que adorei! A rever um dia destes, se possível!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um filme genial de Alain resnais que aborda o universo dos famosos corações solitários:)
      Beijinhos

      Eliminar