quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Curtis Hudson” – “Wonder Boys – Prodígios” / “Wonder Boys”


Curtis Hudson – "Wonder Boys - Prodigios" / "Wonder Boys"
(EUA/ING/ALE/JAPÃO – 2000) – (107 min. / Cor)
Michael Douglas, Tobey Maguire, Francis McDormand, Robert Downey Jr., Katie Holmes, Jane Adams, Richard Knox.

A versatilidade de Michael Douglas é conhecida de todos e em “Wonder Boys – Prodígios” ele surge como peixe na água, numa comédia sobre o mundo literário nas universidades norte-americanas. Já Curtis Hanson, que sempre brilhou no género policial, assina aqui uma das suas melhores obras, ao convidar-nos a conhecer o bloqueio literário do Professor Grady Tripp (Michael Douglas), que gosta de escrever sobre influência (o charro), embora nos últimos tempos viva um bloqueio literário, muito bem escondido do seu editor, que aguarda a entrega do tão desejado novo livro.


Após escutarmos um brilhante tema de Bob Dylan intitulado “Things Have Changed”, a abrir o genérico, vamos encontrar o Professor Grady (Michael Douglas) numa aula a ler um conto de um aluno problemático, o genial James Lear (Tobey Maguire), uma verdadeira Instituição da ficção, já que faz da sua vida um memorável conjunto de mentiras, afirmando viver com dificuldades económicas, encontrando-se a viver numa estação de autocarros, dormindo num banco, ao mesmo tempo que se irá revelar um apaixonado pelo cinema clássico.


Estamos em Pittsburg em pleno Inverno, a chuva é uma constante, nas vésperas do Festival Literário, onde muitas vezes surgem escritores precoces e Grady Tripp vive, nesse preciso momento, a pior fase da sua vida: a esposa abandonou-o regressando a casa dos pais; a Reitora da Universidade Sara Gaskell (Frances McDormand), com quem mantém uma relação extra-conjugal está grávida dele, escondendo a situação do marido; o seu Editor Terry Grabtree (Robert Downey Jr.), que está falido, vai ter com ele em busca do tão prometido livro para o publicar, na companhia de uma bela mulher, que não passa de um travesti chamado Miss Antónia.


Curtis Hanson, ao oferecer-nos estas premissas, revela-nos de forma soberba o caos em que se encontra a vida do protagonista, que irá ainda passar por piores momentos, ao longo do filme, caminhando à beira do abismo, na companhia do seu aluno enigmático, que para piorar as coisas irá roubar o casaco de Marilyn Monroe da casa do Professor Gaskell, o marido da Reitora, durante um jantar, ao mesmo tempo que lhe mata o cão, tornando-se o corpo do canino um poderoso fardo que tem de desaparecer.


O argumento de “Wonder Boys – Prodígios” é simplesmente genial e a forma como Curtis Hanson nos conduz através desses dias difíceis do Professor Grady Tripp é simplesmente memorável, revelando Michael Douglas um saber perfeito na composição da personagem, num filme politicamente incorrecto e inesquecível, que nunca nos cansamos de rever, ao mesmo tempo que nos oferece uma crítica profundamente mordaz do Universo Literário das universidades norte-americanas, berço de uma geração de escritores. Curtis Hanson, que partiu este ano, como referimos numa crónica anterior, oferece-nos com “Wonders Boys – Prodígios” o filme mais delirante e genial de toda a sua filmografia e ela respira qualidade por todos os poros.

2 comentários:

  1. O meu filme favorito de Curtis Hanson, com uma inesquecível interpretação de Michael Douglas!

    ResponderEliminar