sábado, 26 de novembro de 2016

David Hemmings – (1941 – 2003)


Muitas vezes, ao vermos um filme, terminamos por recordar a carreira dos actores que descobrimos no écran, mas no caso de David Hemmings sucedeu-me tal ao escutar o álbum “Journey to the Center of the Earth” de Rick Wakeman, cuja narração é feita precisamente por David Hemmings, nessa época de ouro do Rock Progressivo.


Mas se me falarem do meu filme favorito com este actor, ele é “Blow-Up – História de um Fotógrafo” / “Blow-Up”, realizado por Michelangelo Antonioni. A acção da película, como alguns devem estar recordados, passa-se na Swinging London da década de sessenta, séc.xx, e ao longo do filme iremos seguir Thomas (David Hemmings) até chegar a esse momento fulcral em que o acompanhamos num dos seus passeios por um Parque Londrino, onde as fotografias que tira irão revelar um assassinato, que ficará perdido na memória do tempo, após o desaparecimento do corpo, assim como do roubo do rolo de negativos, depois do seu encontro com a bela e inesquecível Jane (Vanessa Redgrave).


David Hemmings, que durante a infância tinha sido intérprete lírico de obras de Benjamin Britten, nunca escondeu a sua paixão pelo cinema, tendo até passado para detrás da câmara, realizando a película “Just a Gigolo” com um trio de luxo constituído por David Bowie, Marlene Dietrich e Kim Novak, nascendo um desses cult-moveis que bem merece ser (re)descoberto.


Actor em mais de cem filmes e séries, alguns com realização sua, David Hemmings, cujas últimas aparições no grande écran foram em personagens secundárias, em filmes como “Gladiador”, “Gangs de Nova Iorque”, “Liga de Cavaleiros Extraordinários” e “Jogo de Espiões”, será sempre recordado por “Blow-Up”, e a imagem dele a devolver a bola imaginária ao grupo de “mods”, que jogavam um estranho jogo de ténis, no final da película realizada por Michelangelo Antonioni, permanece bem viva na memória de todos os cinéfilos!

Sem comentários:

Enviar um comentário