sexta-feira, 1 de julho de 2016

A Memória dos Livros - 2


Lawrence Durrell

Durante anos utilizei as célebres fichas de leitura, que me ajudaram no estudo, mas que também me serviram de Mini-Biblioteca de citações, que retirava dos mais variados livros ao longo das minhas leituras, embora não abdicasse desse acto, condenado por alguns, que é sublinhar no livro que estamos a ler, essa maravilhosa frase que cativa de imediato o leitor e assim, ao longo da vida, fui coleccionando nessas fichas de leitura os mais variados escritores.


Mas existe um, cuja escrita sempre me fascinou e do qual tenho tentado obter a totalidade da Obra Literária que nos deixou, embora essa aventura se revele por vezes bastante ingrata, não só porque existe uma enorme dificuldade em encontrar os livros, os que me faltam estão mais do que esgotados, e por vezes, quando se encontra, seja em Inglaterra ou França, os preços pedidos são proibitivos.


Gerard Durrell e Lawrence Durrell

Aliás tenho duas histórias bem curiosas durante essa busca de livros de Lawrence Durrell, uma ocorreu em Londres numa livraria da cadeia “Waterstones” em que, ao dirigir-me ao funcionário, lhe apresentei a lista que levava comigo e ele muito simpático foi buscar um livro intitulado “My Family and Other Animals” e estendeu-me o livro, tapando com o dedo o primeiro nome do autor, ou seja na mão do cavalheiro só se via o apelido Durrell, e quando lho tirei da mão para ver melhor o livro cujo título desconhecia, percebi que se tratava de um livro de Gerard Durrell, irmão mais novo do Lawrence, como o cavalheiro foi incapaz de me explicar o que vim a descobrir mais tarde, terminei por não trazer o livro, bastante irritado. Anos depois encontro num Alfarrabista que tenho por hábito frequentar a edição portuguesa, da Editorial Presença, de “A Minha Família e Outros Animais” do Gerard Durrell ao preço de dois euros (leram bem, não falta nenhum algarismo) e depois de ler umas páginas comprei o livro e, na verdade, fiquei a conhecer melhor um dos meus escritores favoritos, Lawrence Durrell e não me lembro de neste século XXI me ter divertido tanto a ler um livro.


Já a outra história passada com a célebre procura de livros de Lawrence Durrell passou-se em Paris, numa das Livrarias que mais gosto de frequentar, a Gilbert Joseph, do Boulevard Saint-Germain, andava eu a coscuvilhar as prateleiras de Literatura quando encontro em livro de ocasião (ou seja usado) o “Nunquam” de Lawrence Durrell, convém referir que este é o segundo volume de uma obra do autor, que nunca foi editado em Portugal, já que a Ulisseia apenas editou o primeiro volume intitulado “Tunc”, estes dois livros foram escritos pelo Lawrence Durrell, após conclusão do seu “Quarteto de Alexandria”, mas como o livro estava bastante sublinhado e com a capa em mau estado, acabei por não o comprar, na esperança de o ir encontrar numa outra livraria. O que terminaria por não suceder, já lá vão uns cinco anos. Portanto aqui fica o conselho quando virem um livro que queiram muito ter, não hesitem, porque a indecisão pode ser fatal.


Termino como comecei, para vos deixar uma citação bem querida aqui de casa, do último volume de “O Quarteto de Alexandria” de Lawrence Durrell, intitulado “Clea”:

”Sim, nesse dia surpreendi-me a escrever com a mão trémula as três palavras que todos os rapsodos da Terra pronunciam desde que o mundo é mundo para concitar a atenção do auditório. Palavras que simplesmente anunciam a maturidade de um artista. Escrevi: «Era uma vez…» E senti-me como se o universo me tivesse piscado o olho!"

 "Clea" – ("O Quarteto de Alexandria") - Lawrence Durrell

Nota: O livro "The Revolt of Aphrodite" reúne os dois volumes "Tunc" e "Nunquam", mas também esse nunca consegui encontrar.

4 comentários:

  1. "Cenas da Vida Diplomática" deste autor, é um mimo. "Águias sobre a Sérvia" muito interessante! O famoso "Quarteto vai-me merecer uma re-leitura um dia destes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo em absoluto e embora recomende sempre todos os livros do Larry, aproveito para incluir na sua lista de leitura o belo "Carrossel Siciliano".
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Recomendo vivamente a sua leitura, o de Gerard Durrell oferece-nos um belo retrato do Lawrence Durrell na adolescência em que passava os dias a escrever e de toda a sua família, durante a estadia de um ano na Grécia. Os livros de Lawrence são como sempre geniais.
      Obrigado pela visita e comentário.

      Eliminar