sábado, 8 de outubro de 2016

Sigourney Weaver – Parte 1


Para muitos, Sigourney Weaver é a Ellen Ripley da célebre trilogia “Alien” sendo o seu nome conhecido de todos, mas quantos se lembram dela em “Annie Hall”, tal como esse outro actor que um dia entra no escritório de Woody Allen à procura de trabalho e cuja figura até fez tremer o cineasta da Big Apple, que depois lhe ofereceu o papel de assaltante no metropolitano nesse mesmo filme, certamente muito poucos. O actor era Sylvester Stalone e Sigourney Weaver, que até foi baptizada como Susan Alexandra, passou a sua prova de fogo no Oscarizado filme de Woody Allen, em que surgia como acompanhante de Paul Simon.


"The Year of the Living Dangerously"
/ "O Ano de Todos os Perigos"

Quando Mel Gibson e o cineasta australiano Peter Weir decidiram levar a cabo “O Ano de Todos os Perigos” / “The Year of the Living Dangerously”, a escolhida para interpretar a principal personagem feminina foi Sigourney Weaver, discreta mas radiante e inflamando paixões. No entanto, nessa época, poucos se lembravam dela como Star em “Aliens” do britânico Ridley Scott, ela que tinha sido o único sobrevivente da nave, para transmitir o pesadelo vivido. Ridley Scott ainda não tinha realizado o célebre “Blade Runner” / “Blade Runner: Perigo Iminente”, mas “Alien” começava a tornar-se um clássico do género.
O nome de Sigourney Weaver começava a subir na tabela das estrelas de Hollywood e quando Ivan Reitman decidiu criar “Os Caça Fantasmas” / “Ghostsbusters”, todos deram por ela e o seu nome ficou associado ao espectacular êxito de bilheteira da película.


"Alien"

Desde muito cedo Sigourney Weaver se viu ligada às imagens do espectáculo já que o seu pai, Pat Weaver, foi Presidente da NBC e a mãe, a actriz Elizabeth Inglis, sacrificou a carreira pela família. Seria aliás o nome do pai que lhe iria abrir muitas portas, depois de terminada a sua formação na Yale Drama School.
New York iria ser a sua residência, como não podia deixar de ser e por lá participou na famosa “workshop” de Gene Lasko, onde deu nas vistas. Depois foi o silêncio até à estreia no cinema, onde a série “Alien” fez dela um verdadeiro Icon!!!


"Ghostbusters" / "Os Caça-Fantasmas"

Depois da experiência de trabalhar ao lado de Gerard Depardieu, em “Une Femme or Deux” realizado por Daniel Vigne, James Cameron não hesitou em chamar a tenente Ripley para a sequela de “Aliens” e aqui vamos encontrar uma musculada Sigourney Weaver, com a sua equipa de comandos para atacar e liquidar de vez o terrível predador. Estamos assim perante um dos grandes filmes de acção no âmbito da ficção-cientifica, não nos esqueçamos do passado de James Cameron e da sua célebre “Piranha II”.


"Half Moon Street! / "O Corpo e a Vida"

O nome da actriz estava decididamente lançado junto do grande público. Mais tarde foi a vez de “Half Moon Street” / “O Corpo e a Vida”, em que teve como ao seu lado o sempre genial Michael Caine, situando-se a acção em Londres e interpretando a figura de uma jovem americana envolvida em intrigas terroristas. Mas esta película de Bob Swan, em que ela faz o retrato perfeito da mulher dos anos oitenta, não alcançou o sucesso merecido.
Será com “Gorilas na Bruma”/”Gorilas in the Mist”, interpretando a antropóloga Dian Fossey, que o talento de Sigourney Weaver recebe o aplauso unânime da crítica e do grande público, o seu desempenho é simplesmente extraordinário, estando a par da excelente realização de Michael Apted.


"Gorilas in the Mist" / "Gorilas na Bruma"

“Working Girl”/ ”Uma Mulher de Sucesso”, uma deliciosa comédia desse cineasta de mulheres chamado Mike Nichols, demonstrou bem os atributos de Sigourney Weaver no difícil território da comédia, sendo o restante trio composto por Harrison Ford e Melanie Griffith.


"Working Girl" / "Uma Mulher de Sucesso"

Como as sequelas se tornaram moda em Hollywood e os executivos dos Estúdios começaram a ver nelas um negócio cheio de cifrões (veja-se só a verdadeira pilhagem a que é sujeita a memória do cinema pelos executivos do Estúdio, devido à falta de ideias originais), Ivan Reitman decidiu voltar a chamar os seus Caça-Fantasmas e fazer um “Ghostbusters II” / “Os Caça-Fantasmas II” e, como não podia deixar de ser, Sigourney regressou com eles.


"Alien 3" / "Alien 3 - A Desforra"

Mas os regressos não se iriam ficar por aqui já que, continuando esta lógica, o seu filme seguinte seria o “Alien 3 – A Desforra” do então desconhecido David Fincher, hoje em dia um dos nomes incontornáveis do cinema norte-americano.
A atmosfera claustrofóbica, mas também filosófica, de que a película estava imbuída tornaram-na como a antítese do filme realizado por James Cameron, um representante perfeito da acção musculada.
Inesquecível a sequência final do filme de David Fincher em que Ripley a caminho do inferno ou redenção, se preferirem, olhando a morte que chega, num gesto derradeiro, acaricia a cria do Alien, que irá morrer com ela.

(continua)

Sem comentários:

Enviar um comentário