segunda-feira, 27 de junho de 2016

Paul Auster – “Mr. Vertigo” / "Mr. Vertigo"


Paul Auster
"Mr. Vertigo"
Asa, Pag. 298

Nos dias de hoje fala-se muito de sequelas literárias, fruto dos tempos ou da ambição dos editores ou simplesmente o belo desejo de um autor explorar melhor os caminhos da personagem que nasceu da sua escrita. Confesso que não sou a favor de sequelas, mas se me perguntassem qual o livro de que gostaria de ver escrita uma sequela? Diria que esse acto literário teria que ser levado a cabo pelo próprio escritor e não por terceiros, como ultimamente tem sucedido nesses insondáveis caminhos da Edição do século XXI.

O escritor eleito será Paul Auster, um dos meus escritores de cabeceira, que descobri um dia ao ser publicada em Portugal a famosa “Trilogia de Nova Iorque”, na época editada pela Difusão Cultural e, desde esse dia, li tudo o que ele escreveu ao longo dos anos, fosse em edições nacionais, inglesas ou americanas. Paul Auster que, como muitos sabem, é um profundo conhecedor do nosso país, já passou por aqui diversas vezes, aliás no seu último livro escrito a duas mãos, com o escritor sul-africano J.M. Coetzee, “Here and Now – Letters 2008-2011”, ele fala da sua última estadia no Estoril e possivelmente alguns viram-no na Culturgest, já lá vai alguns anos, numa das suas leituras, para além de ter realizado um dos seus filmes, “A Vida Interior de Martin Frost”, por aqui, com produção de Paulo Branco.


Mas para não perder o fio à sequela, direi que o livro eleito seria “Mr Vertigo”, para assim poder conhecer mais  aventuras/memórias do Walt o Rapaz Maravilha, e do seu mentor o fabuloso Mestre Yehudi, os sonhos do rapaz maravilha conduzem-no ao voo e ele torna-se um ídolo da América, mas como todos os ídolos, também ele irá cair, mas depois renascerá das cinzas e voltará a conhecer o sabor amargo da perdição e já com a idade a fugir-lhe do corpo, Walt conta-nos as suas aventuras de Rapaz Maravilha e quantas histórias terão ficado por contar, ele que teve o mundo a seus pés, certamente muitas mais ficaram na pena mágica de Paul Auster ou se preferirem numa das suas famosas máquinas de escrever.

Vale a pena descobrir o fabuloso livro de Paul Auster intitulado “Mr, Vertigo”, uma obra-prima da Literatura Mundial e se o escritor norte-americano um dia retomasse numa sequela as aventuras destes seus personagens seria simplesmente maravilhoso.

Sem comentários:

Enviar um comentário