segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Martin Scorsese – “The Departed - Entre Inimigos” / “The Departed”


Martin Scorsese - “The Departed - Entre Inimigos” / “The Departed”
(EUA - 2006) – (151 min. / Cor)
Jack Nicholson, Leonardo DiCaprio, Matt Damon, Mark Wahlberg, Martin Sheen.

Martin Scorsese é um dos mais brilhantes cineastas do cinema norte-americano e também um dos mais famosos cinéfilos que conhecemos, seja através das entrevistas dadas ou dos documentários que realizou sobre a História do Cinema. Martin Scorsese começa a falar e depois a velocidade das frases e o entusiasmo das palavras leva-nos a ficar profundamente seduzidos por esse amor dedicado ao longo de uma vida à Sétima Arte. Recorde-se a sua luta com a kodak, devido aos problemas surgidos com as cópias, a célebre questão da cor, a forma como sucessivamente tem construído uma obra de autor, que tardou em ser reconhecida pela Academia de Hollywood. Quando visualizamos a sua obra cinematográfica, ficamos simplesmente apaixonados pela forma como ele movimenta a câmara, seja qual for o formato em que esteja a trabalhar, recorde-se apenas a sua participação em “New York Stories” e temos ali em apenas 40 minutos toda a Arte de um cineasta.


Já nos estamos a alongar nesta introdução, mas quem viu essa famosa e quase invisível curta-metragem intitulada “The Big Shave” (já exibida em Portugal) descobre ali alguém que já estava demasiado avançado no seu tempo e depois quando encontramos o protagonista Peter Bernuth a vender as armas que Robert de Niro irá usar em “Taxi Driver”, descobrimos como o cinema de Martin Scorsese é um longo filme sobre a América e os seus habitantes, porque “Boxcar Bertha” / “Uma Mulher da Rua” é o contraponto de “A Idade da Inocência” / "The Age of Innocence", como “Nova Iorque Fora de Horas” / "After Hours" é a outra face de “New York, New York”, enquanto “No Direction Home” represena o regresso ao passado de “The Last Waltz” ou “O Cabo do Medo” / "Cape Fear" versus “Entre Inimigos” / "The Departed" seja a sua leitura do fenómeno “remake”, embora “The Departed - Entre Inimigos” viva no mesmo apartamento de “Tudo Bons Rapazes” / "Goodfellas".


“The Departed - Entre Inimigos” é, sem dúvida alguma, uma das mais brilhantes películas do cineasta, mesmo tratando-se de um “remake” de um filme de culto intitulado “Infiltrados” / "Mou gaan dou"-"Infernal Affairs"; encontramos todas as marcas que fizeram do cinema do italo-americano um representante do cinema de autor. Aqui vamos descobrir como a questão da identidade é uma peça fundamental na vida de um ser, quando um homem como Frank Costello (Jack Nicholson, soberbo), um daqueles gangsters irlandeses que manipula tudo e todos consegue infiltrar o seu homem na polícia de Boston, fazendo dele a verdadeira toupeira, que lhe irá dar todas as informações necessárias para os seus negócios correrem da melhor forma. Homens destes existiram, aliás o indivíduo que serviu de base à construção da personagem de Frank Costello foi o mafioso irlandês Whitey Bulger. Entramos assim no reino da credibilidade, alcançada com esforço por Colin Sullivan (Matt Damon), que desde sempre aprendeu a venerar o gangster que lhe abriu as portas para um novo mundo.

Nos dias de hoje, para se combater os gangs a polícia usa muitas vezes tácticas idênticas através de agentes infiltrados, desconhecidos de todos e cujo passado abona a seu favor na noite do crime, através de uma “certa descendência” como sucede a Billy Costigan (Leonardo DiCaprio), que após ter feito a Academia é imediatamente encostado à parede pelo sargento Dignam (Mark Wahlberg) e seduzido pelo capitão Oliver (Martin Sheen), desta forma Billy regressa às ruas de onde tinha fugido, desta vez em missão de serviço, só que entrar no reino de Frank Costello (Jack Nicholson) não é pêra doce e quando mais tarde se apercebe de que há uma toupeira na polícia, começa a sentir que o seu fim está próximo.


Colin Sullivan (Matt Damon) constrói assim no interior da polícia, com a ajuda do seu chefe Frank Costello (Jack Nicholson), um mundo que sempre desejou e nunca tinha alcançado, quando se apercebe da existência de um polícia no interior do crime organizado decide encontrá-lo a todo o custo, porque ele poderá destruir o mundo maravilhoso que tinha alcançado. Assim o polícia e o gangster vão, a pouco e pouco, perdendo as suas identidades, entrando em perfeita paranóia quando sabem que Frank Costello por seu lado é informador do FBI, de forma a ter sempre o terreno limpo para os seus negócios. Estamos assim num enredo perfeitamente plausível nos dias de hoje e em tempo de guerra não se escolhem armas e assim faz Colin Sullivan, quando decide que ninguém lhe irá roubar o mundo limpo e mágico alcançado por ele. Já Billy Costigan (Leonardo DiCaprio) só pretende partir dali para fora, tudo está a correr ao contrário do planeado e as duas pessoas que conheciam a sua missão desapareceram do "mapa". O primeiro morto, o segundo afastado da investigação, por seu lado Colin já não olha aos meios para atingir os seus fins.


Tudo se resume assim à perda/troca de identidade? Não! “The Departed - Entre Inimigos” é muito mais complexo do que se poderá julgar e a planificação do filme é perfeita, desta feita não temos aqueles grandiosos movimentos de câmara que o cineasta nos habituou, porque simplesmente estamos no mundo dos gangsters e nele a falta de eficácia significa a morte e uma bala fura o crânio, por vezes, disparada pelo melhor amigo, por isso mesmo a planificação de Martin Scorsese é rigorosa, tão rigorosa como a forma como Dignam (Mark Wahlberg) resolve o caso numa perfeita (a)moralidade, porque nestas coisas de morais da história, elas já tiveram a sua época como todos sabemos, embora por vezes até pareça que estão de regresso neste século xxi..

“The Departed – Entre Inimigos” surge assim como o melhor filme de 2006, obtendo o Oscar da Academia de Hollywood, para a melhor realização, o melhor filme, melhor montagem e melhor argumento adaptado, ou seja quatro Oscares, revelando Leonardo DiCaprio como o melhor actor da sua geração, quem se lembra dele em “A Vida Deste Rapaz” / "This Boy's Life" ao lado de Robert de Niro, ou a sua personificação de Rimbaud em “Total Eclipse”, película pouca falada em que uns nus andam por lá, ou não se tratasse do amor entre Rimbaud e Verlaine sendo o argumento do sempre genial Christopher Hampton. 
Martin Scorsese coloca em “The Departed – Entre Inimigos” toda a sua Arte de cineasta ao serviço da Sétima Arte e num filme tão violento como a vida, nunca o Cinema foi como aqui a mais Bela das Artes!

Sem comentários:

Enviar um comentário