sexta-feira, 11 de março de 2016

Charlie Haden – “«Closeness» Duets”


Charlie Haden
"«Closeness» Duets"
A & M Records

A ideia de Charlie Haden de gravar diversos duetos com músicos que admira e com quem tem desenvolvido um trabalho intenso deu origem a dois álbuns, o primeiro intitulado “«Closeness» Duets” (duetos com Keith Jarrett, Ornette Coleman, Alice Coltrane e Paul Motion) e o segundo “Golden Number” (duetos com Don Cherry, Archie Sheep, Hampton Hawes e Ornette Coleman), trabalhos esses repletos de magia e que originaram não só um enorme sucesso, mas também levaram a que Charlie Haden ao longo da vida fosse gravando diversos álbuns de duetos, onde será sempre de destacar esses maravilhosos registos com Pat Metheny e Egberto Gismonti.


“«Closenes» Duets” oferece-nos quatro temas, todos eles bem diferentes entre si, mas de uma delícia única para o amante de jazz. A abrir encontramos “Ellen David”, dedicado à sua esposa e onde iremos encontrar o contrabaixista a dialogar com o piano de Keith Jarrett, com quem gravou inúmeros álbuns em trio e quarteto, assim como essa obra-prima do jazz e da música contemporânea intitulada “Arbour Zena”, em que temos Haden, Jarrett e Garbarek e uma orquestra de cordas. Convém sempre recordar que Haden e Jarrett são também protagonistas desse belo dueto intitulado, Prayer, da autoria do segundo e incluído no trabalho “Death and the Flower” de Keith Jarrett.


No segundo tema intitulado simplesmente “O.C.”, encontramos Charlie Haden, na companhia do Mestre Ornette Coleman, a quem o tema é dedicado, revelando-se uma profunda empatia entre os dois músicos.
Já em “For Turiya”, Charlie Haden surge ao lado de Alice Coltrane que, na sua harpa, nos oferece o momento mais lírico e surpreendentemente de “«Closeness» Duets”.
A terminar o álbum temos lado a lado Charlie Haden e Paul Motion, este na bateria, no tema “For a Free Portugal”, no qual o contrabaixista incorporou sons exteriores, tendo em conta a sua ligação na luta por um Portugal Livre, antes da instauração da democracia a 25 de Abril de 1974. É interessante relembrar os acontecimentos que rodearam a presença de Charlie Haden no Festival de Jazz de Cascais de 1971. Charlie Haden anunciou que iria tocar o tema “Song for Che”, dedicando-o a um Portugal Livre. Após o concerto, foi preso pela polícia política e só seria libertado após a intervenção do Adido Cultural da Embaixada Americana, o senhor James Conley, regressando o músico aos Estados Unidos.


Charlie Haden, desde então, sentiu uma ligação ainda mais forte a Portugal e, quando gravou com Carla Bley o trabalho “The Ballad of The Fallen”, na editora ECM de Manfred Eicher, não hesitou em incluir o tema “Grândola Vila Morena” da autoria de José Afonso, oferecendo-nos uma bela leitura da famosa canção. Anos mais tarde gravaria mais um dos seus álbuns de duetos com Carlos Paredes, surgindo assim o fabuloso trabalho “Dialogues”, onde a famosa guitarra portuguesa vibra como nunca, tocada pelo seu maior Mestre, ao lado do contrabaixo de Charlie Haden.


Charlie Haden e Keith Jarrett 

Ao escutarmos “«Closeness» Duets” de Charlie Haden, em boa hora reeditado em cd (recorde-se que o disco é datado de 1976), continuamos a sentir a mesma magia descoberta na idade do vinil, porque nele o jazz nos conduz ao firmamento celeste, esse local para onde Charlie Haden partiu mas deixando-nos para sempre a sua maravilhosa Arte de Compositor e Intérprete.


Haden e Jarrett no final da gravação, simplesmente comovente

Nota: Charlie Haden gravou com Keith Jarrett uma série de duetos, revisitando com a sua Arte o universo do “Great American Song Book”, dando origem a dois álbuns editados pela editora ECM Records de Manfred Eicher. O primeiro álbum intitulado “Jasmine” saiu em 2010 e o segundo de nome “Last Dance”, editado em 2014, termina precisamente com o tema “Goodbye”. Charlie Haden despede-se assim de todos nós, oferecendo-nos nestes registos duas pérolas incontornáveis de duetos de piano e contrabaixo, que se tornam inesquecíveis para quem as escuta.

Sem comentários:

Enviar um comentário