sexta-feira, 15 de abril de 2016

Bryan Singer - “Os Suspeitos do Costume” / “The Usual Suspects”


Bryan Singer – "Os Suspeitos do Costume" / "The Usual Suspects"
(EUA – 1995) – (106 min. / Cor)
Gabriel Byrne, Kevin Spacey, Stephen Baldwin, Kevin Pollack, Benicio Del Toro, Chazz Palminteri, Pete Postlethwaite.

“Os Suspeitos do Costume” / “The Usual Suspects” é uma película que vive do extraordinário argumento de Christopher McQuarrie, que acabaria por receber o Oscar para o Melhor Argumento Original e da portentosa interpretação de Kevin Spacey, também ele galardoado com o Oscar, ao interpretar essa personagem enigmática chamada Roger “Verbal” Kint, um aleijado que é encontrado no cais de San Pedro, após ter ocorrido uma explosão num navio e onde jazem mais de vinte corpos mortos de conhecidos cadastrados, após um tiroteio inimaginável.
Levado para interrogatório, o “pobre” Roger “Verbal” Kint irá contar ao inspector encarregado do caso (Chazz Palminteri) a sua versão dos acontecimentos, ao mesmo tempo que iremos saber através de longos “flashbacks” como ele conheceu na prisão os conhecidos cadastrados.


Ao longo da película um nome irá surgir: Keyzer Soze. Mas à medida que vamos acompanhando os acontecimentos narrados, acabamos por suspeitar que o homem que se esconde por detrás do nome de Kobayashi (Pete Postletwaite) poderá ser o perigoso e temido Keyser Soze, no entanto iremos perceber quase no final como estamos profundamente enganados, nesse momento mágico em que o polícia termina de beber o seu café e repara no fundo da chávena e depois olha para o placard situado por detrás dele, mas é demasiado tarde para o agente e para nós espectadores, surgindo de imediato o desejo de revermos o filme para percebermos o engodo genial em que caiu o detective e nós na sua companhia.


“Os Suspeitos do Costume” / “The Usual Suspects” oferece-nos um dos mais portentosos argumentos da história do cinema, contando com interpretações muito acima da média, prendendo o espectador à cadeira desde o primeiro minuto, ao mesmo tempo que Brian Singer nos oferece um policial soberbo, manipulando com grande saber o material cinematográfico. Estamos assim perante um filme inesquecível, que nos convida a um novo visionamento, tal é o engenho soberbo deste genial argumento: quanto mais o (re)vemos, mais gostamos dele.

4 comentários:

  1. Este filme é verdadeiramente surpreendente! A rever um dia destes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma película que possui um dos argumentos mais brilhantes no género policial, obrigado pelo comentário.
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Grande filme. Foi aqui que comecei a adorar o Spacey.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na verdade um filme inesquecível que pede sempre para ser revisto, para seguirmos mais atentamente o interrogatório que é feito a Kevin Spacey, um actor magnifico, que se tem revelado também um excelente cineasta. Obrigado pelo comentário
      Bom fim-de-semana

      Eliminar