terça-feira, 25 de outubro de 2016

Robert Flaherty – “Louisiana Story”

.

Robert Flaherty – "Louisiana Story"
(EUA – 1948) - (77 min. - P/B)
Josepj Boudreaux, Lionel Blanc, Frank Hardy

Robert Flaherty, ao longo da sua carreira de documentarista, sempre sentiu uma certa apetência para nos dar a luta do homem com a natureza, filmando o seu quotidiano de forma a nos oferecer o olhar virgem dos protagonistas perante o cinema, que sempre causou um enorme fascínio junto dos espectadores dos seus filmes.
“Louisiana Story” convida-nos a visitar esses pântanos inóspitos da Louisiana, guiados pelo olhar inocente do seu herói. Iremos assim seguir o jovem cajun ao longo da sua viagem pelos pântanos, no seu pequeno barco e na companhia do seu pequeno amiguinho, umas vezes a observar os pássaros, outras a seguir atentamente as movimentações dos crocodilos, sempre traiçoeiros, em busca das suas presas.


Napoleon-Ulysse Latour (Joseph Boudreaux) irá ser despertado dos seus sonhos de criança quando escuta explosões na região. De imediato segue o ruído, para descobrir no rio um enorme “derick”, a instalar uma plataforma petrolífera, com vista a extrair petróleo do subsolo.
De forma profundamente naturalista, Robert Flaherty (numa encomenda da Standard Oil Company), oferece-nos não o confronto entre a máquina e a natureza, mas sim a sua visão do progresso em perfeita harmonia com a paisagem.


Ao verem a criança no rio na sua pequena embarcação, a olhar para aquele enorme “monstro” de ferro e aço, os trabalhadores da plataforma convidam o jovem cajun a visitar as instalações e de imediato nasce uma amizade cristalina entre aqueles seres.
Como não podia deixar de ser o pequeno Latour, ao regressar a casa, conta entusiasmado aos pais o que está a acontecer no rio.
A forma como Richard Leacock, o director de fotografia nos oferece o desenrolar dos trabalhos na plataforma, a fim de ser extraído o petróleo do subsolo, revela-se uma sequência de antologia, porque ele filma a plataforma como se fosse um bom gigante que invadiu a natureza, para apenas melhorar a vida dos homens. E quando sucede o acidente no poço artesiano, iremos assistir a esse momento mágico em que o pequeno Latour irá ajudar a resolver o problema, através da sua “sabedoria de criança”.


Terminados os trabalhos, chega o momento do poderoso “derick” e os seus tripulantes abandonarem a região, em busca de outros lugares para continuarem a sua missão e será então que vemos por breves instantes a tristeza no rosto do jovem que se despede deles, rapidamente substituída por um sorriso aberto, enquanto acena com a mão para os seus companheiros de aventuras porque, como sabemos, não há longe nem distância para a amizade entre os homens.

Sem comentários:

Enviar um comentário