quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Dany Boon – “Bem-vindo ao Norte” / “Bienvenue Chez Les Ch’tis”


Dany Boon – "Bem- Vindo ao Norte" / Bienvenue chez les Ch'tis"
(FRANÇA – 2008) – (106 min. / Cor)

Kad Merad, Dany Boon, Zoe Felix, Anne Marivin.

Muitas vezes, ao vermos os famosos trailers, há filmes que nos ficam na retina e assim sucedeu com “Bem-vindo ao Norte”  / “Bienvenue chez les Ch’tis” de Danny Boon, que vimos pela primeira vez numa sala de cinema e depois já revimos por diversas vezes no dvd, Recordo-me que a sala estava esgotada, caso raro para uma primeira sessão, mas mal o filme começou percebemos porquê.
As gargalhadas começaram a surgir espaçadas e pouco depois, quando esse funcionário dos CTT chamado Philippe Abrams (Kad Merad) vê frustradas as suas tentativas de ser transferido para a famosa Cote d’Azur, no intuito de fugir da turbulenta relação com a esposa, o riso torna-se contagiante na plateia.


Depois de se ter fingido ser deficiente perante um inspector dos correios em busca da tão desejada transferência, acaba por ser castigado e é enviado para o Norte, para uma pequena povoação chamada Bergues, para chefiar a estação dos correios local.
Ainda a caminho da desconhecida povoação será multado pela polícia, mas quando informa o agente que vai para Bergues, ele acaba por lhe perdoar a infracção, porque o seu destino é na verdade horrível. Mal chega à povoação, as boas-vindas são dadas por uma intensa carga de água.


Na primeira noite fica alojado na casa de Antoine Bailleul (Dany Boon), seu colega nos CTT, que vive com uma mãe possessiva e no dia seguinte ao chegar ao emprego pensa estar no fim do mundo. Mas o pior é a forma de falar dos habitantes, que dão uma entoação às palavras que o deixam em estado de choque, porque o célebre “ch’tis” só é falado ali e ele quase é obrigado a reaprender a sua língua natal. Com o passar dos dias vai descobrir que se encontra num território de eleição e começa a adorar a povoação e os colegas, embora diga o contrário à mulher quando vai a casa ao fim-de-semana. Esta começa a ficar desconfiada quando percebe que o bom do Philippe (Kad Merad) vai cada vez menos ter com ela ao fim-de-semana e decide ir viver com ele para Bergues. Encostado à parede, Philippe será salvo “in extremis” pelos colegas e alguns habitantes da aldeia, que recriam uma Bergues que não existe, na antiga cidade mineira e todos assim irão transformar a visita de Julie (Zoe Félix) num verdadeiro inferno.


Dany Boon que, para além de ter escrito e realizado o filme, interpreta a personagem de Antoine, o jovem carteiro dominado pela mãe, cria uma obra onde os gags se sucedem de forma perfeita, respirando um ar puro que não se via à muito tempo no cinema. “Bienvenue chez les ch’tis” / “Bem-vindo ao Norte” foi um sucesso estrondoso em terras gaulesas, o que lhe abriu as portas para o mercado internacional. E quando vimos esta película só podemos dizer que ela respira cinema por todos os poros. Tudo ali surge de forma natural, com um perfeito sentido de mise-en-scéne e uma direcção de actores de primeira água.



Estamos assim perante uma comédia, onde o humor é fabuloso e muito bem trabalhado ao nível dos diálogos, revelando-se esta película como irmã de filmes que bebem da mesma seiva criativa como “O Gosto dos Outros” / “Le Goût des outres” de Agnés Jaoui e “Jet Lag” de Daniéle Thompson , que demonstram bem como o cinema francófono continua a dar cartas a nível internacional, indiferente ao monopólio das grandes distribuidoras norte-americanas. Acompanhar a vida atribulada de Philippe Abrams (Kad Merad) em Bergues, na película “Bienvenue chez les Ch’tis” / “Bem-vindo ao Norte”  é na verdade uma aventura cinematográfica gratificante.



PS – Dany Boon nasceu no Norte de Franç,a na região retratada e dedica o filme à sua mãe, uma verdadeira representante dessa linguagem típica denominada ch’tis. Tendo em conta o sucesso internacional da película, já foi feito um “remake” em Itália, intitulado “Bem-vindo ao Sul” / “Benvenuti al sud” realizado por Luca Miniero e que conta no elenco com a participação de Dany Boon.

2 comentários: