domingo, 23 de outubro de 2016

Ridley Scott – “Robin Hood”


Ridley Scott – "Robin Hood"
(EUA/ING – 2010) – (148 min. / Cor)
Russell Crowe, Cate Blanchett, Max Von Sydow, William Hurt, Oscar Issac, Mark Strong, Danny Huston.

As aventuras de Robin Hood possuem um longo historial de adaptações quer ao cinema quer ao pequeno écran e, se andarmos um pouco pelo interior da História do Cinema, recordamos de imediato o célebre Erroll Flynn a vestir a pele do famoso ladrão da floresta de Sherwood em “The Adventures of Robin Hood” / “As Aventuras de Robin dos Bosques”, realizado por Michael Curtiz, em que o famoso herói roubava aos ricos para dar aos pobres, vivíamos então no ano de 1938; nos dias de hoje iremos encontrar Patrick Bergin no papel do famoso salteador, numa obra de John Irvin, intitulada simplesmente “Robin Hood” / “Robin dos Bosques” e realizada originalmente para a televisão, mas que obteve um sucesso enorme, tendo de imediato visto a sua vida prolongar-se nas salas de cinema em 1991, sendo este filme o nosso favorito. Por outro lado Kevin Costner também decidiu interpretar a lendária personagem, tendo sido dirigido por Kevin Reynolds em “Robin Hood Prince of Thieves” / “Robin Hood: Príncipe dos Ladrões”, numa época em que figurava nas listas dos actores com maior sucesso. E por falar no sucesso deste herói lendário ao longo das décadas, nunca nos poderemos esquecer dessa deliciosa comédia criada por esse génio que ama o Cinema, chamado Mel Brooks e intitulada “Robin Hood Men in Tights” / “Robin Hood: Heróis em Collants”. Mas o primeiro actor a dar vida ao famoso herói foi Douglas Fairbanks no filme “Robin Hood”, realizado por Allan Dwan em 1922, nessa época em que os filmes ainda não falavam.


Neste século XXI em que vivemos, o cineasta Ridley Scott decidiu, também ele, fazer uma nova adaptação de “Robin Hood”, oferecendo-nos a sua visão do famoso Príncipe dos Ladrões, mas optando por nos contar a história a partir do momento em que este regressa com os cavaleiros de Ricardo Coração de Leão à ilha que o viu nascer, narrando-nos em pormenor como nasceu o mito. Iremos assim descobrir como morreu o Rei, regressado das cruzadas, ao mesmo tempo que assistiremos às famosas lutas que opuseram franceses a ingleses e as respectivas intrigas na corte, com as suas inevitáveis traições e por falar em inevitabilidade, mais uma vez descobrimos o actor australiano Russell Crowe a ser dirigido pelo cineasta britânico Ridley Scott, constituindo um duo que continua a sua viagem pelo interior do cinema em perfeita harmonia, seja qual for o género abordado.


Ridley Scott, ao realizar este “Robin Hood” oferece-nos, como não podia deixar de ser, uma interpretação magnífica de Cate Banchett na figura de Lady Marion e quando temos a seu lado nomes como Max von Sydow e William Hurt percebemos que o “casting” é soberbo, tal como a direcção de actores.
Mais uma vez o cineasta consegue prender a atenção do espectador com a eficácia de sempre, recriando de forma perfeita as batalhas, ao mesmo tempo que nos envolve nas famosas intrigas da corte, contando-nos como irão nascer os famosos ladrões da floresta de Sherwood, sempre abençoados pelo célebre Frei Tuck (Mark Addy), ao mesmo tempo que nos é revelado como são frágeis as promessas de Príncipe João (Oscar Issac), quando vê o seu reino à beira de ser invadido pelas tropas francesas.


Esta película de Ridley Scott oferece-nos uma espécie de “prequela” de Robin Hood, contando-nos como tudo começou, conseguindo levar o filme a bom porto, porque ao contrário do que alguns dizem, o cineasta continua a revelar-se um profundo conhecedor da matéria fílmica.

2 comentários:

  1. De um dos meus realizadores favoritos, esta será das melhores "Lady Marion". Os secundários são fabulosos!
    Bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta também é a minha Lady Marion favorita. A Cate Blanchett é extraordinária na sua interpretação:)
      E todos os outros secundários, como diz, são enormes! Basta seguirmos o desempenho de William Hurt e está tudo dito.
      Boa Tarde

      Eliminar