segunda-feira, 18 de abril de 2016

Bret Easton Ellis – “Menos Que Zero” / "Less Than Zero"


Bret Easton Ellis
"Menos Que Zero"
Teorema, Pag. 168

O jovem belo e rico Bret Easton Ellis fez furor nos meios literários ao escrever “Menos Que Zero”/”Less Than Zero”, com apenas vinte anos e o êxito foi retumbante. O livro oferece-nos histórias de L.A. com diálogos minimais, tendo a indústria cinematográfica comprado logo os direitos, nascendo uma película de grande interesse, onde pontifica Robert Downey Jr., embora na época o êxito do filme tenha sido inferior ao livro.

“As pessoas têm medo de se envolverem umas com as outras nas auto-estradas de Los Angeles. É a primeira coisa que ouço dizer quando volto à cidade. Blair vai esperar-me ao aeroporto e, enquanto o carro sobe a rampa, resmunga entre dentes: “As pessoas têm medo de se envolverem umas com as outras nas estradas de Los Angeles”.



Depois a sorte voltou a sorrir-lhe com “As Regras da Atracção” / “The Rules of Attraction”, devido ao seu enorme talento e Bret Easton Ellis passou a ser visto nos acontecimentos mundanos sempre de gravata ou laço, transportando aquele “ar” de escritor célebre, belo e rico, fazendo recordar o Francis Scott Fitzgerald dos loucos anos vinte.

“American Psycho” / “Psicopata Americano”, o seu romance seguinte, promoveu o escritor a economista senão vejamos a saga do livro: primeiro recebeu o célebre adiantamento para escrever o romance “American Psycho”, depois de lerem o manuscrito os editores não gostaram, acharam-no pornográfico, violento e de muito mau gosto e devolveram o manuscrito, pedindo a verba dada como adiantamento de volta, mas Bret Easton Ellis não devolveu o dinheiro e foi com o caso para tribunal saindo vencedor da contenda, depois vendeu a obra a outra editora, que publicou o romance na crista da onda da polémica, conseguindo arrecadar nos seus cofres uma rica quantia de dollars e o mesmo se diga do Bret Easton Ellis, que muito tempo depois viu o seu romance transposto para o cinema, de uma forma muito cuidada para não fugir às regras do “mainstrem”.


 Robert Downey Jr. em "Less Than Zero"

Já “Os Inconfidentes” / “The Informers”é uma espécie de regresso, mais adulto, a “Menos Que Zero”, ainda e sempre L.A., mas em forma de contos, onde tudo é possível, até mesmo vampiros!!!

O êxito desta vez não chegou, como se esperava e ele então parte para a feitura da sua maior obra de sempre “Glamourama”, uma mescla de policial, com duplas identidades, mundo da moda, erotismo a navegar nesse território do desejo pesado de que falou Rolland Barthes, com descrições clínicas de certas situações como já sucedia em “American Psycho”. E mais uma vez o sucesso veio bater à porta do escritor. Seguiram-se “Luna Park” e “Quartos Imperiais” / “Imperial Bedrooms”.

“Menos que Zero” / “Less Than Zero”, a sua obra de estreia, permanece como uma das obras mais reveladoras do universo literário deste talentoso escritor norte-americano chamado Bret Easton Ellis.

Sem comentários:

Enviar um comentário