segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Todd Haynes – “Longe do Paraíso” / “Far From Heaven”


Todd Haynes – "Longe do Paraíso" / "Far From Heaven"
(EUA – 2002) – (107 min. / Cor)
Julianne Moore, Dennis Quaid, Patricia Clarkson, Dennis Haysbert, Viola Davis.

Tal como sucedia com Rainer Werner Fassbinder, também Todd Haynes tem uma profunda admiração pelo cinema de Douglas Sirk e dos seus célebres melodramas, ambientados nessa década de cinquenta, século xx,  nos quais encontramos Rock Hudson como protagonista. Por outro lado, nunca é demais recordar que as últimas obras de Douglas Sirk foram assinadas a duas mãos, sendo a outra a de Fassbinder, que até escreveu sobre este nome incontornável do cinema clássico.


Ao realizar “Longe do Paraíso” / “Far From Heaven”, o americano Todd Haynes presta uma das mais belas homenagens a Douglas Sirk, não só ao fazer uma espécie de “remake” como também ao conseguir oferecer-nos as mesmas tonalidades, nessa célebre cor que caracterizava os seus filmes, através desse magnifico director de fotografia que é Edward Lachman, depois temos uma direcção de actores sublime, já que todos eles poderiam viajar no tempo e surgir ao lado de Rock Hudson, Robert Stack, Lana Turner ou Laureen Bacall e para finalizar temos a música de Elmer Bernstein.


Cathy Whitaker (Julianne Moore nunca esteve tão bonita num filme) vive a vida perfeita de uma esposa casada com um homem bem sucedido profissionalmente, de quem tem duas crianças, uma bela casa, rodeada de amigas, onde se destaca a confidente Eleanor Fine (essa extraordinária actriz chamada Patricia Clarkson) e um dia irá ver todo o seu universo a desabar de forma bem estranha, quando o marido (Dennis Quaid) lhe confessa que descobriu outros interesses na vida, bem perigosos nessa época e que está disposto a partir para viver nas margens do sistema. E será através de Raymond Dagan (Dennis Haysbert), o filho do seu antigo jardineiro, que ela irá encontrar um pouco de conforto e compreensão, ao mesmo tempo que descobre que afinal não vivia no Paraíso, pois irá perceber que o simples facto de ser vista a falar de forma tranquila e sorridente com um negro, lhe irá acarretar inúmeros problemas, especialmente entre a camada social a que pertence, que de imediato a encara com rancor e cinismo, até chegar esse momento em que ela finalmente percebe o significado do termo racismo. Já o inocente Raymond e a sua filha irão também descobrir que o racismo não tem cor, ao serem ostracizados pelos seus próprios conterrâneos, que não aceitam que ele fale com uma pessoa de outra raça e camada social diferente.


“Longe do Paraíso” / “Far Fom Heaven” revela-se o melhor trabalho cinematográfico de Todd Haynes realizado até à presente data e como a acção da película se passa precisamente na estação do ano em que vivemos, nada melhor do que comprar o dvd e ver o filme, porque nele poderemos encontrar uns extras magníficos, algo que nos dias de hoje é bem difícil de se descobrir. E dizemos isso porque para além de estarem todos legendados, temos um “Comentário do Realizador” que é uma verdadeira aula de cinema sobre Douglas Sirk, depois surge o respectivo “Making of…” bem acima do habitual, o “Trailer” e “Em Filmagens” e a finalizar um desses documentários que celebrizaram a Sundance Television, intitulado “Anatomia de uma Cena” com a duração de 30 minutos.


Todd Haynes, ao realizar “Longe do Paraíso” / “Far From Heaven”, prestou uma das mais belas homenagens a Doouglas Sirk e ao cinema do Melodrama, num filme inesquecível!

2 comentários:

  1. Respostas
    1. O meu filme favorito do cineasta; a mais bela homenagem ao cinema de Douglas Sirk e ao Melodrama na Sétima Arte!
      Boa Tarde!

      Eliminar