quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Oliver Parker – “Um Marido Ideal” / “An Ideal Husband”


Oliver Parker – "Um Marido Ideal" / "An Ideal Husband"
(ING/EUA – 1999) – (97 min. / Cor)
Cate Blanchett, Jeremy Northam, Julianne Moore, Rupert Everett, Minie Driver, John Wood.

Oliver Parker, conhecido actor do teatro britânico, também se tem dedicado à realização cinematográfica e ainda recentemente vimos a sua adaptação ao cinema do célebre romance de Oscar Wilde, “Dorian Gray”. Já “Um Marido Ideal” / “An Ideal Husband”, o segundo filme assinado por ele, leva ao écran uma das mais famosas peças de Oscar Wilde, que retrata de forma perfeita o século xix britânico, com as suas convenções e intrigas, no interior da alta sociedade, que ele tanto gostava de analisar.


Sir Robert Chilten (Jeremy Northam) possui um amor profundo pela esposa Lady Gertrude Chilten (Cate Blanchett), ao mesmo tempo que desempenha funções no governo de Sua Majestade, revelando-se um orador e um político acima de qualquer suspeita, mas quando a Baronesa Lara Chevely (Julianne Moore) reaparece na sua vida para exercer chantagem, usando uma carta que coloca em causa a famosa honestidade de Sir Robert, ele fica decididamente preso na teia criada por ela. Será no entanto o seu amigo Lord Arthur Goring (Rupert Everett), um famoso dandy, para quem o ócio e as mulheres são o seu objectivo supremo na vida, que o irá tentar salvar dos apuros em que este se encontra. Já Lady Chevely, que em tempos nutriu uma profunda paixão pelo político, tudo fará para este deixar a esposa, criando uma situação complexa que o levará a crer que a sua esposa o trai com o famoso dandy (Rupert Everett).


O filme de Oliver Parker transporta de forma fidedigna para o grande écran a famosa peça de Oscar Wilde, onde somos confrontados não só com as intrigas mas também com uma sucessão de acontecimentos em que o equivoco fala sempre mais alto, levando os protagonistas da história a aumentarem de tamanho a teia em que se encontram envolvidos, teia essa bem urdida pela bela e cínica Lady Chevely (Julianne Moore).
A direcção de actores de Oliver Parker é soberba e todos eles nos oferecem interpretações que cativam o espectador ao longo da trama. Curiosamente, numa noite em que todos se encontram no teatro, a peça que se encontra em palco é “A Importância de se Chamar Ernesto”, onde no final iremos ver o seu autor Oscar Wilde, a receber os entusiastas aplausos do público, esse mesmo Oscar Wilde, que depois dos escândalos rebentarem, seria preso e esquecido por muitos, morrendo depois em França, abandonado por todos os que o rodeavam.


“Um Marido Ideal” / “An Ideal Husband” é um filme com brilhantes prestações de todos os interpretes, que navega no alto-mar do teatro, conduzido pela mão segura de Oliver Parker, que nos oferece uma película cheia de charme ou não fosse ela baseada na peça desse dramaturgo imortal,chamado Oscar Wilde, que nos deixou algumas das mais belas peças de Teatro de sempre.

4 comentários:

  1. Ora aqui está uma pérola, para uma tarde ou noite bem passada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo em absoluto! Todas as peças de teatro escritas por Oscar Wilde tiveram sempre excelentes adaptações cinematográficas, como é precisamente o caso de "Um Marido Ideal".

      Eliminar
  2. Não vi, mas depois do post, fica registado. Gosto muito da Cate Blanchett.
    Por Oscar Wilde: conhece uma série chamada "Lillie Langtry" com a Francesca Annis? https://en.wikipedia.org/wiki/Lillie_(TV_series)
    Gostei muito do Peter Egan como Oscar Wilde.
    Já revi esta série várias vezes. Acho-a muito bem feita.
    Boa noite!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não conhecemos a série que refere, mas ficámos bastante curiosos, vamos procurar para ver. Obrigado pela sugestão:)
      Bom dia!

      Eliminar