segunda-feira, 16 de maio de 2016

John Badham – “Minutos Contados” / “Nick of Time”


John Badham – "Minutos Contados" / "Nick of Time"
(EUA – 1995) – (90 min. / Cor)
Johnny Depp, Christopher Walken, Marsha Mason, Roma Maffia, Peter Strauss, Charles S. Dutton, Courtney Chase.

Geralmente, quando se fala em John Badham, a primeira reacção do interlocutor é de que nos estamos a referir ao realizador de “Febre de Sábado à Noite” / “Saturday Night Fever”, a película que catapultou John Travolta para a fama. Mas no entanto John Badham é muito mais do que isso, porque ao longo dos anos foi cimentando uma filmografia extremamente interessante, nunca assinando nenhum filme medíocre.


John Badham formou-se na Yale Drama School em 1967, entrando pouco depois como técnico para a Universal Studios, passando a assistente de realização em 1969, precisamente na película “Night Gallery”, dirigida para a televisão pelo então ainda desconhecido Steven Spielberg. E só em 1971 John Badham irá realizar o seu primeiro filme para o pequeno écran, intitulado “The Impatient Heart”. 
Após o musical com Travolta em 1977, o cineasta irá oferecer-nos a sua visão de “Dracula” / “Drácula” (1979), para dois anos depois proporcionar a Richard Dreyfuss uma das suas maiores interpretações em “De Quem a Vida é Afinal?” / “Whose Life is it Anyway?”, surgindo nos anos seguintes com “Blue Thunder” / “Operação Thor” e “Jogos de Guerra” / “War Games”, duas películas que colocavam o dedo na mesma temática: o perigo que corremos quando mãos erradas alcançam o poder.


Christopher Walken e Johnny Depp
num fabuloso duelo na arte de representar!

Embora nunca tenha tido o mesmo reconhecimento crítico dos seus colegas de geração, os famosos “movie-brats”, John Badham merece um lugar nessa galeria e se nos recordarmos de “Minutos Contados” / “Nick of Time”, percebemos de imediato a sua estatura e saber cinematográfico.
Nesta película, feita quase toda em tempo real, John Badham oferece-nos a sua visão do cinema de Alfred Hitchcock, numa espécie de homenagem perfeita. Veja-se o facto de o protagonista ser um homem vulgar, que se vê envolvido numa tramóia para matar a Governadora da Califórnia, uma situação muito idêntica à de Cary Grant em “Intriga Internacional”, por outro lado, a forma como nos são oferecidos os planos e a montagem revela-nos que estamos perante um estudioso do Mestre do Suspense, usando também a música como componente envolvente da intriga.


John Badham dirigindo Johnny Depp no genial
"Minutos Contados" / "Nick of Time"

Em “Minutos Contados” / “Nick of Time” vamos conhecer o contabilista Gene Watson (Johnny Depp), que se encontra a chegar à Union Station de Los Angeles, a bordo do famoso Amtrak, acompanhado pela filha Lynn (Courtney Watson) de apenas oito anos. Iremos então descobrir no átrio do Terminal Ferroviário um homem, Mr. Smith (Christopher Walken) e uma mulher, Ms. Jones (Roma Maffia), que procuram um casal para ser usado com intuitos que nos são inicialmente desconhecidos, terminando por escolherem um par de apaixonados, após terem hesitado bastante, porém ao aproximarem-se deles, percebem que são franceses e desistem das suas presas, mas ao verem Gene Watson com a filha pela mão, abordam-no e identificando-se como polícias conduzem-nos para uma carrinha preta, onde iremos conhecer enfim os seus intuitos.


Gene Watson (Johnny Depp) vai ser obrigado a assassinar a Governadora da Califórnia, Eleanor Grant (Marsha Mason), que se encontra no Hotel Bonaventura para um comício, caso recuse a sua filha, que irá ficar como refém na carrinha, será morta.
Mr. Smith (Christopher Walken), após ter entregue um revolver e credenciais a Gene Watson, manda-o apanhar um táxi para o hotel, ao mesmo que se torna a sua sombra, seguindo-lhe todos os passos de forma a impedir que ele fale com a polícia ou a segurança, até chegar esse momento trágico em que o jovem contabilista irá perceber que a própria segurança se encontra envolvida no atentado.


Desde as sequências iniciais que John Badham possui o condão de agarrar o espectador à cadeira, não o deixando tirar os olhos do écran, acompanhando a tragédia daquele homem comum que está prestes a tornar-se num assassino famoso, entendendo-se de imediato as afinidades que este argumento possui com factos reais ocorridos na História Americana e que nunca tiveram uma explicação plausível, como todos sabemos. Por outro lado, iremos perceber os motivos que se encontram por detrás do atentado: a Governadora Eleanor Grant (Marsha Mason), ao chegar ao poder, encetou uma política liberal, ao mesmo tempo que se esquecia dos poderosos que financiaram a sua campanha, no conhecido intuito de colherem os seus respectivos frutos.


“Minutos Contados” / Nick of Time” revela-se, assim, como a obra-prima de John Badham, que nos oferece um poderoso “thriller”, usando a passagem do tempo em perfeita conjugação com o “suspense”, à boa maneira Hitchcockiana, ao mesmo tempo que se interroga sobre essa relação sempre tão perigosa e tentadora entre a política e o grande capital, que termina sempre por este último a apresentar a factura àqueles que aceitam o seu generoso contributo.


Uma derradeira referência à excelente direcção de actores, onde Johnny Depp veste a pele do jovem viúvo caído nas malhas da intentona e esse actor inconfundível chamado Christopher Walken que, ao personificar o vilão da história, nos oferece mais uma brilhante interpretação.
“Minutos Contados” / “Nick of Time” de John Badham respira “suspense” por todos os fotogramas.

Sem comentários:

Enviar um comentário