sábado, 24 de setembro de 2016

Kathleen Turner – Parte 3 – The End


"Who Framed Roger Rabbitt?" / "Quem Tramou Roger Rabbitt?"

Na área da animação a sua voz inconfundível continuou a animar os “cartoons”, seja a Jessica Rabbitt em novas aventuras do Roger Rabbitt, a Mom de “Bad Baby” (produção da Disney) ou a Clawdette de “Creepy Creatures”. um documentário para crianças, produzido pela National Geographic, sendo assim com naturalidade que a vamos descobrir nesse “movie women’s” de David Anspaugh “Moonlight and Valentino” / “Paixões ao Luar”.


"Moonlight and Valentino" / "Paixões ao Luar"

Tendo em conta que a comédia sempre foi um género em que a actriz se sentia como peixe na água, iremos encontrá-la de uma assentada em “Simple Wish” / “Um Desejo Tão Simples”, “The Real Blonde” / “A Verdadeira Loura” e “Baby Geniuses” / “Os Sabichões”, onde dá provas de todo o seu saber e quando todos dizíamos que a época dourada de Kathleen Turner fazia parte do passado, eis que Sofia Coppola e “As Suas Virgens Suicidas” / “The Virgin Suicides” vieram provar precisamente o contrário, sendo memorável a sua interpretação da autoritária Mrs. Lisbon, digna de um Oscar!!!


"The Virgin Suicides" / "As Virgens Suicidas"

James Woods, o inesquecível Mr. Lisbon, o tímido e impotente marido, perante a matriarca da família que a todos domina, impondo regras ferozes às suas cinco filhas, acabará pelo seu excesso de rigor por levá-las a todas ao suicídio, lentamente, como aquela árvore que morre, num subúrbio na América, mas que poderia também ser em qualquer parte do mundo


"The Virgin Suicides" / "As Virgens Suicidas"

O filme de Sofia Coppola, ofereceu à filha de Francis Ford Coppola um estatuto de ”cult-directed”, que ela tem sabido gerir de uma forma muito inteligente, mas na realidade foi Kathleen Turner que ressuscitou para as primeiras páginas das revistas da especialidade, partindo logo após o fim da rodagem do filme para Londres, para regressar ao palco e surpreender o mundo de novo na pele da famosa Mrs. Robinson, a célebre personagem feminina de “The Graduate”, que Mike Nichols levou ao cinema, com Anne Bancroft e Dustin Hoffman nos protagonistas, tendo como banda sonora a música, hoje mais que célebre, da dupla Simon & Garfunkel.


A inesquecível Mrs. Robinson de "The Graduate"
Kathleen Turner no Teatro em Londres!

Após o estrondoso sucesso obtido pela peça, Kathleen Turner regressou aos Estados Unidos e decidiu participar no filme da amiga Sally Field, que dava os primeiros passos na realização, sendo uma das protagonistas de “Beautiful”, uma comédia feminina tão do gosto do “american way of life”, regressando mais tarde a antigos territórios, ao lado dos sempre excelentes Harvey Keitel e Danny Aiello em “O Príncipe de Central Parque” / “Prince of Central Park”.


"The Prince of Central Park" / "O Príncipe de Central Parque"

Nesta película o “Príncipe” de Central Park é um sem-abrigo interpretado por Harvey Keitel, que irá recolher o jovem JJ que fugiu de casa, em busca do paradeiro da mãe, terminando o jovem por descobrir na companhia deste excêntrico “Príncipe” e da sua amiga Rebecca (Kathleen Turner), também ela uma “outsider” na vida, como o mundo é tão imperfeito que até dói o coração, mas como temos que viver nele, será sempre necessário escolher o melhor meio de sobreviver nele, criando esse “another world” pessoal ou o nosso pequeno mundo se preferirem, onde a amizade e o amor sejam possíveis e essa palavra, tão esgotada, intitulada solidariedade, seja algo mais do que uma simples palavra, escrita nas redes sociais, sem qualquer significado.


"The Jewel of the Nile" / "A Jóia do Nilo"

Com o nascimento do novo milénio iremos descobrir Kathleen Turner nas mais diversas séries de televisão, tais como: “Friends”, “Lei & Ordem” / “Law & Order”, “Nip/Tuck”, “Californication”, mas será no seu regresso ao cinema na película “Marley & Eu” / “Marley & Me”, baseado no best-seller de John Grogan (com o mesmo título), que muitos se recordarão desta genial actriz, que assim regressou ao grande écran, para nos oferecer nestes últimos anos o seu talento de comediante nas películas “The Perfect Family” de Anne Renton, “A Enfermeira” / “Nurse” e no tão esperado regresso (vinte anos depois) da dupla Dumb and Dumber To” / “Doidos à Solta, de Novo”.


Kathleen Turner, que apenas foi nomeada uma vez, para o Oscar da Melhor Actriz, com a película de Francis Coppola, “Peggy Sue Got Married” / “Peggy Sue Casou-se”, permanece um nome inesquecível na história do cinema americano.

The End


Sem comentários:

Enviar um comentário