segunda-feira, 21 de março de 2016

Henry Miller – “O Sorriso aos Pés da Escada” / "The Smile at The Foot of The Ladder"


Henry Miller
"Um Sorriso aos Pés da Escada"
Edições Asa, Pag.62

Henry Miller nasceu a 26 de Dezembro de 1891, sentindo cedo o apelo da Literatura e a sua escrita de imediato chamou a atenção de todos, em virtude de quebrar as regras vigentes, surgindo o escritor sempre como protagonista dos seus livros, seja de forma directa ou indirecta, por outro lado a censura ao detectar o conteúdo dos seus livros, onde o sexo andava de mãos dadas com a Literatura, fez de imediato sentir a sua mão pesada, sendo os seus livros mais célebres “Trópico de Câncer” e “Trópico de Capricórnio”.

Durante o período em que Henry Miller viveu em Paris, ligou-se ao movimento surrealista, tendo na escritora Anais Nin a sua melhor amiga, relação essa que seria retratada na película “Henry and June” de Philip Kaufman..
Miller sempre sentiu um enorme fascínio pela pintura e terá sido por isso mesmo que Fernand Léger lhe encomendou um texto para acompanhar uma exposição sua, que tinha por tema o mundo do circo e a figura incontornável do palhaço, nascendo assim o conto “O Sorriso aos Pés da Escada” / “The Smile at the Foot of the Ladder.


 Aguarela da autoria de Henry Miller

Durante muito tempo, Henry Miller meditou sobre o conteúdo do livro, terminando por criar essa figura comovente do palhaço Augusto, tendo ido buscar a famosa escada a um quadro de Miro, para a introduzir como elemento preponderante da actuação do palhaço Augusto, que criara um número que fazia furor junto dos espectadores, ao entrar em transe junto dessa escada carregada de simbologia.
Mas um dia o palhaço Augusto não sairá desse transe e ao fim de meia-hora terá de ser retirado do palco, devido à impaciência do público e ao seu próprio estado de transe contínuo.


 Henry Miller em Paris

Augusto acabará por deixar o circo com enorme tristeza, tornando-se mais um dos muitos deserdados da vida que viviam nas ruas de Paris nesse tempo, mas o destino irá fazer com que regresse ao circo, para substituir o palhaço António, que se encontra gravemente doente e que já não faz rir ninguém. Ao assumir a personagem criada pelo colega, irá obter um enorme sucesso, mas a partir desse momento em que a tragédia atinge de forma fatal António, ele percebe que só deseja ser um ser humano como todos os outros que se cruzam com ele nas ruas.


Este conto mágico e surrealista é uma verdadeira pérola no interior da escrita de Henry Miller e mesmo depois de Fernand Léger recusar o conto, em virtude de ele não corresponder aos objectivos da exposição, Henry Miller reconheceu que este conto mágico é único no interior da sua obra Literária.

“O Sorriso Aos Pés da Escada” / “The Smile at the Foot of the Ladder”, reeditado pelas Edições Asa, oferece-nos ainda um excelente prefácio de Vítor Silva Tavares, terminando o livro com um epílogo escrito pelo próprio Henry Miller, que nos confessa a sua visão e amor por essa personagem incontornável do mundo do circo que é o palhaço. “O Sorriso Aos Pés da Escada” revela-se assim uma obra literária sublime, nessa sempre difícil Arte do Conto.

Sem comentários:

Enviar um comentário