sábado, 9 de abril de 2016

James Finn Garner – “Clássicos de Hollywood Politicamente Correctos” / "Recut Madness . Favorite Movies Retold For Your Partisan Pleasure"


James Finn Garner"
"Clássicos de Hollywood Politicamente Correctos"
Gradiva, Pag. 218

Numa época em que se tenta tirar tantas ilações políticas dos argumentos dos filmes, James Finn Garner oferece-nos neste “Clássicos de Hollywood Politicamente Correctos” / "Recut Madness – Favorite Movies Retold for Your Partisan Pleasure", uma viagem por diversos argumentos de filmes que fizeram as delícias das mais diversas gerações, oferecendo-nos uma visão da história do cinema verdadeiramente aliciante. Basta olhar para a capa da edição para, de imediato, um sorriso nos surgir no rosto, pois ali temos as personagens do famoso “O Feiticeiro de Oz”, com a feiticeira ou bruxa má se preferirem a recordar-nos Hilary Clinton, ao mesmo tempo que o Feiticeiro é o não menos famoso (pelas piores razões) George W. Bush. De “Laranja Mecânica” a “Citizen Kane”, passando por “As Vinhas da Ira”, descobrimos na sua escrita um humor corrosivo, ao mesmo tempo que a memória cinéfila nos conduz pela estrada do cinema.


James Finn Garner oferece-nos assim uma série de “guiões corrigidos para agradar à esquerda e à direita”, porque como ele refere na introdução do seu livro, “diz-se que os filmes preferidos de alguém nos dão muitas indicações sobre as suas inclinações políticas”. (…) Mas porque há-de a arte permanecer segregada? Por que razão hão-de as tendências políticas de uma pessoa impedi-la de desfrutar a gama completa das artes cinematográficas?”.
Este escritor cujo passatempo favorito é pôr em causa a ideologia dominante do século XXI, o bem conhecido “politicamente correcto”, que nos faz dar um novo uso ao vocabulário tornando simples palavras que utilizámos uma vida inteira como proibidas nos dias de hoje ou se preferirem censuradas pelo nosso (in)consciente.
Vale a pena ler “Clássicos de Hollywood Politicamente Correctos” pela magia que respira na escrita de James Finn Garner e o aliciante jogo cinéfilo que vive no interior de cada história.

Sem comentários:

Enviar um comentário