quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Chick Corea – “Children's Songs”


Chick Corea
"Children's Songs"
ECM Records

O pianista Chick Corea possui no selo ECM, de Manfred Eicher, alguns dos seus mais belos trabalhos discográficos, desde os célebres álbuns em piano solo, intitulados “Piano Improvisations – Vols. 1 e 2” assim como essa obra-prima intitulada “Children’s Songs”.
Foi com quatro anos de idade que Chick Corea se apaixonou pelo piano e quando decidiu enveredar pela longa estrada do jazz, descobriu nos grupos de Herbie Mann, Stan Getz e Miles Davis a melhor de todas as escolas, onde substituiu muitas vezes o piano clássico pelo eléctrico, fazendo ainda pequenas incursões pelo sintetizador. Será aliás a sua paixão pelo jazz de fusão, que o levará a constituir um dos mais célebres grupos do género: “Return To Forever”.

Na editora ECM Records o seu encontro com o vibrafonista Gary Burton irá originar alguns dos mais belos e extraordinários duetos/diálogos entre piano e o vibrafone, levado a cabo por dois músicos de excelência.
A terminar os 19 temas de “Children’s Songs”, que também têm versões para piano e vibrafone, interpretadas por Chick Corea e Gary Burton, registadas em três trabalhos magníficos gravados para a ECM de Manfred Eicher, encontramos uma espantosa peça intitulada “Addendum for Violin, Cello and Piano”, onde iremos descobrir Ida Kavafian no violino e Fred Sherry no violoncelo, ao lado de Chick Corea, numa peça que fecha de forma perfeita o maravilhoso álbum “Children’s Songs”.
Recorde-se que Chick Corea, Keith Jarrett e Herbie Hancock, ocuparam com toda a justeza a herança deixada por Bill Evans e McCoy Tyner, dois dos maiores vultos do piano jazz.
Quando surgiu o trabalho “Children’s Songs”, em 1983,composto por 19 temas, repletos de genialidade, humor e carinho, muitos perceberam que se encontravam perante as mais belas peças para piano, criadas por Chick Corea, sendo também possível encontrar-se nelas uma certa herança clássica a que não são alheios os célebres “Makrokosmos” de Bela Bartok, assim como das obras para cravo de J. S. Bach. Recorde-se que a primeira peça de “Children’s Songs” foi escrita em 1971 e as restantes foram nascendo ao longo dos doze anos seguintes, conforme confessou Chick Corea, fruto de um trabalho lento e metódico repleto de magia.

Ao escutarmos “Children’s Songs”, de Chick Corea, descobrimos a mais bela obra de toda a sua discografia.

Sem comentários:

Enviar um comentário