quarta-feira, 6 de abril de 2016

Brian Eno – “Small Craft on a Milk Sea”


Brian Eno
"Small Craft on a Milk Sea"
Warp Records

Quando o cineaste neo-zelandês Peter Jackson decidiu realizar a película “Lovely Bones” / “Visto do Céu”, que ofereceu a Stanley Tucci um dos seus mais difíceis e extraordinários desempenhos da sua carreira, surgindo quase irreconhecível na película, ao mesmo tempo que nos dava a conhecer o enorme talento dessa jovem actriz chamada Saoirse Ronan, decidiu entregar a banda sonora do filme a Brian Eno que, de imediato, iniciou o respectivo trabalho de composição contando com a colaboração do guitarrista Leo Abrahams, que tinha participado com ele no tour de promoção do álbum “Everyting That Happens Will Happen Today” assinado a duas mãos com David Byrne, o ex-lider dos Talking Heads. “. No entanto alguns dos temas compostos por Brian Eno para “Lovely Bones” não foram incluídos na banda sonora por decisão do cineasta, que optou por juntar outros temas anteriormente gravados pelo músico.


Entretanto Brian Eno  deixa a editora All Saints Records e assina contrato discográfico com uma nova editora, a “Wharp” que tem optado no seu catálogo por divulgar muita da música electrónica que tem surgido no século XXI, surgindo assim Brian Eno como uma das mais valias da editora.
“Small Craft on a Milk Sea” irá ser o álbum de estreia de Brian Eno na “Wharp” contando com a colaboração de Leo Abrahams e Jon Hopkins e decide gravar a totalidade dos temas que tinha composto para “Lovely Bones”, juntando-se a estes três músicos Jez Wiles, que irá surgir nas faixas 4,5,6 e 8 de “Small Craft on a Milk Sea”, a deixar a sua marca techno neste magnifico e surpreendente trabalho de Brian Eno, que aqui regressa a esse Olimpo Musical a que sempre pertenceu.


Ao escutarmos “Small Craft on a Milk Sea” sentimo-nos a navegar de novo nesse universo musical que Brian Eno foi desenvolvendo ao longo dos anos oitenta, com os célebres registos da série genericamente intitulada “Music for Films”, mas com o rigor e a textura de trabalhos como “Apollo” ou “On Land / Ambient 4” em que é possível acompanhar a interligação entre os diversos temas, oferecendo uma continuidade bem homogénea, que nos leva a sentir essa viagem de sonho, pesadelo e eternidade, descobrindo mais uma vez a genialidade deste músico de eleição que não pára de nos surpreender. “Small Craft on a Milk Sea” encerra com chave de ouro a contribuição musical de Brian Eno para a primeira década do século XXI, um trabalho discográfico que é urgente não deixar cair no esquecimento.

Sem comentários:

Enviar um comentário