sexta-feira, 27 de maio de 2016

Eno, Moebius, Roedelius, Plank – “Begegnungen” e “Begegnungen II”; Cluster & Eno - "Old Land"


Eno, Moebius Rodelius.
"Begegnungen"
Sky Records

Eno, Moebius, Rodelius, Plank.
"Begegnungen II"
Sky Records

Cluster & Brian Eno
"Old Land"
Sky Records

“Begegnungen” é uma colectânea que reúne temas retirados dos trabalhos que Brian Eno assinou com os Cluster, sendo as restantes faixas oriundas de álbuns assinados por Moebius e Rodelius, seja em nome do grupo de krautrock Cluster ou em seu nome próprio.
E se alguns, ao lerem o termo colectânea, decidirem ficar de pé atrás, não façam isso, porque “Begegnungen” é uma obra perfeita na forma como estão alinhados os diversos temas, revelando uma homogeneidade que, de imediato, seduz o ouvinte surgindo assim como um excelente cartão de visita de Brian Eno, Dieter Moebius, Hans-Joachum Rodelius e do produtor Conny Plank, fundamental nos trabalhos discográficos dos Cluster, sendo também de destacar o contributo do baterista Mani Neumeier. Dos sete temas que compõem “Begegnungen” seis são instrumentais, revelando-se o famoso “The Belldog” a única faixa cantada por Brian Eno.


 Eno, Moebius e Rodelius

“O trabalho “Begegnungen” oferece-nos uma maravilhosa viagem através da obra destes músicos de eleição, revelando-se de forma perfeita a harmonia entre os sintetizadores e o piano, num delicioso diálogo, assim como quando este é acompanhado pelo ritmo da precursão, ao mesmo tempo que também temos esse espaço mágico para a guitarra acústica nos oferecer as suas cores e harmonias.


O sucesso de “Begegnungen” no ano de 1984, aquando da sua saída no mercado discográfico, deu origem ao nascimento de um segundo volume, precisamente intitulado “Begegnungen II”, revelando-se como o complemento perfeito da música criada por Roedelius, Moebius e Eno, baseando-se a segunda colectânea precisamente nas mesmas fontes do trabalho anterior, surgindo assim um álbum que estende por outros territórios a viagem musical anteriormente proposta ao ouvinte não sendo, como por vezes sucede, um aproveitamento comercial, muito ao contrário, porque aqui se trata de nos oferecer o retrato de uma época incontornável da denominada Ambient Music.


Aproveitamos para recordar que foi editado na época o trabalho “Old Land”, uma outra colectânea, que recomendamos vivamente tendo apenas como fonte os dois álbuns de originais gravados por Brian Eno e os Cluster, mas cujo alinhamento e selecção dos temas nos oferecem uma outra visão, ou audição se preferirem, da viagem original levada a cabo por estes músicos no interior do krautrock.

Sem comentários:

Enviar um comentário