sábado, 1 de outubro de 2016

Anjelica Huston – Parte 2


Em 1987 Francis Ford Coppola realiza um dos seus melhores filmes “Gardens of Stone” / ”Jardins de Pedra”, em que a visão do Vietname já não nos chega da linha da frente, como sucedia em “Apocalipse Now”, mas sim da rectaguarda e da sua Guarda Nacional. James Caan interpreta a figura de um sargento veterano que não esquece o horror da guerra e Anjelica Huston é a jornalista liberal que “olha de lado” os “valores” contidos na arte da guerra, como em tempos lhe chamou o célebre Clausewitz. Apesar de ambos terem visões opostas sobre o conflito que dilacerava a América, o romance entre os dois acontece e Francis Ford Coppola oferece-nos uma das mais belas homenagens de sempre ao Cinema Clássico.


"Gardens of Stone" / "Jardins de Pedra"

Nesse mesmo ano em que o seu pai, já bastante debilitado na sua cadeira de rodas, continua a filmar. Anjelica surge como protagonista da obra póstuma de John Huston “The Dead” / ”Gente de Dublin”, baseada no último conto do livro de James Joyce, “Gente de Dublin”. O cineasta acabaria por falecer antes do filme estar concluído e seria o seu filho, Tony Huston, a concluir a película: um verdadeiro testamento cinematográfico do célebre cineasta e um dos melhores filmes da década.


"The Dead" / "Gente de Dublin"
(John Huston deixou-nos mais uma obra-prima como testamento)

Como os Huston são um verdadeiro clã cinematográfico, foi com naturalidade que encontramos Anjelica Huston no filme do seu irmão Danny Huston intitulado “Mr. North – Um Homem de Sorte”, com um Anthony Andrews fabuloso e um Robert Mitchum a mostrar que ainda poderia oferecer muito à Sétima Arte.


"Mr. North" / "Mr. North - Um Homem de Sorte"

Woody Allen, quando terminou o argumento de “Crimes and Misdemeanors” / ”Crimes e Escapadelas”, verificou que a personagem de Dolores Paley, a amante de Judah Rosenthal (Martin Landau), só poderia ter sido interpretada por Anjelica Huston e na realidade essa mulher neurótica à beira do abismo, dedicada a um amante que não passa das promessas devido ao seu estatuto social, é na verdade extraordinária, revelando-se a personagem mais comovente desta tragédia mais que perfeita, realizada pelo cineasta de Manhattan.


"Crimes and Misdemeanors" / "Crimes e Escapadelas"

A filha do grande cineasta estava no apogeu da sua forma na arte de representar e quando Stephen Frears decidiu levar ao grande écran o romance de Jim Thompson “The Grifters” / ”Anatomia do Golpe” e escolheu Anjelica Huston e Annette Bening para os principais papéis femininos, ofereceu-nos um dos mais belos duelos da década.


"The Grifters" / "Anatomia do Golpe"

Duelo pela posse do mesmo homem (John Cusak), sendo uma a mãe (Anjelica Huston) e a outra a amante (Annette Bening), mas também havia o outro interesse, quantas vezes primordial, o dinheiro. As suas interpretações são de tal forma deslumbrantes que a própria Academia lhes reconheceu o valor, apesar do filme de Stephen Frears não estar muito bem posicionado naquilo que a conservadora Academia de Hollywood chamava “os seus valores”. Como sempre, os Estúdios tiveram uma palavra a dizer e Anjelica Huston foi nomeada para Melhor Actriz Principal e Annette Bening para Melhor Actriz Secundária. O Óscar acabaria por fugir a ambas, mas a película será sempre uma das mais belas e inesquecíveis homenagens de todos os tempos ao “film noir”, sendo o seu produtor Martin Scorsese.

(continua)

2 comentários:

  1. Sublime nos Jardins de Pedra um dos meus filmes favoritos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Jardins de Pedra" também é um dos meus filmes favoritos interpretados por ela, a senhora é magnifica!.)
      Bom domingo

      Eliminar