terça-feira, 12 de abril de 2016

Orson Welles - “A Sede do Mal” / "Touch of Evil”

 

Orson Welles – "A Sede do Mal" / "Touch of Evil"
(EUA – 1957) – (108 min. – P/B)
Orson Welles, Charlton Heston, Janet Leigh, Akim Tamiroff, Marlene Dietrich.


“A Sede do Mal” / “Touch of Evil”  ficou famosa pelo célebre longo plano de abertura, construído através de uma grua, que irá lançar o espectador no fulcro dos acontecimentos, marcando o regresso de Orson Welles a Hollywood, graças aos bons ofícios de Charlton Heston, que impôs o nome do cineasta contra a opinião reticente dos Estúdios, que não acreditava nele.

Charlton Heston e Orson Welle

Durante a preparação das filmagens, Orson Welles irá partir uma perna, terminando por fazer desse problema um verdadeiro adereço à personagem que interpreta: o polícia americano Quinlan, que não olha a meios para atingir os fins, chegando a fabricar provas para prender os verdadeiros culpados.
Rodado num poderoso preto e branco,”Touch of Evil” irá oferecer-nos o duelo entre o polícia americano (Quinlan/Orson Welles) e o polícia mexicano (Vargas/Charlton Heston), já que ambos têm visões distintas de como deve agir a justiça em busca dos culpados.

Orson Welles. o cineasta. 
durante a rodagem do filme

Neste combate ao tráfico de droga na fronteira mexicana com os Estados Unidos, Orson Welles oferece-nos a sua derradeira homenagem ao “film-noir”, construindo uma personagem “bigger than life”, onde são bem patentes as referências Shakespearianas desse grande autor que sempre amou ao longo da vida e que ficou bem demonstrado na sua filmografia.

2 comentários:

  1. Orson Welles era, de facto, um génio!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos lhe reconhecem a genialidade, menos Hollywood, que continua a virar as costas a todos os que não aceitam as suas regras. Obrigado pelo comentário.
      Beijinhos

      Eliminar