sábado, 17 de setembro de 2016

Debra Winger – Parte 3 – The End


Dois anos após nos ter oferecido uma inesquecível interpretação em “Dois Estranhos”, Um Destino” / “Shadowlands” nasce “Esquecer Paris” / ”Forget Paris”, uma comédia negra escrita, realizada e interpretada por Billy Crystal. Infelizmente esta comédia, apesar ou devido ao seu humor negro, não conseguiu alcançar o sucesso esperado pelo famoso comediante norte-americano.


"Forget Paris" / "Esquecer Paris"

E Debra Winger, tal como John Travolta, durante anos foi uma daquelas actrizes a quem a sorte não sorriu, diremos mesmo voltou-lhe as costas e partiu. Se John Travolta recuperou os anos perdidos após o seu renascimento em “Pulp Fiction” de Quentin Tarantino, já Debra Winger verificou com a passagem do tempo que o destino lhe foi fatal.


"Radio"

Em finais dos anos oitenta divorciou-se de Timothy Hutton, de quem tem um filho, e só em 1996 voltou a casar, com o actor e realizador Arliss Howard, só regressando ao cinema em 2001, para trabalhar ao lado do marido em “Big Bad Love”, que também realiza o filme. Dois anos depois surge ao lado de Ed Harris e Cuba Gooding Jr, em “Radio”, mas depois a sua arte começa a ficar esquecida dos Estúdios e só cinco anos depois, em 2008, a voltamos a encontrar no grande écran na película de Jonathan Demme “O Casamento de Rachel” / “Rachel Getting Married”  (preferimos nem falar nessa película inenarrável intitulada Um Funeral em Família” / “Eulogy”. Tem também breves aparições nas séries de televisão “Law & Order” / “Lei & Ordem” e “Terapia” e surge em dois tele-filmes, 


"Rachel Getting Married" / "O Casamento de Rachel"

Mas voltemos um pouco atrás no tempo para conhecer o trajecto de oportunidades perdidas por Debra Winger. Em 1982 Debra Winger recusou o papel interpretado por Glenn Close em “Atracção Fatal” / ”Fatal Attraction”. Nesse mesmo ano, James Brooks escreve o papel da personagem interpretada por Holly Hunter em “Edição Especial” / “Broadcast News” , a pensar em Debra Winger para a protagonista, recorde-se que ele é o cineasta de “Laços de Ternura”, mas ela não irá aceitar. Mais tarde a actriz recusou os papéis principais de “Peggy Sue Casou-se” / “Peggy Sue Got Married”, que foi para Kathleen Turner e, caso raro, Francis Ford Coppola pensou em Debra Winger para a personagem desde o início. Mais tarde, foi a vez de “Os Fabuloso Irmãos Baker” / “The Fabulous Baker Boys”, conhecerem o não da actriz, agarrando Michell Pfeiffer a oportunidade. E como não há duas sem três ou quatro sem cinco “The Music Box”/”A Caixa de Música” de Costa Gavras também viu Debra Winger a virar as costas ao projecto e a mais um cineasta com quem tinha trabalhado anteriormente.


"Big Bad Love"

Por fim esse filme de baseball no feminino (até a Madonna quis estar presente) intitulado “Liga de Mulheres” / “League of Their Own”, viu a personagem que lhe estava destinada a ir parar às mãos de Geena Davis.
Em Hollywood é fundamental manter as boas relações de trabalho, principalmente com cineastas já conhecidos de outras películas, mas pelos vistos Debra Winger nunca se conseguiu entender com o rumo que pretendia oferecer à sua carreira.


"Dawn Anna"
(um telefilme que merece ser descoberto)

Hoje todos nós sabemos o que são estas películas e como teria sido excelente ter podido ver a Debra Winger nesses filmes, mas as suas opções foram outras. Não nos esqueçamos que Humphrey Bogart começou a ser notado nos filmes de “gangsters”, porque aceitava sempre os papéis recusados por George Raft, que estava farto de ser o “gangster man” de serviço, mas também nunca é demais recordar como a História do Cinema está cheio de segundas e terceiras escolhas que fizeram um sucesso estrondoso, como é o caso do celebérrimo “Casablanca”, em que nem Bogart, nem Ingrid Bergman foram a primeira dupla escolhida.


"The Ranch"
(uma série disponível no netflix)

Foram as opções de Debra Winger que ditaram de certa forma o seu destino e a decisão de deixar Hollywood. A sua última interpretação de destaque foi num telefilme realizado pelo seu marido, Arliss Howard, intitulado “Dawn Anna”, baseado na vida da mãe de um dos jovens assassinados na tragédia do liceu de Colombine.
Nestes últimos anos (2009 – 2016) Debra Winger surgiu como secundária em apenas três filmes e foi protagonista este ano da série de televisão “The Ranch” ao lado de nomes como Ashton Kutchner e o sempre excelente Sam Elliott. Será que Debra Winger está de regresso?


"The Sheltering Sky" / "Um Chá no Deserto"

Ao viajarmos pelas películas a que Debra Winger, ofereceu o seu enorme alento, só poderemos concluir que a Sétima Arte possui nela uma das grandes intérpretes do cinema contemporâneo e na verdade, como ela disse um dia, “a vida é uma grande aventura” e merece sempre uma segunda oportunidade!




The End

Sem comentários:

Enviar um comentário