quinta-feira, 17 de novembro de 2016

João Botelho – “Um Adeus Português”


João Botelho – "Um Adeus Português"
(PORTUGAL - 1985) – (82 min. / Cor - P/B)
Fernando Heitor, Maria Cabral, Ruy Furtado, Isabel de Castro, Cristina Hauser, Diogo Dória.

Quando se falava na possível ida de António Lobo Antunes para os EUA, na década de oitenta (séc.xx), alguns dados referiam que a adaptação do seu livro "Os Cus de Judas" para o cinema estava praticamente assegurada. Como sucede muitas vezes, no nosso país, tudo ficou pelo caminho, acabando por ser o cineasta João Botelho, com argumento seu e de Leonor Pinhão, a concretizar no interior do cinema profissional as imagens da aventura ultramarina, conhecida também por guerra colonial. Já o cinema amador, através de João Paulo Ferreira, possui um dos mais belos e lúcidos registos, apesar de algumas deficiências técnicas, da nossa passagem por terras africanas, na película "A Última Guerra".


"Um Adeus Português" situa-se entre dois tempos marcados dolorosamente pela viagem dos corpos: África/1973 e Portugal/1985. África é o caminhar através da mata, ao encontro da morte, lutando com um inimigo que nunca se vê, partindo as rajadas da escuridão, enquanto os corpos perdem a vida e o sangue derramado invade a memória dos familiares e amigos do outro lado do oceano. Portugal em 1985 é o ponto de passagem de uma vida, que sobrevive penosamente, naqueles cujo presente se situa, ainda, no passado, em busca da imagem perdida no silêncio da dor.


"Um Adeus Português", segundo filme de João Botelho, que obteve o prémio da melhor realização no Festival do Rio de Janeiro, transporta consigo, como diz Alexandre O'Neil "esta pequena dor à portuguesa tão mansa quase vegetal". Um filme que merece ser redescoberto!

João Botelho

Sem comentários:

Enviar um comentário