terça-feira, 29 de novembro de 2016

Joel Coen e Ethan Coen – “Destruir Depois de Ler” / “Burn After Reading”



Joel Coen e Ethan Coen – "Destruir Depois de Ler" / "Burn After Reading"
(EUA/ING/FRANÇA – 2008) – (96 min. / Cor)
George Clooney, Frances McDormand, John Malkovich, Brad Pitt, Richard Jenkins.

Foi com “Blood Simple” / “Sangue por Sangue”, que todos fixámos o nome dos irmãos Coen e, desde então, esta dupla revelou ser um nome a seguir no interior da produção cinematográfica norte-americana. Com “No Country for Old Men” / “Este País Não é Para Velhos”, os Coen viram o seu trabalho mais do que reconhecido pela Academia de Hollywood, saindo como os grandes vencedores. E, mais uma vez, decidiram olhar a comédia como só eles sabem, nascendo assim “Destruir Depois de Ler” / “Burnig After Reading”, convidando mais uma vez o bem conhecido George Clooney para protagonista. E segundo os irmão Coen este filme concluiu a “trilogia idiota com Clooney”. Recorde-se que os outros dois filmes são “Irmão Onde Estás?” / “O Brother Where Art Thou” e “Crueldade Intolerável” / “Intolerance Cruelty”, mas como sabemos esta colaboração George Clooney/Coen Brothers irá continuar, para alegria de todos os fans deste trio!


Quando alguém nos fala em filmes sobre a CIA, de imediato a nossa memória nos envia para essa obra-prima de Sydney Pollack intitulada “Os Três Dias do Condor”/ “Three days of Condor” ou mais recentemente o filme de Tony Scott, “Jogo de Espiões” / “Spy Game”. Mas os irmãos Coen decidiram oferecer-nos um olhar mordaz sobre a famosa Agência de Informação, criando uma obra que presta homenagem ao género “screwball comedy”, tão em voga nos anos quarenta, que até Alfred Hitchcock experimentou o género com, infelizmente pouco conhecido, “O Sr. e a Sra. Smith” / “Mr. And Mrs. Smith”, não confundam por favor com outra película com o mesmo título.


Osbourne Cox (John Malkovich) é um agente da CIA que trabalha nessa área tão delicada que são os Balcans e que, um dia, se vê despedido ou retirado (se preferirem a linguagem do politicamente correcto) das funções de analista que exerce. Perante a situação, Osbourne não hesita em despedir-se e decide escrever as suas memórias. Por outro lado a sua mulher, Katie Cox (Tilda Swinton, que iniciou uma nova carreira nos States depois de receber o Óscar por “Michael Clayton”), decide pedir o divórcio sem o conhecimento do marido, ao mesmo tempo que mantém uma ligação com o agente Harry Pfarrer (George Clooney), que trabalha na área de segurança já lá vão 20 longos anos, sem nunca ter disparado um tiro na vida.


Estamos assim perante esse território do adultério ou se preferirem das relações humanas. E será no ginásio dirigido por Ted Treffen (Richard Jenkins, um dos mais espantosos secundários de Hollywood, fixem o nome), que a célebre bola de neve vai começar a descer a montanha para fazer a ligação mortífera entre as diversas personagens porque, no vestuário das senhoras, o inocente Manolo (Raul Aranas) irá encontrar um CD que será o verdadeiro macguffin da acção, como certamente lhe chamaria Alfred Hitchcock.


Chad (Brad Pitt), que certamente viu muitos filmes policiais, decide ler o conteúdo do CD e pensa que se encontra ali informação altamente secreta. E com a ajuda de Linda Litzke (Francis McDormand), decide encontrar-se com Osbourne (John Malkovich), para lhe pedir dinheiro em troco das informações que possui. O CD contém as memórias de Osbourne, que se encontra a escrever um livro sobre a CIA, para assim se vingar das acusações dos seus superiores.


Linda, ao perceber que pode realizar as três cirurgias plásticas que tanto deseja, decide seguir em frente com o inocente Chad, que possui um QI muito pouco elevado, como iremos descobrir ao longo do filme. Por outro lado esta mulher, que vive em busca do homem perfeito na net, marcando encontros no parque sempre com final infeliz, irá descobrir em Harry Pfarrer (George Clooney) o homem da sua vida. Começa então um jogo de chantagem e perseguições delirante, com objectivos tão diferentes como antagónicos.


Se Chad e Linda perseguem Osbourne para conseguirem dinheiro, já Katie Cox a mulher de Osbourne manda-o seguir para conseguir provas para o divórcio, ao mesmo tempo que a famosa escritora de livros infantis Sandy Pfarrer (Elizabeth Marvel), que prepara secretamente o divórcio do marido Harry (George Clooney), procede da mesma maneira. Por outro lado a CIA segue os movimentos de Osbourne Cox, depois de ter conhecimento através do seu agente infiltrado na Embaixada Russa que Chad e Linda estiveram na Embaixada a tentar vender um CD com segredos de Estado, decidindo desta forma seguir aquela dupla. Fica decididamente instalada a grande confusão!!!


A forma como Joel Coen e Ethan Coen nos mostram as reuniões da CIA sobre o caso é profundamente delirante, ao mesmo tempo que retratam os russos e a sua Embaixada com um humor corrosivo, olhando o universo da espionagem, como duas crianças traquinas.
Mas como é que o CD foi perdido no vestuário das senhoras no ginásio? A resposta é-nos dada pelos Coen de “forma discreta”. E o melhor é o espectador ficar bem atento ao filme e preparar-se para dar umas boas gargalhadas, porque este “Destruir Depois de Ler” / “Burn After Reading” é um verdadeiro convite ao divertimento. Mais uma vez Joel Coen e Ethan Coen surpreendem-nos com esta delirante comédia, em que os actores estão como peixes na água, debitando diálogos corrosivos em que a fronteira da inteligência é verdadeiramente invisível.

2 comentários:

  1. Uma dupla absolutamente fantástica a fazer filmes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo em absoluto e quando se lhes junta o George Clooney revela-se o trio perfeito!
      Beijinhos:)

      Eliminar