sábado, 3 de setembro de 2016

Barbara Hershey – Parte 2


"Shy People" / "Gente Estranha"

Ao interpretar a personagem Lee no filme “Ana e As Suas Irmãs” / “Hannah and Her Sisters” de Woody Allen, essa figura em estado de transição, terminou por se lhe colar ao corpo, sendo com naturalidade que a vamos encontrar nesse fabuloso, mas pouco conhecido, filme de David Anspargh, intitulado “Hoosiers” / “Raiva de Vencer” (1986), que “por cá” até viu a luz do grande écran. Nele vamos encontrar Gene Hackman na sua melhor forma, um professor em fuga do passado que escolhe a América profunda para reiniciar a sua vida e encontrar em Barbara Hershey a barreira (in)transponível para atingir os seus objectivos: levar a equipa de basquetebol de uma escola da América profunda à final nacional na grande metrópole. A juntar a esta dupla fantástica iremos ter o extraordinário Dennis Hooper, na figura do pai alcoólico do melhor jogador da equipa. De referir que todas as sequências dos jogos estão filmadas de forma mais que perfeita.


"Hoosiers" / "Raiva de Vencer"

Assim, sempre a dar o seu melhor, Barbara Hershey acaba por finalmente ver o seu trabalho reconhecido em Cannes, ganhando o prémio para a Melhor Intérprete Feminina, em 1987, na maravilhosa película de Andrei Konchalovsky “Shy People” / ”Gente Estranha”, rodado nos pântanos da Louisiana e que marca também a estreia fulgurante de Martha Plimpton no cinema, ao ponto de roubar todas as cenas a Jill Clayburg, que no filme interpreta a personagem da sua mãe.


"Shy People" / "Gente Estranha"
um genial filme de Andrei Konchalovsky


A forma como Barbara Hershey interpreta essa figura solitária e combativa exilada nos pântanos é na verdade inesquecível. Um dos grandes filmes de Andrei Konchalovsky que é urgente redescobrir, incluindo a sua fase soviética e recordamos que ele é o autor de filmes como “Siberíada” (o “1900” soviético), “Comboio em Fuga” / “Runaway Train”, “Os Amantes de Maria” / “Maria’s Lovers” e “Duet for One” / “Dueto Só para Um”.


"A World Apart" / "Um Mundo à Parte"

Todos sabemos que Cannes nunca repete as opções cinematográficas de um ano para o ano seguinte, mas no ano de 1988 quebrou-se essa regra com “A World Apart” / “Um Mundo à Parte” (1988) de Chris Menges e Barbara Hershey voltou a ganhar o prémio para a Melhor Interpretação Feminina, numa película que abordava o “apartheid” e a sua política de segregação racial condenada por todo o mundo.


"The Last Temptation of Christ" / "A Última Tentação de Cristo"


Quando Martin Scorsese conseguiu finalmente levar a bom termo a adaptação cinematográfica do romance de Nikos Kazantzakis, “A Última Tentação de Cristo” / “The Last Temptation of Christ” (1988), cuja adaptação foi da responsabilidade de Paul Schrader, muitos se interrogaram quem iria ser a intérprete da principal personagem feminina da película: Maria Madalena. E quando o nome de Barbara Hershey foi referido, todos compreenderam que não havia melhor escolha. Na verdade a sua interpretação em “The Last Temptation of Christ” é novamente inesquecível e marca de forma superior a obra do cineasta, tendo em conta a forma como ela introduziu a sua imagem nessa figura Bíblica que é Maria Madalena!

A película é um dos filmes mais religiosos e humanos de todos os tempos e a famosa Tentação de que fala o romance de Kazantzakis é simples desejo de Jesus Cristo de decidir do seu destino, possuindo mulher e filhos e exercendo a sua profissão na paz interior alcançada, não por decisão Suprema de Deus, mas por vontade Própria.

(continua)

Sem comentários:

Enviar um comentário