sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Kathleen Turner – Parte 2


Se “A Jóia do Nilo” / “The Jewell of the Nile” era uma sequela de “Em Busca da Esmeralda Perdida” / “Romancing the Stone”, já “Switching Channels” / “Linhas Cruzadas”surge como um verdadeiro “remake” da famosa peça de Ben Hecht, levada ao grande écran por Howard Hawks, contando com Cary Grant e Rossalind Russell nos protagonistas, só que desta vez a acção se passa num canal de televisão e os interpretes são Kathleen Turner, Burt Reynolds e Christopher Reeve.


"Switching Channels" / "Linhas Cruzadas"

Christy Colleran (Kathleen Turner) é a melhor jornalista do canal e um dia irá fazer cair a tragédia sobre a estação de televisão ao decidir abandonar a sua vida profissional, para casar com o magnata Blaine Bingham (Christopher Reeve), mas o seu chefe John L. Sullivan IV (Burt Reynolds) tudo vai fazer para sabotar a felicidade do matrimónio que se anuncia, utilizando a reportagem acerca de um inocente que se encontra no corredor da morte, a aguardar a chegada da hora para se sentar na cadeira eléctrica, como pretexto para ela adiar o matrimónio.


"House of Cards" / "Fronteira do Silêncio"

Conhecendo melhor do que ninguém a jornalista e sabendo o seu apetite por este género de notícias, ele irá fazer com que as “linhas sejam trocadas” e aquele futuro radioso que a aguardava acabará por se perder, a favor dessas reportagens que são a sua verdadeira razão de viver, o célebre “Scoop” que todo o jornalista adora conquistar um dia na sua carreira, sempre em permanente stress no intuito de ultrapassar a concorrência.
O canadiano Ted Kotcheff, que conta no seu curriculum filmes como “A Fúria do Herói” / “First Blood”, assina aqui uma comédia verdadeiramente deliciosa, que não fica atrás do original.


"The War of the Roses" / "A Guerra das Rosas"

Como se costuma dizer, não há duas sem três e foi isso mesmo que pensou Danny de Vito, ao reunir-se ao par Kathleen Turner e Michael Douglas para realizar o seu segundo filme “The War of the Roses” / ”A Guerra das Rosas”, uma daquelas histórias de paixão à primeira vista, que após o casamento irá mergulhar num ódio irracional. Usando um humor negro, do mais cruel possível, a película de Danny de Vito, segue inicialmente a estrutura da sua obra anterior, a deliciosa comédia  “Atira a Mamã do Comboio” / “Throw Momma From the Train”, mas desta vez foi demasiado longe, na mordacidade das situações nesta luta irracional dos Rose, o que poderá ter originado motivado os fracos resultados de bilheteira.


"V. I. Warshawski" / "Detective de Saltos Altos"

Mas Kathleen Turner não parou e decide dar corpo a “V. I. Warshawski” / ”Detective de Saltos Altos”, uma comédia policial, em que o detective, para além de ser mulher, tem os “habituais problemas femininos”, que por vezes até podem causar danos, nas investigações em curso.
Já "House of Cards" / "Fronteira de Silêncio" com Tommy Lee Jones também como protagonista, revela-se um drama que aborda o desconhecido universo doo autismo, em que uma mãe tudo irá fazer para penetrar na mente da sua filhar no sentido de a ajudar a descobrir o mundo que a rodeia..


"Undercover Blues" / "Extremamente Perigosos"

O seu desempenho nesta película ficou de tal forma na memória de Herbert Ross, que seria ela a escolhida para o hilariante “Undercover Blues” / “Extremamente Perigosos”, na companhia de Dennis Quaid e de um bebé que é uma verdadeira delícia. Entretanto Kathleen Turner, que começa a dividir o tempo entre o grande écran e a caixa que mudou o mundo, decide seguir as pisadas de Ida Lupino e realiza para a TV o filme “Leslie’s Folly” tendo como protagonistas Anne Archer e a famosa Mary Kay Place, oferecendo-nos o retrato de uma mulher de quarenta anos que vive insatisfeita com o mundo que a rodeia, desde a família aos amigos, num daqueles telefilmes que nos deixam sentados nos sofá, com a memória a transportar-nos até locais, pessoas e situações que nos são familiares.

(continua)

Sem comentários:

Enviar um comentário